Prefeito Gustavo Soares desafia Ministério Público e paga quase 800 mil a Construtora Assú com dispensa de licitação

Em 09 de março de 2020, antes da pandemia ter início na cidade do Assú, o prefeito Gustavo Soares, sem medo, desafiava o Ministério Público, ao assinar um contrato com a Construtora Assú em regime emergencial para execução dos serviços contínuos referente a execução dos serviços de manutenção, reparo e conservação em vias urbanas no munícipio.

O contrato com a empresa foi sem licitação e já pagou a bagatela de quase de R$ 800 mil reais entre março e agosto de 2020. O valor é considerado bem alto e tem o contrato(confira aqui) tem duração de 180 dias e podendo ser renovado. Em tese, esse tipo de contrato deve ocorrer apenas para evitar o perda do interesse jurídico e conceder prazo à Administração para concluir um regular procedimento licitatório.

Toda Prefeitura sabe que serviços de reparos em vias urbanas são constantes, por isso, é preciso que haja a licitação, e supostamente a gestão de Gustavo teve tempo de fazer uma licitação mas preferiu optar por um contrato emergencial. No entanto, essa manobra pode ser entendida como desnecessário pelos órgãos fiscalizadores.

Gustavo Soares já vem fazendo algumas manobras e enchendo o bolso de muita gente, mas certas suspeitas não cabe ao Blog do VT julgar, apenas noticiar e deixar que o Ministério Público solicite os devidos esclarecimentos ao gestor do município.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: