Covid-19: sobe para 46 nº de mortos no Brasil; 2.201 casos confirmados

O Ministério da Saúde anunciou hoje em coletiva de imprensa que subiu para 46 o número de mortes por conta do coronavírus no Brasil — um aumento de 12 vítimas desde os dados oficiais de ontem.

São Paulo contabiliza 40 mortes por conta da covid-19, enquanto o Rio de Janeiro, 6. Os dados oficiais apontam que 2.201 casos estão confirmados no Brasil, um crescimento de 310 casos em 24 horas.

A região Norte conta com 82 casos de covid-19; 354 no Nordeste; 1.278 no Sudeste; Centro-Oeste com 217; e Sul contabiliza 270 casos. Os 46 mortos equivalem a 2,1% do total de casos confirmados.

O Ministério ainda afirmou que até amanhã concluirá e apresentará a posição oficial em relação ao uso da cloroquina e hidroxicloroquina.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo, dos 10 novos óbitos confirmados desde ontem no estado, seis são homens (71, 75, 79, 80, 89 e 93 anos) e quatro mulheres (48, 65, 85 e 85 anos).

A mulher de 48 anos tinha comorbidades e era de Vargem Grande Paulista. As outras cidades da Grande São Paulo com registro de óbitos foram Guarulhos (mulher, 85 anos), Taboão da Serra (mulher, 84) e Osasco (homem, 79).

Já a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro declarou que os 5º e 6º óbitos por coronavírus são dois idosos: uma mulher de 71 anos e um homem de 74 anos — ambos apresentavam comorbidades e eram da cidade do Rio de Janeiro.

O Ministério da Saúde anunciou hoje na coletiva a ampliação para 22,9 milhões o número de testes que serão distribuídos para diagnosticar o covid-19 no Brasil.

Serão entregues ao Ministério da Saúde dois tipos diferentes de testes: aqueles que detectam o vírus na amostra (RT-PCR) e outros que verificam a resposta do organismo ao vírus (teste rápido de sorologia, quando são verificados os anticorpos, na resposta imunológica do corpo ao microorganismo invasor).

Por agora, o ministério definiu a aplicação dos testes em profissionais de saúde e de segurança, além da verificação dos casos graves e óbitos.
Agricultura oferece laboratórios para análise de testes

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai disponibilizar 84 laboratórios para a realização de testes para detecção do coronavírus.

Segundo a pasta, os laboratórios, somados, oferecem capacidade de análise de mais de 76 mil amostras por dia. Ao menos 108 profissionais qualificados para operar equipamentos e ensaios podem ser alocados “conforme a necessidade”.

“Essa estratégia propõe uma aliança do agronegócio contra a covid-19 sob a curadoria do Mapa, em parceria com o Ministério da Saúde, que disponibiliza de forma rápida e ordenada alta quantidade e qualidade de recursos materiais, humanos e estruturais para reduzir a evolução da prevalência do Coronavírus no Brasil”, afirmou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, por meio de nota.

Comparação com a H1N1

Em menos de três meses, o novo coronavírus já registra um total de mortes que se aproxima de todos os óbitos da pandemia de H1N1 (Influenza A), ocorrida durante 16 meses nos anos de 2009 e 2010.

Pelos números da OMS (Organização Mundial da Saúde), foram 14.652 casos fatais pelo novo vírus, enquanto a antiga gripe matou um total de 18.449 durante o período de surto.

Esses números são para óbitos comprovados em laboratório na pandemia, pelos critérios da organização de saúde — há casos em ambas as doenças não reportados, e as estimativas são de números bem maiores de mortes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: