Mais dois tucanos declaram voto contra Temer

Apesar das investidas do presidente Michel Temer para distensionar a relação com o PSDB, novos deputados tucanos se posicionaram, na segunda-feira, a favor da denúncia contra o peemedebista. Agora, já são 21 deputados do PSDB declaradamente favoráveis às investigações contra o presidente, de uma bancada de 46 deputados. Outros 10 são contra, enquanto 15 se disseram indecisos ou não responderam à enquete realizada pelo GLOBO.

Os mais recentes deputados tucanos a se declararem a favor da denúncia foram Pedro Vilela (PSDB-AL) e João Paulo Papa (PSDB-SP). Por outro lado, em partidos do chamado Centrão, Temer ganhou dois votos. Foram os dos deputados Herculano Passos (PSD-SP) e Takayama (PSC-PR).

A ofensiva lançada por Temer sobre o PSDB tem por objetivo aumentar sua margem de votos para tentar barrar a denúncia de que é alvo. As informações são de O Globo.

Ao longo do fim de semana, o presidente ligou para ministros tucanos para abafar o incômodo provocado por especulações de que poderia tirá-los do cargo e ontem recebeu no Palácio do Planalto o ministro das Cidades, Bruno Araújo, que vinha sinalizando a possibilidade de pedir para deixar o governo. O discurso feito aos tucanos foi de pacificação, e os ministros foram avisados de que, ao menos antes de votada a denúncia em plenário, não há previsão de alterações no primeiro escalão.

Nas últimas semanas, tem se intensificado a pressão pelo desembarque do governo por parte de uma ala tucana, composta principalmente pelos chamados “cabeças pretas” e por alguns caciques do partido, como os senadores Tasso Jereissati (CE) e Cássio Cunha lima (PB). O PSDB votou, majoritariamente, contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), dando cinco votos a favor da denúncia, e apenas dois contra.

Após a votação na CCJ, integrantes do Centrão passaram a cobrar, de forma enfática, que os quatro ministérios hoje ocupados pelo PSDB sejam redistribuídos àqueles partidos que demonstraram fidelidade na comissão. Mas, o governo já sinalizou que pretende manter os tucanos nos cargos, ao menos até a votação da denúncia no plenário da Câmara, prevista para o dia 02 de agosto. Desta forma, Temer espera não perder mais votos entre os deputados do PSDB e escapar da denúncia.

Deixe um comentário