Governo adia votação e ganha tempo para explicar reforma da Previdência

Proposta de mudança na Previdência deve passar nesta quarta-feira pela comissão especial da Câmara, mas votação em plenário é adiada para o fim de maio

O governo decidiu adiar para o fim de maio a votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados. Na avaliação da base aliada, esse tempo é necessário para ampliar e ajustar a comunicação sobre o texto da reforma. O Palácio do Planalto prepara peças publicitárias em cima do relatório do deputado Arthur Maia (PPS-BA), que sofreu mudanças nos últimos dias.

A previsão para votar a matéria na comissão especial continua a mesma. Ainda hoje, os deputados do colegiado devem decidir se o parecer de Arthur Maia vai ou não para o plenário. Mansur afirmou que o governo conta com 23 ou 24 votos favoráveis, pelo menos quatro a mais do que os 19 necessários caso todos os 36 membros estejam presentes. Tanto para o governo quanto para a base aliada, a aprovação na comissão já está decidida. “São favas contadas”, disse um assessor da oposição.

Para aprovar o texto na comissão, o governo precisa de votos favoráveis da maioria dos integrantes presentes no dia da votação. Para que a sessão seja aberta e, assim, a votação possa ser realizada, pelo menos 19 dos 36 membros do colegiado devem registrar presença. As informações são da Agência Estado.

Deixe um comentário