Deputado petista vai à PGR contra nomeação de babá de filho Temer

A Procuradoria-Geral da República recebeu representação contra o presidente Michel Temer por ter nomeado funcionária de gabinete de assessoramento para cuidar do filho, Michelzinho, de oito anos. A representação, por crime de responsabilidade e crime comum, foi feita nesta terça-feira pelo deputado Robinson Almeida (PT-BA).

Neste domingo, a coluna Lauro Jardim no GLOBO mostrou que uma funcionária do Gabinete de Informação em Apoio à Decisão (GAIA) toma conta de Michelzinho, de oito anos. Temer negou que o filho tenha babá, mas admitiu que uma funcionária do Planalto cuida da residência oficial.

O deputado petista aponta “desvio da função pública e, consequentemente, dos recursos públicos, tendo como finalidade especial remunerar interesses privados com recursos da sociedade brasileira”.

— Babá do meu filho coisa nenhuma. Não vou deixar ele ficar sabendo disso, porque vai ficar ofendido — declarou Temer, irritado, a rádios nesta segunda-feira. Segundo o peemedebista, o filho só necessitaria de babá até “três ou quatro anos de idade”.

O presidente disse que o Planalto analisaria se a funcionária terá de ser realocada.

Leandra Brito está alocada em um órgão anexo ao gabinete pessoal, que deve municiar o presidente com dados para tomada de decisão. Ao GLOBO, Leandra negou ser babá de Michelzinho, mas disse apenas que deve assessorar o presidente e a primeira-dama, Marcela Temer, “em toda e qualquer situação”.

Ela trabalha no Palácio do Jaburu, residência oficial, e participa de viagens da família Temer, como na Páscoa ou no ano novo. O Planalto diz que ela está sendo transferida do gabinete para o staff que serve à família presidencial, e alega questões burocráticas para a demora.

Deixe um comentário