fbpx

UFRN busca fortalecer projeto para educação básica

O fortalecimento do projeto Educação Básica no Território Inteligente foi o tema de reunião entre o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, e a professora do Centro de Educação (CE) da UFRN, Betânia Leite Ramalho, durante a manhã desta terça-feira, 30, no prédio da Reitoria.

A docente explicou que o nome da ação tem raiz na situação de que, para elaborar políticas públicas de educação, há a necessidade de conhecer o território no qual a escola está, e não somente as práticas realizadas dentro da instituição. “A questão da educação é também o entorno do mundo em que o estudante vivencia suas experiências, bem como a questão da utilização das tecnologias para favorecer e otimizar as práticas educacionais, com ferramentas customizadas para as necessidades do estudante e para a gestão do conteúdo, a partir da formação dos professores”, colocou Betânia Ramalho.

Ela acrescentou que a ação é parte do Smart Metropolis e que o projeto piloto está sendo colocado em prática no âmbito da cidade de São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Natal, local onde a rede municipal já utiliza o SIGEduc, plataforma na qual há um acompanhamento pedagógico similar ao realizado através do Sigaa, com o entrelaçamento do georreferenciamento de dados da localidade a informações educacionais provenientes de diversas fontes.

“Com as ferramentas para modernização da gestão escolar, conseguimos dados importantes da educação básica, desde a situação de quanto o aluno desenvolveu as habilidade básicas de acordo com sua idade, bem como a análise a respeito de aspectos a serem dimensionados na formação dos professores, dentre outras situações”, explicou a professora da UFRN.

Citando o atual Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), bem como a elaboração do Plano de Gestão e o PDI que será construído para o decênio próximo, o reitor da UFRN identificou que o projeto Educação Básica no Território Inteligente é um exemplo promissor da necessária interface da Universidade com a educação básica, a qual tem implicação na qualificação do ensino da graduação, sobretudo das licenciaturas. Daniel Diniz também pontuou a necessidade de institucionalizar a parceria com a prefeitura de São Gonçalo do Amarante. “Uma vez que o piloto funcione, podemos disseminar a ação para outras cidades”, afirmou Betânia Ramalho.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: