TJ da Bahia alega teste de PowerPoint e paga 4 diárias extras em viagem aos EUA

Fachada do Tribunal de Justiça da Bahia

Magistrados brasileiros receberão até R$ 43 mil em diárias de Tribunais de Justiça estaduais para participarem de um curso de direito comparado em San Diego, nos Estados Unidos.

Organizado pela Associação dos Magistrados Brasileiros, o curso acontecerá entre 17 e 19 de abril na California Western School of Law.

Pelo menos dois Tribunais de Justiça vão custear a ida de magistrados para o curso: da Bahia e do Tocantins.

Na Bahia, participarão do curso as juízas Rita Ramos de Carvalho e Patrícia Kertzman e desembargador Maurício Kertzman, marido de Patrícia, que vai ao evento representando o presidente do Tribunal de Justiça.

O Tribunal estabeleceu que Maurício Kertszman receberá R$ 13,7 mil em diárias. Patrícia Kertzman ganhará R$ 10,8 mil e Rita Ramos de Carvalho R$ 12,7 mil.

Além das diárias, o TJ-BA custeará passagens e gastos com transporte. O total das diárias é equivalente a sete dias de viagem  —três deles serão dedicados ao curso.

João Pedro Pitombo – Folha de São Paulo

Em nota, o TJ-BA informou que o pagamento das diárias é previsto pelo regimento interno do Tribunal. A norma diz que o pagamento das diárias “pressupõem compatibilidade do deslocamento com o interesse público”.

O Tribunal destaca ainda que, além dos dias do curso, as diárias incluem os dias de deslocamento. Eles embarcam domingo (14) à noite e desembarcam no sábado (20) pela manhã.

Segundo o Tribunal, os magistrados chegarão com antecedência para não correrem risco de atrasos de voos e porque precisam “testar os equipamentos e o PowerPoint, a fim de deixar tudo revisado para as apresentações”.

No Tocantins, o Tribunal de Justiça autorizou o pagamento de R$ 43 mil em diárias para o desembargador Marco Anthony Steveson Villas Boas. Ele ficará 15 dias nos Estados Unidos.

Além do curso na Califórnia, ele aproveitará a viagem visitar a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, em Washington, além da sede da ONU e duas universidades em Nova York.

Em nota, a Tribunal de Justiça do Tocantins informou que o objetivo das visitas é firmar parcerias com a Escola Superior da Magistratura Tocantinense, da qual o desembargador Marcos Villas Boas é o diretor-geral.

“O desembargador já havia firmado os referidos compromissos, motivo pelo qual decidiu estender sua permanência nos EUA a fim de cumpri-los sem a necessidade de novos gastos em uma eventual segunda viagem”, informou, em nota, o Tribunal.

Magistrados de outros três estados —Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo— participarão do mesmo curso como palestrantes. Nestes casos, contudo, não houve pagamento de diárias nem custeio de gastos com recursos públicos pelos Tribunais de Justiça.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: