Servidores da Saúde aprovam moção de repúdio ao Governo de Fátima Bezerra (PT)

Deputado George Soares, o puxa saco do Governo do RN e a governadora Fátima Bezerra

O Sindsaúde-RN e os servidores da Saúde do Rio Grande do Norte aprovaram na última assembleia da categoria, realizada no dia 29 de março, uma moção de repúdio ao Governo de Fátima Bezerra (PT) em relação a saúde pública do Estado.

O Rio Grande do Norte tem passado por diversas crises nos últimos anos, atualmente o Estado está sob decreto de calamidade financeira, devendo mais de R$ 1 bilhão de reais com folhas salariais, e cerca de R$ 300 milhões de dívidas na saúde, o que representa 10% do orçamento anual que é direcionado para a pasta.

A situação de calamidade na saúde do Estado se arrasta há anos, só entre 2017 e 2018 o Rio Grande do Norte esteve sob decreto de calamidade na saúde pública três vezes consecutivas. Durante o governo Robinson Faria (PSD) se fechou hospitais, como o hospital da Polícia, em Mossoró/RN e diversos leitos de UTI. Como se não bastasse, o ex-governador ameaçou fechar sete hospitais regionais, mudando o perfil para pronto-atendimentos, para passar a ser geridos por municípios ou consórcio. Apesar da ameaça, a população foi às ruas e não deixou isso acontecer.

Infelizmente, a política de fechamento vem sendo preparada nos últimos anos. O governo de Rosalba Ciarlini (DEM) preferiu a construção do Arena das Dunas, deixando um estádio moderno e subaproveitado mas que custam R$ 9,6 milhões ao estado todo mês. Para se ter uma ideia, os sete hospitais juntos, ao longo de 2016, custaram apenas R$ 350 mil por mês em atendimentos e internações, segundo dados publicados pela imprensa.

Os governos vem esvaziando estes hospitais, construindo um cenário de precariedade para justificar os fechamentos. E mesmo sob uma “nova administração” de Fátima Bezerra (PT), a situação da saúde só se agrava – vale lembrar que o PT esteve no governo Robinson e andaram de mãos dadas até um dia desses.

Os corredores dos hospitais continuam superlotados, a infraestrutura está desgastada, falta equipamentos e remédios nas unidades de saúde. Os servidores continuam trabalhando com os salários atrasados, o défict de profissionais da área é grande e gera a precarização no atendimento prestado à população. Mesmo nessa situação de calamidade, os Deputados Estaduais aprovaram um Projeto de Lei com o “aval” da governadora para receber 13° e férias retroativos à 2015.

Ressaltamos que é lamentável a postura de Fátima Bezerra (PT) em não ter vetado o projeto, se abstendo de uma decisão, que como Gestora deveria ter se posicionado contrária, já que diz ser sensível à realidade dos servidores. A governadora diz que recebeu o estado quebrado, evidentemente, sabia o que iria enfrentar. Portanto, como um governo de origem popular, como se autodenomina, o mínimo é que a senhora não repita a mesma cartilha dos governos anteriores, tendo em vista que são governos tradicionais de origem oligarquicas.

Invista na saúde pública do nosso Estado, não feche serviços e hospitais. A saúde do RN está a serviço dos menos favorecidos, os que necessitam do Sistema Único de saúde (SUS) em pleno funcionamento para atender as necessidades básicas dos cidadãos.

Comunicação Sindsaúde

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: