fbpx

Procuradores pedem aumento após evento no Nordeste

Resultado de imagem para 34ª Encontro Nacional dos Procuradores da República,

Atualmente, o salário dos procuradores gira em torno dos R$ 28,9 mil, teto da categoria – eles têm direito a benefícios como auxílio moradia, além de gratificações

Em tempos de crise econômica e pesada recessão, procuradores lançaram, nesse sábado (4), documento criticando a falta de aumento salarial e pedindo aprovação de mais subsídios aos seus vencimentos. Na Carta de Ipojuca, resultado do 34ª Encontro Nacional dos Procuradores da República, membros do Ministério Público Federal (MPF) saíram em defesa de Proposta de Emenda à Constituição que engorda seus próprios holerites.

Em um dos itens do documento, é considerada “urgente e imprescindível” a reposição de “perdas inflacionárias”. Na carta, os procuradores ainda clamam por paridade entre o que recebem membros ativos e inativos.

O encontro reuniu 280 procuradores em Porto de Galinhas (PE) nos últimos quatro dias. No documento final, os membros do MPF defendem prisões após sentenças de segunda instância, exclusividade da Procuradoria na condução dos acordos de leniência e resolução do Conselho Nacional do Ministério Público que dá “superpoderes” aos procuradores, alvo de questionamentos no Supremo Tribunal Federal.
Atualmente, o salário dos procuradores gira em torno dos R$ 28,9 mil, teto da categoria – eles têm direito a benefícios como auxílio moradia, além de gratificações. Ainda assim, os procuradores reclamam de salários defasados. “A defasagem absoluta e relativa dos subsídios põe em risco a preservação do próprio status constitucional da instituição, e é particularmente injusta aos aposentados, que não têm acesso a verbas remuneratórias e indenizatórias recebidas na ativa”, sustentam.

Repúdio. A Associação Nacional dos Procuradores da República divulgou nota em que repudia a convocação do procurador regional da República Eduardo Pelella pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS. Pelella foi chefe de gabinete de Janot. Para a associação, a convocação “soa a vingança, a retaliação pura”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: