Indicado por Temer, Gonzaga vota pela absolvição

Admar Gonzaga

Um dos ministros indicados pelo presidente Michel Temer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Admar Gonzaga votou contra o pedido de cassação do mandato do peemedebista.  Seu principal argumento foi o de que, apesar de haver provas sobre desvios e irregularidades envolvendo recursos irregulares da Petrobras para partidos políticos, não se pode afirmar “categoricamente” que estes recursos abasteceram a campanha eleitoral.

“Não se pode afirmar que recursos da Petrobrás aportaram na campanha de 2014. Vários delatores ouvidos não souberam afirmar se recursos foram usados na eleição de 2014”, disse Admar, para quem não há “prova cabal” de que as doações eleitorais tiveram como origem os desvios de recursos da Petrobrás.

Assim como o ministro Napoleão Nunes Maia, ele defendeu a tese de que os depoimentos dos delatores da Odebrecht não deveriam ser considerados no processo. As informações são de O Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: