Ex-vice-presidente da Caixa isenta Henrique Alves de irregularidades no banco

Em depoimento prestado nesta quinta-feira, o ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) Fábio Cleto isentou o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) de responsabilidade em irregularidades no banco estatal. Em sua delação premiada, ele tinha dito que teve de assinar três vias de uma carta de renúncia no mesmo dia de sua nomeação para o cargo, em 2011. Os documentos, segundo lhe foi informado, foram endereçados a Alves, então líder do PMDB na Câmara.

Tratava-se de uma medida de segurança, caso Cleto não atendesse às demandas do grupo do também ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), responsável por sua nomeação. Nesta quinta-feira, porém, ele disse ter dúvidas sobre a real participação de Alves, que atualmente está preso em Natal, nesse episódio.

— Eu tenho dúvidas se Henrique realmente tinha conhecimento dessa carta, se aprovou, se participou dessa redação — disse Cleto, concluindo: — Acredito que, pelo perfil dele, sequer tinha conhecimento dessa carta. As informações são de ANDRÉ DE SOUZA, O Globo.

Cleto, que apontou a distribuição de propina para Cunha, disse não ter conhecimentos de que Alves esteve envolvido em irregularidades na Caixa. Os esclarecimentos foram dados após perguntas de Marcelo Leal, advogado de Alves. Antes de começar a questionar o depoente, Leal chegou a dizer:

— Muito obrigado pela sua presença e por sua colaboração com a Justiça.

O depoimento de Cleto está ocorrendo por meio de videoconferência. O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira está em Brasília, Cleto em Campinas (SP), e Alves e Marcelo Leal em Natal. Nesta quinta-feira também será ouvido o empresário Alexandre Margotto.

Os outros três réus no processo — Cunha, Alves, e Lúcio Funaro, apontado como operador do PMDB em esquemas de corrupção — vão falar apenas na sexta-feira. Cunha e Funaro, os quais estão presos desde o ano passado, acompanham os depoimentos desta quinta presencialmente na sala de audiências da 10ª Vara Federal de Brasília.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: