fbpx

Cunha diz que Funaro lhe pagou dois carros sem ele saber

Em depoimento na Justiça Federal, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse que o delator Lúcio Bolonha Funaro lhe pagou dois carros sem seu conhecimento.

Funaro disse ter pago várias despesas pessoais de Cunha, o que inclui automóveis e até mesmo um apartamento que pertencia ao ex-jogador Vampeta. Cunha, porém, negou ter sido beneficiado com dinheiro de Funaro.

— Eu achava que estava devendo a loja, e não ele. Ele pagou sem me avisar que pagou. Agora, não tem essa história de dez carros — disse Cunha, acrescentando:

— Isso eu estou devendo e o pagarei. As informações são de O Globo.

Funaro é apontado como operador de políticos do PMDB em esquemas de corrupção. Cunha contou que fez algumas operações financeiras com ele, mas não reconheceu irregularidades. Segundo o ex-presidente da Câmara, a ligação de Funaro com PMDB é “zero”.

— Todo mundo que ele conheceu foi através de mim. Ninguém sabe quem é Lúcio Funaro. Operador coisa nenhuma. É uma história que está inventando para conseguir uma delação. Se ele conseguir citar um nome (do PMDB) que não seja por mim, eu mudo de nome — afirmou Cunha.

Cunha também ironizou as planilhas feitas por Funaro:

— Se me der um computador, vou fazer uma planilha melhor do que a dele. Vou fazer colorida, botar florzinha, vai ficar mais bonita e vai ter mais credibilidade. Posso colocar Joãozinho, Manezinho.

Cunha presta depoimento na ação na qual é réu por suspeitas de irregularidades no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal (CEF). Além dele e de Funaro, são réus: o ex-ministro e ex-presidente da Câmara Henrique Alves, o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto, e o empresário Alexandre Margotto. Cunha, Alves e Funaro estão presos. Cleto e Margotto, assim como Funaro, também firmaram acordos de delação.

Cunha negou ter indicado Cleto para o cargo. Afirmou que apenas mandou três currículos para o posto entre eles o de Cleto. Depois, contou, foi surpreendido quando saiu sua nomeação. Afirmou ainda que viria a conhecer Cleto somente depois disso. O ex-presidente da Câmara também disse ter apresentado Funaro a Alves e ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, mas negou ter tratado de propina com eles. Cunha também defendeu a legalidade e o valor da publicidade paga pela BR Vias – empresa da família Constantino, proprietária da companhia aérea Gol – em seu site, o “Jesus.com”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: