Comerciante vai a júri popular em Mossoró pela morte de vereador do Assu

Manoel Botinha foi alvo de vários disparos de arma de fogo (Foto: Focoelho)

Está sendo julgado nesta quarta-feira (5) na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar, mais um acusado de participação na morte do vereador de Assu Manoel Ferreira Targino, de 54 anos, o Manoel Botinha – assassinado a tiros no dia 22 de abril de 2015.

No banco dos réus está o comerciante Itamar Veríssimo de Melo, que teria ajudado na contratação do pistoleiro que executou o político. O julgamento, que começou por volta das 8h30 no Salão do Tribunal do Júri do Fórum Dr. Silveira Martins, é presidido pelo juiz Vagnos Kelly de Medeiros Figueiredo.

O comerciante é o terceiro de sete acusados a ir a júri. No dia 30 de maio foram julgados e condenados Joelma de Morais Ferreira e Douglas Daniel Morais de Melo (mãe e filho). Ela pegou 28 anos e 8 meses de regime fechado e ele 25 anos e 4 meses, também em regime fechado, por terem contratado o pistoleiro José Roberto Nascimento da Silva, o Feitosa, por R$ 15 mil. 

Itamar deveria ter sido julgado no dia 29 de maio, mas o júri acabou anulado porque os jurados entraram em contradição na hora da votação. 
G1 RN

Os demais réus devem ser julgados ainda este ano. São eles:

  • Valdete Veríssimo de Melo (irmão de Itamar)
  • Jalisson Veríssimo de Melo (filho de Valdete e sobrinho de Itamar)
  • José Roberto Nascimento da Silva
  • Welber Veríssimo de Melo

Além da acusação pela morte de Manoel Botinha, como era mais conhecido o vereador, os acusados também respondem pela tentativa de homicídio de Francisco Adriano Bezerra de Lima – que também foi baleado, mas sobreviveu.

O assassinato

O vereador foi assassinado em razão de uma rivalidade entre famílias. Seis meses antes do crime, Manoel Botinha havia perdido um irmão, assassinado na cidade de Ipanguaçu, que fica na mesma região.

Manoel Botinha havia sido eleito pelo PP, mas havia mudado de partido e na época estava no Pros. Estava em seu terceiro mandato na Câmara Municipal de Assu.

O homicídio aconteceu dentro de uma oficina mecânica de propriedade do vereador. Foi por volta das 8h do dia 22 de abril de 2015. De acordo com a PM, dois homens chegaram em uma motocicleta e fizeram vários disparos. Além de matar o vereador, os criminosos também feriram Francisco, que era empregado da oficina.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: