Com 12% de execução, Reta Tabajara tem orçamento ajustado para R$ 300 milhões

Apontada pelo presidente regional do PR João Maia, na época que era deputado federal, como uma obra fundamental para diminuir acidentes e melhorar o fluxo de 70 mil veículos que trafegam diariamente no local, a duplicação e ajustes na BR-304, popularmente conhecida como Reta Tabajara, está longe de ser concluída.

O empreendimento, que se arrasta desde 2014, está parcialmente paralisado por determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), por supostas irregularidades. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), prepara um relatório com respostas aos questionamentos da Corte de Contas, que será apresentado até 30 de agosto.

Com cerca de 12% de execução, o que equivale a gastos de R$ 30 milhões, a obra da Reta Tabajara tornou-se mais cara ao longo dos anos. O orçamento atual foi ajustado para R$ 300 milhões. São R$ 63 milhões a mais do que no ano passado, quando estava previsto um gasto de R$ 237 milhões, que já tinha um valor acrescido em R$ 50 milhões desde o início da construção, em 2014. Do total, R$ 80 milhões da verba federal estão garantidos.

O PR, partido de João Maia, controla a cúpula do Ministério dos Transportes e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) desde o governo Dilma Rousseff, O presidente do partido, Alfredo Nascimento, deixou o cargo de ministro dos Transportes sob suspeita de conivência com um esquema de corrupção dirigido pelo PR.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: