PF diz que Odebrecht pagou R$ 200 milhões em propina à Petrobras

Policiais na porta da Polícia Federal de Curitiba

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (8) a 51ª fase da Operação Lava Jato, denominada Operação Dejà Vu, que apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em contrato de US$ 825 milhões (mais de R$ 2,7 bilhões) firmado em 2010 entre a área internacional da Petrobras e a Odebrecht para prestação de serviços de segurança, meio ambiente e saúde em nove países, além do Brasil.

De acordo com a Procuradoria, o repasse de propina ocorreu de 2010 até pelo menos 2012, superando US$ 56,5 milhões (aproximadamente R$ 200 milhões). Os pagamentos indevidos foram feitos pelo chamado setor de operações estruturadas da Odebrecht por meio de pagamentos em espécie e contas no exterior em nome de empresas offshores com sede em paraísos fiscais. Géssica Brandino – Folha de São Paulo.

São cumpridos quatro mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 17 mandados de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo. Entre os alvos estão três ex-funcionários da Petrobras e três operadores financeiros, um deles suposto intermediário de pagamentos a políticos do MDB. Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo a investigação, ex-funcionários da Petrobras indicam que há provas de repasses de cerca de US$ 25 milhões (mais de R$ 85,6 milhões). Os valores foram transferidos de forma gradativa para diferentes contas no exterior, dificultando o rastreamento dos repasses.

Provas obtidas durante a investigação também indicam que cerca de US$ 31 milhões (mais de R$ 102,5 milhões) foram destinados a intermediários de políticos do MDB, por meio de pagamentos no exterior, depois repassados em espécie e no Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: