fbpx

PSDB de luto pela morte da vice-prefeita de Coronel Ezequiel, Irma Dias

Faleceu na manhã desta terça-feira (28), a vice-prefeita de Coronel Ezequiel, Irma Dias (PSDB), na região do Trairi. Estava acometida de uma pancreatite aguda. Faleceu aos 40 anos. Professora de Ensino Fundamental, é filha do ex-prefeito Antônio Faustino, que administrou Coronel Ezequiel por três vezes. Externo nosso profundo sentimento de pesar aos amigos, familiares e correligionários.

Em março de 2020, Irma Dias assinou a ficha do PSDB para concorrer à reeleição, na chapa do prefeito Cláudio Marques, o Boba do MDB. Nas urnas tiveram 59,45% dos votos. Professora de ensino fundamental, Irma via na política a possibilidade de ajudar os mais vulneráveis. Recentemente, estava mais engajada no movimento do PSDB Mulher, onde participou do último encontro que valorizou a gestão feminina.

Irma estava no terceiro mandato de vice-prefeita em Coronel Ezequiel. Deixa o filho Bernardo, para quem volto minhas orações para que Deus saiba preencher a lacuna da saudade ao longo da caminhada da vida.

Ezequiel Ferreira
Presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte
Presidente do PSDB/RN

Mossoró perde quase 5 mil doses de vacina por fim do prazo de validade

4.782 doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 foram perdidas em Mossoró, a informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde de Mossoró nesta terça-feira (28). Os imunizantes passaram do prazo de validade após o descongelamento e não podem mais ser utilizadas.

O coordenador do programa municipal de imunização, Etevaldo de Lima, explicou que há público, mas que faltou interesse da população na procura da vacina. O coordenador lembrou ainda que após o descongelamento as vacinas devem ser aplicadas em até 31 dias.

“Público nós temos. O que está faltando é parte desse público buscar a vacinação contra a covid. Nós usamos de todas as estratégias, pontos extras de vacinação, vacinamos de domingo a domingo, porém a população não quer”, disse Etevaldo.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró – a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte – o número de pessoas com a D3 em atraso é de 8.127. Em relação a D2 o número é ainda maior, são 11.280 pessoas que ainda não procuraram os pontos de vacinação para dar continuidade ao esquema.

Etevaldo de Lima faz um alerta ao dizer que outros imunizantes correm o mesmo risco de serem descartados por terem excedido os prazos de conservação estipulados na bula. Segundo a secretaria, o próximo lote da Pfizer com cerca de 7 mil doses, se vence no dia 15 de janeiro.

No caso da vacina Coronavac, após aberto o frasco, as doses devem ser aplicadas em até 8 horas. E para Astrzeneca, o prazo de aplicação após aberto o frasco é de 48 horas.

Leia maisMossoró perde quase 5 mil doses de vacina por fim do prazo de validade

Centrão teme custo eleitoral da postura antivacina de Bolsonaro em 2022

Jair Bolsonaro abraça o presidente do PL, o ex-deputado Valdemar Costa Neto Foto: Reprodução/ Youtube

O discurso antivacina de Jair Bolsonaro tem causado incômodo em caciques do Centrão, especialmente no PL, partido ao qual o presidente se filiou. A avaliação de alguns líderes é que as falas de tom negacionista do presidente têm afetado a sua popularidade e podem respingar em outros candidatos da sigla ou quem se disponha a enfrentar a disputa eleitoral do ano que vem a seu lado. Mesmo ontem, quando o Ministério da Saúde publicou uma nota que indicava a “recomendação” para a imunização contra a Covid-19 de crianças, Bolsonaro fez questão de afirmar que não vacinará sua filha Laura, de 11 anos. O presidente segue afirmando que ele próprio ainda não se vacinou.

No início de dezembro, o manda-chuva do PL, Valdemar Costa Neto, disse a um líder do PP que precisava “conversar com calma” com Bolsonaro, porque ele “precisa tomar vacina” contra a Covid-19. Apesar desse desconforto da cúpula da base aliada do governo, pessoas próximas do presidente reconhecem que ele provavelmente manterá o tom negacionista que agrada à parte mais radical do seu eleitorado.

Assim, nos últimos dias, Bolsonaro elevou os decibéis das críticas à vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos de idade. Segundo o presidente, “não está havendo morte de crianças que justifique algo emergencial”. Conforme O GLOBO mostrou, 301 crianças desta faixa etária para a vacinação morreram de Covid-19desde a chegada do coronavírus ao país, ou uma a cada dois dias.

Aliados do presidente são céticos sobre as chances de mudar a postura de um político que costuma ignorar conselhos de moderação. Por isso, pessoas próximas a Bolsonaro apostam numa estratégia para minimizar os danos causados pelo discurso antivacina.

— A gente precisa vacinar o povo. Mesmo com toda essa situação pessoal do presidente, o Brasil é o país que mais vacinou no mundo. as famílias têm a tradição de vacinação — minimiza o senador Wellington Fagundes (PL-MT).

Leia maisCentrão teme custo eleitoral da postura antivacina de Bolsonaro em 2022

Ausência de Dilma ‘problema’ em jantar de Lula gera polêmica

Os golpes começam assim', ataca Dilma sobre grampos, na posse de Lula -  Jornal O Globo

A ausência de Dilma Rousseff no jantar do grupo Prerrogativas que homenageou Lula –e que teve Geraldo Alckmin como convidado especial— segue rendendo polêmica.

PROBLEMA

Ela afirma que não foi convidada para o evento —e seus interlocutores circularam a versão de que Dilma acredita ter virado um problema político para Lula.

NA ESPERA

Já o organizador do jantar, o advogado Marco Aurélio de Carvalho, diz ter certeza absoluta de que seu convite chegou à ex-presidente. Ele afirma que ela era aguardada por todos. “Temos muito carinho e respeito pela Dilma. Sua presença seria uma alegria para todos nós. Lamento pelo ruído de comunicação”, afirma.

SUPERFICIAL

ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo confirma que conversou com Dilma sobre o jantar, “por telefone”. Mas “muito superficialmente”, segundo escreveu em um grupo de WhatsApp.

EM VÃO

Cobrado por Marco Aurélio se ela iria ao evento, Cardozo diz que voltou a procurá-la —mas não conseguiu novo contato. E assumiu a responsabilidade pelo desencontro.

MINHA CULPA

“Pessoal, tem tido alguma especulação sobre a não ida da Dilma no jantar. Gostaria de esclarecer que, de fato, o Marco me pediu que falasse com ela na época, logo que o jantar foi marcado. Eu por telefone falei com ela na época, mas muito superficialmente, ficando de falar com ela mais tarde. Posteriormente, na semana do jantar, o Marco me cobrou se ela iria, eu tentei falar com ela, inclusive porque era aniversário dela, e não consegui falar. Imaginando que alguma outra pessoa tivesse falado com ela eu acabei não fazendo mais nada. Portanto, se houve alguma culpa nesse episódio, ela é desse humilde subscritor que assume a responsabilidade e se penitencia”, escreveu o ex-ministro da Justiça no grupo de advogados.

Folha Uol

O novo dilema de Jair Bolsonaro

Bolsonaro reconhece que proposta do voto impresso pode ser derrotada na  Câmara - Jornal O Globo

Aliados têm aconselhado Jair Bolsonaro (foto) a evitar declarações contra a vacinação contra a Covid em crianças e adolescentes. Para o entorno do presidente, a cruzada bolsonarista contra a imunização infantil pode ter sérios efeitos colaterais em 2022.

Ontem, como mostramos, Bolsonaro disse que sua filha de 11 anos, Laura, não será imunizada.

“Espero que não haja interferência do Judiciário, porque minha filha não vai se vacinar”, disse.

Na visão da chamada ala política do Palácio do Planalto, esse tipo de manifestação não tem ajudado a inflar a base ideológica do presidente nas redes sociais e poderá minar, ainda mais, a popularidade de Bolsonaro junto às mulheres, por exemplo.

“É o tipo de luta perdida”, admitiu um importante aliado a O Antagonista.

Além disso, correligionários do PP, do atual ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, temem que o discurso antivacina seja usado por adversários na campanha do ano que vem, comprometendo a formação da bancada federal do partido.

O antagonista

Rogério Marinho fará retrospectiva das ações de seu Ministério nesta quarta no programa A Voz do Brasil

O ministro do Desenvolvimento Regional, o potiguar Rogério Marinho, será destaque nesta quarta (29) no programa “A Voz do Brasil”, veiculado diariamente nas rádios brasileiras.

No programa, o ministro vai falar sobre as ações do Ministério, um dos principais da gestão do presidente Jair Bolsonaro, que tem trabalhos desenvolvidos em todos os estados brasileiros.

O ministro deverá destacar as atividades no Rio Grande do Norte, no qual o Ministério do Desenvolvimento Regional tem sido um dos principais na destinação de recursos para ações de infraestrutura, especialmente na área hídrica.

“A Voz do Brasil” tem início às 19h em todas as rádios brasileiras.

Fonte: Portal Grande Ponto

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: