fbpx

DENÚNCIA: Hospital Maternidade Santa Luzia utiliza lençol de papel ao invés de tecido para cobrir maca hospitalar em Carnaubais

O caos de fato se instalou na prefeitura de Carnaubais, que é gerenciada pela prefeita Marineide e seu esposo Dinarte Diniz, onde o hospital está entregue as “baratas” e ninguém faz nada.

Segundo o blogueiro Magno Marques, a denúncia foi feita pelo vereador Mario Cesar, que bateu um retrato da situação e ficou indignado com essa dura realidade. De fato, para quem deseja o bem de Carnaubais, essa situação é preocupante e precisa que as autoridades no Estado tomem providências diante de tamanho descaso.

Ninguém sabe ao certo a causa da prefeita Marineide deixar o hospital largado, mas de algo todo o RN tem certeza, que a prefeita tem preferido beneficiar seus familiares e fazer contratos milionários para ser conhecida como a rainha da gastança de dinheiro público do vale do Açu, ao invés de cuidar da população e zelar pela aplicação correta dos recursos públicos.

Enquanto a prefeita anda de Hilux, tem dinheiro para pagar plano de saúde e hospital particular, e ainda deu bons salários para toda a família Diniz, já a população vive a mercê do sistema de saúde público que está a cada dia pior nessa gestão, pois ela não cuida e prefere gastar com cargos e contratos milionários.

Muitos hospitais e clínicas optam pelo lençol hospitalar de papel, já que a grande rotatividade exige soluções práticas onde a preocupação está somente na troca rápida e a utilização do lençol descartável é compatível com a necessidade para as situações de consultas e exames.

Já em outras situações, onde o paciente fica no local por mais tempo, é necessário que o lençol possua boa qualidade. Sendo assim, o lençol de tecido é a melhor opção, já que transmite uma imagem de preocupação com o conforto do paciente.

A Prefeitura de Carnaubais deve ficar atenta a tudo isso, pois é sua responsabilidade prestar um serviço de qualidade e que proporcione o minimo de conforto as pessoas que necessitam dos serviços de saúde.

‘Fátima sabia do risco de perder dinheiro e continua protegendo Consórcio Nordeste’, diz Kelps

Após mais de quatro meses de trabalho e pedidos de indiciamento contra 12 pessoas por evidências de irregularidades em diversos contratos firmados durante o enfrentamento da pandemia da Covid-19, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Kelps Lima (Solidariedade), acredita que a redação final do relatório do colegiado será fechada até a segunda quinzena de fevereiro de 2022. Até lá, o texto que foi entregue para revisão da Procuradoria do Legislativo será encaminhado aos órgãos de controle e investigação.

Em entrevista à Tribuna do Norte, Kelps Lima Lima defendeu o pedido de indiciamento contra a governadora Fátima Bezerra (PT) aprovado na última quinta-feira (16). Ele aponta que houve omissão da governadora durante o processo de respiradores pulmonares através do Consórcio Nordeste — contrato firmado no primeiro semestre de 2020. A compra frustrada terminou com prejuízo de R$ 5 milhões ao erário. “Ela sabia, desde o início [do processo de compra dos respiradores], o risco de perder o dinheiro do povo do Rio Grande do Norte”, reforçou.

E completou: “ O dolo da governadora [Fátima Bezerra] é evidente. Ela continua apadrinhando os membros do Consórcio Nordeste, como Carlos Gabbas [secretário-executivo do Consórcio] e o governador da Bahia, Rui Costa. Ela deixou manifesta a intenção de proteger o Consórcio Nordeste e ela sabia, desde o início [do processo de compra dos respiradores], do risco de perder o dinheiro do povo do Rio Grande do Norte, na medida que o governo não teve as cautelas jurídicas necessárias na Lei dos Consórcios. Ela assumiu o risco de perder o dinheiro. E, de fato, perdeu. E mais, a governadora atenta contra o povo do Rio Grande do Norte, pois ela permanece participando do Consórcio Nordeste e ainda endossa as ações dos agentes políticos do partido do qual ela faz parte e participaram do esquema”.

Leia a notícia completa aqui na Tribuna do Norte.

Fonte: Blog do BG

Senado também derruba veto, e previsão de até R$ 5,7 bilhões para fundo eleitoral de 2022 será promulgada

O Congresso Nacional derrubou nesta sexta-feira (18) o veto do presidente Jair Bolsonaro a um trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), mantendo a previsão de R$ 5,7 bilhões em recursos públicos para o fundo eleitoral em 2022.

Com a decisão dos deputados e senadores, o trecho da LDO será promulgado e entrará em vigor. A aprovação do novo valor do fundo eleitoral foi respaldada por parlamentares da base e da oposição.

Na Câmara, foram 317 votos a favor da derrubada e 146 contra. No Senado, foram 53 votos pela derrubada e 21 pela manutenção do veto.

O PL, partido de Jair Bolsonaro, defendeu a derrubada do veto assinado pelo presidente na Câmara e no Senado, Congresso derruba veto, e previsão de R$ 5,7 bilhões para fundo eleitoral de 2022 será promulgado. Da mesma forma, legendas do chamado “centrão”, como o PP e o Republicanos, orientaram a favor da medida. Deputados do PT também apoiaram o fundo eleitoral de até R$ 5,7 bilhões.

Partidos como o PSOL, Novo, Podemos e PSL orientaram que suas bancadas votassem contra o aumento do fundão.

Durante a sessão, parlamentares afirmaram que, apesar da derrubada do veto, ainda não está definido qual será o valor do fundo eleitoral para 2022.

Leia maisSenado também derruba veto, e previsão de até R$ 5,7 bilhões para fundo eleitoral de 2022 será promulgada

Justiça determina fim da cobrança de tarifa no circular da UFRN

O juiz Francisco Seráphico da Nóbrega Coutinho, da 6ª Vara da Fazenda Pública, determinou em decisão judicial publicada na tarde desta sexta-feira (17), a volta da gratuidade na linha 588, conhecida como “circular da UFRN”. A decisão é em primeiro grau e cabe recurso.

A ação judicial foi movida pela deputada federal Natália Bonavides (PT). O magistrado observou, em sua decisão, que a extinção da linha 588 “não poderia ser extinta sem uma decisão fundamentada no interesse público, na viabilidade técnica e com participação do Conselho Municipal de Transporte e Mobilidade, respeitado o prazo mínimo de 120 (cento e vinte) dias entre o pedido e a extinção”, conforme prevê a Lei Municipal nº 622, de 8 de outubro de 2020, que dispõe sobre a alteração de itinerário, modificação de linhas e horários de circulação de ônibus integrantes da frota de Concessionárias de Serviço Público de Transporte Coletivo Municipal.

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) anunciou no começo de dezembro o retorno da linha que circula pelo campus da UFRN, porém, com cobrança de tarifas e com o nome de “Alimentador UFRN”. A pasta apontou que a cobrança seria temporária e que a gratuidade poderia ser retornada à medida que as aulas na universidade voltassem. O anúncio gerou insatisfações na comunidade estudantil, que promoveu um ato em frente à secretaria no dia 02 de dezembro.

Na nova sistemática, os estudantes da capital poderiam usar a integração e não pagariam pelo uso do transporte até o campus.

Portal 98FM Natal

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: