fbpx

Ex-coordenadora do PNI diz que ‘líder da nação’ prejudicou vacinação

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva da ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde.   A comissão quer saber mais sobre detalhes da vacinação contra a Covid-19 no Brasil e também especificamente sobre as diretrizes dadas para a vacinação de mulheres grávidas.   À mesa, ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Francieli Fantinato.   Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

A ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde Francieli Fantinato responsabilizou o presidente Jair Bolsonaro pela “politização” e pelo atraso na vacinação contra o coronavírus. Em depoimento à CPI da Pandemia nesta quinta-feira (8), a enfermeira disse que “o líder da nação” colocou em dúvida a eficácia dos imunizantes.

— Não dá para colocar em dúvida a vacinação como um meio efetivo para o controle da pandemia. Ter uma politização do assunto por meio do líder da nação, que traz elementos que muitas vezes colocam em dúvida… Enquanto coordenadora do PNI, preciso de apoio favorável à vacinação. Quando o líder da nação não fala favorável, a minha opinião pessoal é que isso pode trazer prejuízos — disse.

Francieli disse que pediu exoneração do cargo depois que “a politização do assunto chegou a um limite”. Ela afirmou que, durante a gestão do PNI, não recebeu do Poder Executivo vacinas suficientes e campanhas publicitárias efetivas para assegurar a imunização da população.

— Por que o maior programa de vacinação do mundo teve dificuldades em executar o seu papel? Faltou quantitativo suficiente [de vacinas] para uma execução rápida e faltou campanha publicitária. O PNI, estando sob qualquer coordenação, não consegue fazer uma campanha exitosa sem vacinas e sem comunicação. Para um programa de vacinação ter sucesso é simples: é necessário ter vacinas e campanha publicitária efetiva. Infelizmente, não tive nenhum dos dois — disse.

Leia maisEx-coordenadora do PNI diz que ‘líder da nação’ prejudicou vacinação

Mais um deputado diz que seu candidato ao Senado é Rogério Marinho

O deputado estadual Zé Dias (PSDB) declarou apoio à pré-candidatura do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para o Senado pelo Rio Grande do Norte. Embora o auxiliar do presidente Jair Bolsonaro não admita disputar o cargo, interlocutores afirmam que essa é a preferência do ministro para as eleições de 2022, mas a decisão também passa pelo presidente da República.

“Meu candidato é Rogério e eu acho o seguinte: atualmente – e digo isso sem nenhuma dúvida – Rogério é o político do Rio Grande do Norte hoje mais competente, com uma experiência muito grande e é um cara articulado, inteligente. O Rio Grande do Norte ganharia e muito com ele no Senado Federal”, disse o parlamentar em entrevista ao jornal Repórter 98, da 98 FM, na noite desta quarta-feira (07).

O deputado ainda classificou o ministro como “um quadro excepcional” e disse que não vota por “populismo”, mas por um “julgamento de valor”.

Fonte: Portal Grande Ponto

Sem provas, Bolsonaro insinua fraude e ameaça eleição de 2022

Bolsonaro defende fim do horário de verão: 'Medida não traz ganho' -  Notícias - R7 Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a fazer hoje uma ameaça às eleições de 2022. Um dia depois de citar, mais uma vez sem provas, a existência de fraude nas urnas eletrônicas, Bolsonaro afirmou que não haverá disputa eleitoral no ano que vem se não houver “eleições limpas”. A insinuação infundada é a de que poderia haver fraude nas atuais urnas para derrotá-lo no ano que vem.

Eleições no ano que vem serão limpas. Ou fazemos eleições limpas no Brasil ou não temos eleiçõesJair Bolsonaro, que deve tentar a reeleição no ano que vem

A declaração de Bolsonaro foi feita em conversa com apoiadores na manhã de hoje, em Brasília. Ontem, em entrevista à rádio Guaíba, em Porto Alegre, o presidente havia afirmado que se o Congresso não aprovar o voto auditável nas eleições de 2022 haverá “problemas” para os parlamentares.

“Se esse mesmo (sistema) continuar, sem a contagem pública, eles vão ter problema porque algum lado pode não aceitar o resultado. Esse algum lado, obviamente, é o nosso lado. Nós queremos transparência”, disse.

Desde a adoção das urnas eletrônicas no Brasil, em 1996, nunca houve comprovação de fraude nas eleições. Essa constatação foi feita não apenas por auditorias realizadas pelo TSE, mas também por investigações do MPE (Ministério Público Eleitoral) e por estudos independentes.

Além disso, as urnas eletrônicas são auditáveis e este procedimento é feito durante a votação. O processo é chamado Auditoria de Funcionamento das Urnas Eletrônicas (ou “votação paralela”). Na véspera da votação, juízes eleitorais de cada TRE (Tribunal Regional Eleitoral) fazem sorteios de urnas já instaladas nos locais de votação para serem retiradas e participarem da auditoria.

Leia maisSem provas, Bolsonaro insinua fraude e ameaça eleição de 2022

Prefeitura de Macau instala usina de oxigênio para abastecer o Hospital Municipal Antônio Ferraz

A prefeitura da cidade de Macau, sob o comando do prefeito Zé Antônio, concluiu nessa quinta feira a instalação de uma usina de oxigênio para a abastecer o Hospital Municipal Antônio Ferraz.

Segundo informações da empresa Dinatec, a prefeitura de Macau é mais uma a instalar usina de oxigênio no RN. “A iniciativa da prefeitura de Macau é muito importante na medida que a unidade de saúde passa a gerir 100% do oxigênio próprio, produzido no local, acabando com a logística de transporte e entrega do produto”, declarou o representante da empresa.

A vantagem da instalação de uma usina no município é ofertar um maior volume de oxigênio para atendimento aos pacientes que necessitam do gás no tratamento de várias enfermidades, nesse momento de pandemia para os casos mais graves da Covid 19, além de trazer uma considerável diminuição das despesas com a aquisição desse insumo, haja visto que o oxigênio produzido na usina tem um custo por m3 mais baixo do que o adquirido em cilindros, além de tornar o munícipio autossuficiente na produção e armazenamento de oxigênio.

As usinas de oxigênio em unidades de saúde privadas e públicas vem crescendo muito no Brasil, principalmente depois dos problemas causadas pela crise de abastecimento de oxigênio em Manaus.

De Janeiro até Junho, já foram instaladas 07 usinas no estado do RN, outras 03 serão instaladas até Agosto e vários municípios e hospitais privados estudam a possibilidade de aderir a esse modelo de abastecimento.

 

“Não precisam doar cesta básica. Paguem impostos”, diz Guedes a empresários

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que pode mudar qualquer coisa no projeto de reforma tributária para evitar risco de aumentos de impostos. Fez a promessa em almoço com empresários e banqueiros em São Paulo na 5ª feira (8.jul.2021). Aceita inclusive um cronograma de um período de transição para que as novas regras entrem em vigor.

Mas Guedes disse aos presentes (eis a lista) que não poderia abrir mão da cobrança de uma taxa de 20% sobre lucros e dividendos, dinheiro hoje pago a acionistas de empresas sem a necessidade de recolher impostos.

Na sua argumentação, o ministro disse que no mundo inteiro desenvolvido a receita é taxar menos as empresas e mais as pessoas físicas.

Vocês não precisam dar cestas básicas. É só pagar os impostos. E têm de pagar sobre dividendos. Nós vamos compensar com imposto mais baixo nas empresas. Esta é a única chance que teremos de melhorar o sistema tributário. É uma janela de oportunidade fantástica. Eu estou disposto a fazer mudanças. Não vamos jogar fora esta oportunidade. Vamos aperfeiçoar o projeto”, disse o ministro da Economia no almoço –que foi organizado pelo empresário João Camargo, que criou a empresa de eventos e relacionamento Esfera Brasil, para competir com o Lide, do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Ao longo do almoço, Guedes foi confrontado com várias situações de difícil solução. Por exemplo: empresas que em seus setores são obrigadas por lei a criar as chamadas SPE (Sociedade de Propósito Específico). Isso ocorre com shopping centers ou com empresas que atuam com concessões públicas.

Pela nova regra que a reforma tributária propõe, quando a empresa principal (a holding) repassar fundos para uma nova SPE para investir em um negócio que está sendo criado, terá de pagar imposto sobre o lucro usado na operação. Isso tornará novos investimentos em infraestrutura muito difícil.

Leia mais“Não precisam doar cesta básica. Paguem impostos”, diz Guedes a empresários

Os dois chefes do Centrão no áudio de Bolsonaro

Bolsonaro afirma que Arthur Lira faz 'trabalho excepcional' na Câmara -  Jornal O Globo

“Jair Bolsonaro, em sua conversa com Luis Miranda, além de citar Ricardo Barros, acusando-o de comandar o esquema da Covaxin, citou também outros dois chefes do Centrão.

Um palpiteiro mais cauteloso do que eu ocultaria seus nomes, a fim de evitar o risco de ser desmentido, mas a cautela nunca foi um de meus atributos – e sem esses nomes o caso perde seu verdadeiro alcance. Jair Bolsonaro, segundo minha fonte, em quem eu confio inteiramente, citou Arthur Lira e Ciro Nogueira.

O sociopata sabe que sua conversa com Luis Miranda foi gravada. Ele sabe igualmente que, se o áudio da conversa for divulgado, seu mandato vai para a cucuia.”

Com informações o Antagonista

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: