fbpx

Prefeitura do Assú quer conter COVID mas decreta feriadão na cidade para que prefeito e sua trupe possam “curtir”

A maioria dos gestores espalhados pelo país, entendem que antecipar feriados e decretar o feriadão, causa mais aglomeração do que mantê-los em suas respectivas datas. Mas o prefeito Gustavo Soares que não sabe “nem falar”, tem a brilhante idéia de antecipar o feriado de São Pedro, e proporcionar nessa semana, um dos maiores feriadões na cidade.

Não é difícil entender porque Gustavo e sua trupe amam feriado, não respeitam regras de restrição e aglomeram, como as informações que obtemos de que no último feriado, o deputado George Soares foi visto no Cristo Redentor no Rio de Janeiro e em bares no bairro de Ipanema ao lado da família de sua esposa, e a vice Fabielle foi vista na rica praia de Jericoacara no Ceará. Então pra eles o feriado importa né?! E como se não bastasse, a maioria do seu secretariado vive de curtição nas praias de Ponta do Mel e Rosado, com direito a banda e tudo.

O prefeito nem se fala, desde que foi flagrado com uma foto e um litro de oldpar em seu casamento que ele tentou esconder do povo, que tem sido mais precavido, não aceita bater foto de jeito nenhum, como foi o caso de sua lua de mel nas Ilhas Maldivas, em que ele só desapareceu da cidade e pronto.

Então pra esse trio de descontrolados, a melhor coisa da vida é dar feriados, afinal, ganham muito bem pra torrarem em viagens enquanto o povo sofre com o caos na saúde. George ganha bem e ainda tem cunhadas e primos nomeados no seu gabinete e em Brasília, Fabielle tem o marido nomeado em um desses gabinetes, e o prefeito tem seu salário bem alto sem residir em Assú, e ainda tem sua madrasta e sua irmã nomeadas no gabinete em Brasília, então porque não viajar e curtir? Já que a conta bancária não diminui, pelo contrário, só aumenta as custas do povo do Assú.

Nelter Queiroz lamenta morte do menino Nathan e pede que Governo do RN realize blitzes educativas e construa lombadas entre Acari e Gargalheiras

O deputado Nelter Queiroz (MDB), durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, nesta terça-feira (22), estendeu solidariedade à população de Acari em virtude da morte – por atropelamento – do menino Nathan Félix, de apenas 10 anos, ocorrida no último13 de junho, na estrada de acesso à comunidade Gargalheiras, zona rural de Acari.

“Quero aqui render minhas homenagens, minha solidariedade e minhas condolências à toda população de Acari e dizer que nosso mandato se junta ao do vereador Rafael Bezerra e cobra a melhoria da sinalização e a construção de lombadas entre a sede do município de Acari e Gargalheiras”, destacou o deputado.

Além das lombadas, Queiroz também cobrou a realização de blitzes educativas aos finais de semana e voltou a protestar contra o Governo do Estado pela realização de blitzes com foco direcionado apenas na apreensão de motos atrasadas dos trabalhadores mais humildes do Rio Grande do Norte.

ESTRADAS

Em seu pronunciamento o parlamentar também cobrou do Governo do Rio Grande do Norte, via Departamento de Estradas de Rodagens (DER), a recuperação asfáltica das seguintes rodovias: estrada que liga Carnaúba dos Dantas ao Povoado Ermo; RN-081, que dá acesso ao município de Santana do Seridó e deste até o Estado da Paraíba; RN-288, entre os municípios de Carnaúba dos Dantas, Acari, Cruzeta, São José do Seridó, Caicó e Jardim de Piranhas; e RN-118, entre Jucurutu e São Rafael até a BR-304.

Atendendo mais um pleito da vereadora Lucianny Guerra, de Assú, Queiroz solicitou ao DER e ao Ministério do Turismo a elaboração de projeto e destinação de recursos para a pavimentação asfáltica do acesso turístico ao santuário da Irmã Lindalva.

OITICICA

Por fim, o deputado comunicou que receberá, nesta quinta-feira (24), na barragem de Oiticica, em Jucurutu, os ministros Rogério Marinho e Fábio Faria, e o presidente Jair Bolsonaro.

Líderes parlamentares debatem CPI da Covid, Saúde, Economia e visita presidencial

O deputado estadual Kelps Lima (SDD) comentou no horário destinado às lideranças, na sessão desta terça-feira (22), na Assembleia Legislativa, sobre os próximos passos da CPI que será aberta na Casa, para apurar possíveis irregularidades na gestão da pandemia do Governo do Estado. “Naturalmente haverá muitas articulações e isso é legítimo”, afirmou o parlamentar, que acredita numa comissão formada em sua maioria por deputados de oposição.

Em seu pronunciamento, o deputado Hermano Morais (PSB) destacou a assinatura de protocolo de intenções de uma empresa do Panamá, para instalação, no município de Guamaré, de indústria de PVC, dentro do projeto de implantação de um polo cloroquímico no Rio Grande do Norte. “A assinatura do protocolo é a materialização do trabalho que vem sendo feito há bastante tempo”, disse o parlamentar, lembrando que o investimento que poderá chegar a US$ 5 bilhões, poderá abrir pelo menos 40 mil empregos.

“Um alento, algo muito animador, uma nova perspectiva de desenvolvimento”, acenou Hermano, citando o Estado como rico em potenciais econômicos. O deputado citou um trabalho que vem sendo feito pelo seu mandato, inclusive com discussões com o secretário de Desenvolvimento do Estado, Jaime Calado, e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

O deputado Getúlio Rêgo (DEM) voltou a criticar a Saúde pública estadual, desta vez citando caso de paciente do município de Tangará, que espera na fila para uma cirurgia considerada prioritária no Hospital da Polícia Militar. “Será que para a Secretaria de Saúde, prioridade é sinônimo de sofrimento, de agonia, de dor?”, questionou o parlamentar.

Leia maisLíderes parlamentares debatem CPI da Covid, Saúde, Economia e visita presidencial

Tomba Farias ressalta aumento da fila de pacientes com liminares

No pronunciamento durante a sessão plenária híbrida desta terça-feira (22) o deputado Tomba Farias (PSDB) criticou o governo estadual pela gestão da Saúde. O parlamentar disse que o Rio Grande do Norte “vive um descalabro na saúde” e que além da covid, outros problemas tão ou mais graves quanto vem tirando a vida dos potiguares.

“Aqui já se falou sobre o problema dos pacientes vasculares, que sofrem e agonizam com a dor sem ter a quem recorrer. O hospital Ruy Pereira foi fechado e hoje eles são encaminhados para o Hospital da Polícia, mas essa semana precisamos recorrer três vezes à Justiça porque esses pacientes estavam com laudos médicos indicando que poderiam ir a óbito e as liminares foram concedidas”, afirmou o deputado.

Tomba afirmou que as pessoas precisam recorrer à Justiça pois a Saúde não está funcionando. “Agora temos a fila das liminares, a fila pra se obter saúde e assim se vai, caminhando a passos de tartaruga e me solidarizo com essas famílias por esse momento de angústia e de dor”, lamentou o deputado.

Deputados definem cinco membros para compor CPI da Covid

A reunião da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa deliberou o encaminhamento dos membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar os gastos do Governo do Estado durante a pandemia da Covid-19. A Comissão será composta por 5 membros. Outro ponto em questão é a indicação dos nomes por parte dos blocos partidários que deverá ser feita até esta quarta-feira (23).

Caso sejam compostos mais de cinco blocos partidários e, consequentemente, sejam indicados mais do que o limite de integrantes da CPI, as vagas serão sorteadas. Feito isto, a instalação da CPI será efetivada pelo presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza, agendando a sua primeira sessão, quando serão escolhidos o presidente e o relator do colegiado.

Como de praxe, as vagas de presidente e relator da CPI devem ser ocupadas por um representante da oposição e outro da situação – como prevê o regimento interno. O próximo passo – após a definição dos membros e quantitativo – será o início das atividades da CPI da Covid.

CPI da Covid aprova lista de Renan que transforma 14 pessoas em investigados

CPI da Pandemia: Renan Calheiros volta aos holofotes e pressiona o governo  - Jornal O Globo

Os senadores da CPI da Covid aprovaram a mudança na condição de 14 pessoas, que passaram da condição de testemunha para investigados pela comissão.

Renan apresentou na sexta-feira (18) a lista de investigados, incluindo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o ex-chanceler Ernesto Araújo e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Governistas reclamaram que a lista não foi votada pelo colegiado, para tentar anulá-la. O presidente Omar Aziz (PSD-AM) então decidiu colocá-la em votação, gerando ainda mais protestos.

Marcos Rogério (DEM-RO) então reclamou que isso não poderia ser feito, segundo o regimento interno do Senado.

“Estou fazendo porque eu posso”, respondeu Omar Aziz.

Os senadores também fizeram um minuto de silêncio, em homenagem aos 500 mil mortos em decorrência da Covid-19.

UOL

Governo comprou vacina indiana Covaxin por preço 1.000% mais alto do que o estimado pelo fabricante

Covid-19: Albert Einstein anuncia realização de testes de fase 3 da vacina  Covaxin em São Paulo | São Paulo | G1

Documentos do Ministério das Relações Exteriores mostram que o governo comprou a vacina indiana Covaxin por um preço 1.000% maior do que, seis meses antes, era anunciado pela própria fabricante. Telegrama sigiloso da embaixada brasileira em Nova Délhi de agosto do ano passado, ao qual o Estadão teve acesso, informava que o imunizante produzido pela Bharat Biotech tinha o preço estimado em 100 rúpias (US$ 1,34 a dose).

Em dezembro, outro comunicado diplomático dizia que o produto fabricado na Índia “custaria menos do que uma garrafa de água”. Em fevereiro deste ano, o Ministério da Saúde pagou US$ 15 por unidade (R$ 80,70, na cotação da época) – a mais cara das seis vacinas compradas até agora.

Diferentemente dos demais imunizantes, negociados diretamente com seus fabricantes (no País ou no exterior), a compra da Covaxin pelo Brasil foi intermediada pela Precisa Medicamentos. A empresa virou alvo da CPI da Covid, que na semana passada autorizou a quebra dos sigilos telefônico, telemático, fiscal e bancário de um de seus sócios, Francisco Maximiano. O depoimento do empresário na comissão está marcado para amanhã.

Leia maisGoverno comprou vacina indiana Covaxin por preço 1.000% mais alto do que o estimado pelo fabricante

Ministro cobra cronograma para governo Fátima repor R$ 20 milhões de Oiticica

O ministro do Desenvolvimento Econômico Rogério Marinho cobrou, em entrevista à InterTV, que o governo de Fátima Bezerra (PT) reponha cerca de R$ 20 milhões que foram retirados da obra da barragem de Oiticica. “Mandamos três ofícios [ao governo estadual] que estabelecesse cronograma de reposição para que a obra seja concluída”, declarou. Ele destacou que o presidente Jair Bolsonaro vai, na quinta-feira (24), visitar as obras na barragem, que fica no município de Jucurutu.

Rogério Marinho já disse em outras ocasiões que a intenção do governo Bolsonaro é concluir a obra ainda no final de 2021, por isso o Governo Federal está empenhado em destinar os recursos necessários para essa conclusão.

Marinho já havia cobrado do governo Fátima, em outras ocasiões, a reposição dos recursos para que a obra de Oiticica seja concluída. Em resposta, o governo divulgou, à época, uma nota afirmando que os recursos aos quais o ministro se referiu foram bloqueados através de uma decisão judicial de 2019. Ainda segundo o governo, “O STF concedeu uma liminar em março de 2020, a pedido da PGE, suspendendo novos bloqueios de verbas de convênios para construção de barragens no RN.

Ainda segundo a nota divulgada, “o prazo legal para a reposição dos recursos só se esgota no fim da obra da Barragem de Oiticica”.

Fonte: Portal Grande Ponto

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: