fbpx

Após grampos, Lava Jato descartou prisão para não tornar Lula ‘mártir vivo’

A força-tarefa da Operação Lava Jato viveu um momento de euforia com os grampos divulgados entre a então presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (ambos do PT) em março de 2016 e, ao mesmo tempo, de cautela por temer transformar em “mártir” o petista.

Procuradores debateram que não havia “espaço político” para prisão naquele momento. Os diálogos no aplicativo Telegram —apreendidos em operação que prendeu hackers— tiveram o sigilo suspenso pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski.

Procurado, o MPF (Ministério Público Federal) não se manifestou sobre as mensagens.

‘Caraca!!!’

“Caraca!!!”, escreveu o procurador Paulo Galvão em um grupo da Lava Jato em aplicativo de mensagens. “Dá-lhe, Gilmar!”, comemorou em seguida a procuradora Jerusa Viecili -o ministro do STF havia vetado posse de Lula no governo Dilma como ministro da Casa Civil.

Na mesma conversa de 18 de março, o procurador Andrey Borges de Mendonça sugeriu: “Agora vamos preparar a denúncia e se, até lá, estiver ok, apresentamos para o Moro”. Na sequência, ele lembrou que o petista também poderia ser denunciado em Brasília por obstrução à Justiça.

Leia maisApós grampos, Lava Jato descartou prisão para não tornar Lula ‘mártir vivo’

Gratificação de Lula Soares pode ser indicio de cargos “fantasmas” na Prefeitura do Assú e fazer parte de novo esquema dos gafanhotos


O odontólogo Luis Eduardo, conhecido como Lula Soares, é dentista por formação, mas apareceu no Diário Oficial do município do Assú de ontem, com a designação de uma função com gratificação para ele com cargo de professor, lotado na Secretaria de Educação para desempenhar a função de Diretor de Ações Educacionais.

Essa publicação que tem erro claro no cargo dele e função, pode ser um indicio de uma manobra do prefeito Gustavo Soares e Fabielle Bezerra para que pessoas sejam nomeados em cargos fantasmas, e assim, eles façam quem sabe um caixa 2 já prevendo que haverá eleições suplementares.

Todos lembram que na gestão do pai do atual prefeito, o maior ficha suja Ronaldo Soares, aconteceu o maior esquema de roubalheira e de corrupção com a “quadrilha dos gafanhotos”, que surrupiaram mais de R$ 1 milhão dos cofres públicos, e agora, supostamente pode estar acontecendo um novo esquema na Prefeitura.

O estranho nisso que está com cheiro de maracutaia, é que todos conhecem e sabem qual a formação de Lula, então como publicar um erro desse? Isso só revela que deve haver sim uma fiscalização dos cargos e funções pelo Ministério Público dentro da Prefeitura do Assú.

Primeiro lote do IFA para vacina da Fiocruz chega hoje ao Brasil

O primeiro lote do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) para a produção das vacinas Oxford/AstraZeneca na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) tem chegada prevista para as 17h50 deste sábado (5) no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. O IFA possibilitará a produção de mais 2,8 milhões de doses da vacina contra a covid-19, que já começou a ser aplicada no país a partir de 2 milhões de doses prontas importadas da Índia no mês passado.

O insumo foi fabricado no laboratório Wuxi Biologics, na China, de onde partiu às 20h35 da última quinta-feira (horário de Brasília). O laboratório chinês foi vistoriado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no fim do ano passado e é parceiro da farmacêutica europeia AstraZeneca, que desenvolveu a vacina com a Universidade de Oxford, do Reino Unido.

Depois do desembarque, o IFA será transportado para o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), na zona norte do Rio de Janeiro. Lá, após checagens de controle de qualidade, o insumo deve ser liberado na próxima quarta-feira (10) para descongelamento, já que precisa ser transportado a -55 graus Celsius. O degelo precisa ser feito lentamente, e somente na sexta-feira (12), deve ter início a formulação do lote de pré-validação, necessário para garantir que o processo de produção da vacina está adequado.

Na formulação, o IFA é diluído em outros componentes da vacina, que, entre outras funções, garantem que a armazenagem possa ser feita em refrigeradores comuns, com 2 a 8 graus Celsius. Após a formulação, uma série de outros procedimentos como o envase e a rotulagem preparam a vacina para distribuição. Tal processo conta com rigorosos testes de qualidade, e a previsão é que o primeiro lote de pré-validação da vacina seja liberado para aprovação da Anvisa no dia 18 deste mês.

A Fiocruz esperava inicialmente o envio de 14 remessas de IFA ao longo do primeiro semestre, cada uma com insumo suficiente para produzir 7,5 milhões de doses. As duas primeiras remessas deveriam ter chegado em janeiro, e o contrato prevê que a fundação receba o suficiente para produzir 100,4 milhões de doses até julho. Apesar dos atrasos na chegada do insumo, a Fiocruz afirma que é possível manter o compromisso de entregar a mesma quantidade de doses.

Em fevereiro, em vez de dois lotes, cada um para 7,5 milhões de doses de vacina, a Fiocruz receberá três lotes, que, somados, terão o IFA necessário para produzir as mesmas 15 milhões de doses previstas inicialmente. A chegada dos dois próximos lotes de IFA está programada para os dias 23 e 28 de fevereiro, e a Fiocruz prevê entregar o primeiro milhão de doses prontas entre 15 e 19 de março, e mais 14 milhões de doses até o fim do mês que vem.

No fim de março, a escala de produção da vacina em Bio-Manguinhos deve aumentar de 700 mil doses por dia para 1,3 milhão de doses por dia, o que permitirá entregas maiores: 27 milhões de doses em abril, 28 milhões em maio e 28 milhões em junho. As 2,4 milhões de doses que completam o compromisso de 100,4 milhões devem ser entregues em julho.

Os termos do acordo entre a Fiocruz, a AstraZeneca e a Universidade de Oxford preveem que, inicialmente, o Brasil vai produzir a vacina com IFA importado. Posteriormente, Bio-Manguinhos vai nacionalizar a produção do insumo, o que deve ocorrer no segundo semestre, a partir de um processo de transferência de tecnologia.

Após a nacionalização do IFA, a Fiocruz prevê produzir mais 110 milhões de doses até o fim deste ano, chegando a um total de mais de 210,4 milhões de doses, o que faz da vacina Oxford/AstraZeneca a que tem mais doses programadas para serem aplicadas na população brasileira até o momento.
Segura e eficaz

A aplicação dos primeiros 2 milhões de doses que chegaram da Índia recebeu autorização de uso emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e o pedido definitivo de registro da vacina no país está em avaliação, depois de ter sido concluído no mês passado.

A vacina já foi autorizada pela autoridade sanitária do Reino Unido (MNRA) e também recebeu sinal verde da agência reguladora de medicamentos da União Europeia (EMA). Além do Brasil, outros países como Reino Unido e Índia já iniciaram a aplicação das doses.

A vacina de Oxford tem eficácia geral de 76% 22 dias após a aplicação da primeira dose, e de 82% após a segunda dose, que deve ser aplicada três meses após a primeira. Os dados foram publicados na revista científica The Lancet, uma das mais respeitadas do mundo.

Além de prevenir a doença em mais de 80% dos casos, a vacina apresentou 100% de eficácia contra casos graves e hospitalizações. Isso significa que, durante os estudos clínicos, ninguém que foi vacinado precisou ser internado.

Nelter Queiroz dá puxão de orelha em George “boquinha” Soares e afirma que haverá justiça com novas eleições em Assú

O deputado Nelter Queiroz, conhecido em todo RN por defender o povo que garante a ele ser eleito sempre com margem folgada de voto, foi ontem entrevistado na Fm 89 em Assú e, puxou mais uma vez a orelha do deputado George “boquinha” Soares, que adora cobrar a quem ele apoia, cargos comissionados para seus familiares e não cobra ações concretas pro povo.

O parlamentar esclareceu o processo que foi gerado pelo primo de George, Marcio Soares de Jucurutu, e que não deu em nada, porque não houve compra de voto, diferente do que aconteceu em Assú, em que descaradamente houve o uso da máquina pública em favor de Gustavo Soares e Fabielle, além do dinheiro que foi dado a eleitores em troca do voto, e por isso existem mais de 13 processos na justiça.

Nelter foi enfático ao afirmar que se existe justiça, ele não tem dúvidas que haverá novas eleições, para mostrar ao deputado George Soares que ele não é dono do Assú, principalmente porque Ivan não perdeu a eleição pois com a compra de voto e a possível fraude nas urnas, o resultado foi alterado, então não foi uma eleição justa.

VEJA a entrevista completa nesse link.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: