fbpx

Prefeito Gustavo planeja ceder servidores pra o Fórum Eleitoral como manobra de ser “olhos e ouvidos”

Notícia quentinha chega ao Blog do VT, que informa uma manobra arquitetada pelo deputado George Soares, e que será colocada em prática pelo seu irmão, o prefeito Gustavo Soares. A manobra é para ceder servidores que são seus eleitores e de sua extrema confiança, ao Fórum Eleitoral de Assú, possivelmente com a finalidade ser “olhos e ouvidos” dentro do órgão.

É notório a necessidade de profissionais no órgão, mas é essencial que sejam cedidos após uma seleção criteriosa, por qualificação e competência e não por questões eleitoreiras, tentando prejudicar o processo que deve resultar na cassação da chapa eleita no dia 15 de novembro.

A população do Assú merece mais respeito tanto do prefeito Gustavo quanto da vice Fabielle, que desde que foram notificados dos processos de investigação, agem ardilosamente, seja nomeando parentes para manter o vínculo financeiro dos investigados, seja usando de artifícios como cessões e se favorecer de informações sigilosas, já que só saberiam se alguém de confiança ouvisse lá dentro para repassar a atual gestão.

Quem pensa que as informações não voam estão se enganando, e o pior, as provas também aparecem, então se sujeitar a atitudes reprováveis para beneficiar alguém no poder público pode ter severas penalidades, que não serão compensadas pela chapa Gustavo e Fabielle.

Faltam testes rápidos em Assú e população tem medo de um colapso por incompetência na gestão do prefeito e da vice

A gestão do prefeito Gustavo Soares é um péssimo exemplo, pois nas redes sociais as palavras eficiência e competência são presentes, mas no dia a dia, ele e A vice Fabielle não conseguem fazer a gestão funcionar, e os problemas se amontoam a cada dia.

Recentemente eles tiveram a cara de pau de anunciar que comprariam vacinas com o dinheiro do carnaval e são joão, mas o que o Blog do VT não sabia é que está faltando testes rápidos que são obrigação do estado, mas que a Prefeitura poderia ofertar, já que recebeu recursos do governo federal para ações de combate, e assim, poderiam tentar diminuir a taxa de transmissão na cidade.

Adquirir testes rápidos mesmo não sendo obrigação da Prefeitura, é uma ação que é fundamental nesse momento. Existem dados em todo o mundo, que os locais que ampliaram os testes conseguiram alcançar resultados melhores no enfrentamento ao coronavírus. Mas isso não é importante para a gestão atual.

A dupla que mais mente nas redes sociais em todo o RN, Gustavo e Fabielle, são tão incompetentes, que deixam a população nervosa e com medo de um colapso, porque enquanto eles batem foto em obras estruturantes, as unidades e os serviços de saúde não tem condições de cuidar do povo.

Agora o blog quer saber: as ruas pavimentadas vão garantir que as pessoas se salvem da incompetência de Gustavo e Fabielle e do novo corona vírus? Quem souber a resposta nos informe por favor.

O mundo sendo destruído por um vírus, e uma gestão não prioriza cuidar do povo e salvar vidas. Chega a ser revoltante tudo que a população passa com péssimos governantes.

Suspensão de prova de vida vai até abril, diz presidente do INSS

A obrigatoriedade da prova de vida anual para beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) seguirá suspensa até o fim de abril, disse hoje (23) o presidente do instituto, Leonardo Rolim.

“A partir de maio, volta a ser obrigatório”, afirmou Rolim, que participou nesta segunda de uma transmissão ao vivo pelo canal da Secretaria da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, no YouTube.
A prova de vida anual, obrigatória para que aposentados e pensionistas do INSS não tenham seus benefícios bloqueados, está suspensa desde março do ano passado, em razão da pandemia de covid-19. A suspensão vem sendo prorrogada desde então.

Antes do anúncio desta terça-feira (23), uma portaria publicada em 20 de janeiro havia prorrogado a suspensão da obrigatoriedade até fevereiro. Segundo Rolim, 5,3 milhões de beneficiários deixaram de fazer a prova de vida no ano passado, sem que tivessem seus benefícios bloqueados.
Prova de vida digital

Na transmissão desta terça, foi anunciada a ampliação de um projeto piloto que permite a 5,3 milhões de beneficiários realizarem o procedimento por meio digital. O serviço está disponível no aplicativo MeuGov.br, que pode ser baixado em celulares com sistema operacional Android e iOS.

Apesar da suspensão da obrigatoriedade ter sido novamente prorrogada, o INSS incentiva que os beneficiários regularizem a situação o quanto antes.

Deputado George negligencia Hospital de Assú e SUVISA interdita armário de medicamentos e ainda faltam médicos em plena crise da COVID

Depois que passou a eleição, o deputado “boquinha” George Soares fez o que é de praxe, voltou a negligenciar o Hospital Regional de Assú, que está numa situação mais caótica do que nunca, pois o diretor Alberto Luis abandonou o barco por 60 dias em decorrência de férias, deixando o acúmulo de funções para o diretor administrativo, Marcony Filho, que nunca deu conta da sua pasta, imagine de acumular as duas.

Há meses que as pessoas que trabalham no Hospital Regional de Assú fazem críticas e denunciam que lá falta pulso do diretor administrativo e do diretor geral, o setor de recursos humanos não funciona, e nem a coordenação de enfermagem e a divisão de pessoal. Ou seja, os funcionários trabalham com dificuldades e com regras severas para adversários e sem regras para aliados.

Na última semana, foi constituída uma comissão especial de Saúde na Câmara Municipal do Assú, que foi apurar denúncia feita pela vereadora Lucianny, de que a Suvisa fez uma visita à farmácia do Hospital Regional Dr. Nelson Inácio dos Santos e fez a interdição do armário dos medicamentos psicotrópicos, além de detectar outras irregularidades como falta de geladeira para armazenar medicamentos/iluminação e médicos nas equipes de cuidados intermediários para COVID, medicamentos e insumos com validade vencida, dentre outras.

Os vereadores que integram a comissão ao lado de Lucianny, são Paulo Brito, Paulinho de Marlene, Sônia da Pesca e Avinha Alves.

Prefeito de Natal decide decretar fechamento das praias

O prefeito Álvaro Dias decidiu decretar o fechamento da orla de Natal a partir de amanhã (28). A decisão foi tomada na sexta-feira (26) e havia a precisão de que o decreto com a medida fosse publicado no máximo na manhã de hoje. O fechamento das praias de Natal deve se estender por 15 dias a contar de amanhã, permanecendo em vigor até dia 14 de março. A medida segue tendência nacional de tentar conter o avanço da covid, que nas últimas semana tem registrado aumento de casos e gerado risco de colapso nas redes de saúde pública e privada.

“Vamos fazer o fechamento total da orla a partir de domingo. Sem barracas, sem bares, sem nada. Toda orla será fechada por 15 dias. A princípio. Se sentirmos que poderemos flexibilizar, que houve melhora, o faremos”, afirmou. O decreto também trará uma recomendação para que o comércio promova um rodízio no horário de fechamento. A ideia é evitar aglomerações nos transportes públicos. A proposta é que cada segmento feche em horários diferente, reduzindo desta forma a quantidade de pessoas que vão pegar ônibus em um mesmo horário. Não haverá alteração com relação às escolas particulares.

A Prefeitura mantém o entendimento que os protocolos estabelecidos e o histórico desde a reabertura dos colégios dá segurança sanitária para que as aulas continuem acontecendo.

Além disso, o novo texto da Prefeitura de Natal com relação à covid vai revogar a decisão de retomada do trabalho presencial no serviço público da capital. Álvaro Dias explicou que a partir de segunda-feira todos os que puderem exercer suas atividades de maneira remota estarão autorizados a isso. A determinação de volta ao trabalho foi publicada dia 3 de fevereiro.

O decreto sobre isso determinou a retomada dos expedientes de 8 horas de trabalho. Ficavam fora dessa obrigatoriedade os servidores acima de 60 anos e de outros grupos de risco da covid que apresentassem atestado médico. Parte dos servidores da capital estava em trabalho remoto desde março de 2020, quando foram tomadas as primeiras medidas para conter o aumento de infecções por covid.

A possibilidade de fechar a orla de Natal já havia sido discutida em outro momento da pandemia. Em maio de 2020, apenas dois meses após a chegada da doença no Estado, o governo estadual publicou decreto recomendando o fechamento de orlas urbanas em todo o Rio Grande do Norte.

Já naquela ocasião prevalecia o entendimento de que esse tipo de determinação cabe ao município. Na época Natal não atendeu à sugestão, mas reforçou a fiscalização para impedir aglomerações nas praias.

Em julho, após registro de muitas aglomerações nas praias de Natal, nova medida foi adotada.

Na época, a Prefeitura do Natal determinou que os acessos ás praias urbanas poderiam ser fechados para evitar a disseminação do novo coronavírus. Na época o decreto autorizava a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e a Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social “a promoverem o fechamento de ruas e avenidas, em especial as vias públicas de acesso às praias urbanas, com o específico fim de evitar a aglomeração de pessoas e resguardar o interesse da coletividade na prevenção de contágio e enfrentamento da pandemia da Covid-19”.

Leia maisPrefeito de Natal decide decretar fechamento das praias

Justiça suspende eleição da FECAM e evita manobra

O Juiz Geraldo Mota determinou a suspensão da eleição da Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte (FECAM-RN), que estava prevista para esta sexta (26). Há fortes indícios de manipulação e manobras ilegais por parte da comissão eleitoral da atual gestão, que tentou excluir a chapa liderada pelo presidente da Câmara Municipal de Natal, vereador Paulinho Freire. Por traz, estaria um grupo de ex-vereadores e o atual presidente da Câmara de Mossoró, Lawrence Amorim, que parece estrear muito mal na carreira politica legislativa.

*Novo Jornal

Governo decreta toque de recolher, suspende aulas e atividades religiosas

O Rio Grande do Norte, a partir deste sábado, 27, passa a ter toque de recolher das 22h às 5h do dia seguinte. Esse é um dos principais itens do Decreto Nº 30.383 que está publicado no Diário Oficial do Estado.

No mais recente documento, ainda há a determinação para que haja a suspensão, a partir o dia 1° de março, das aulas presenciais nas redes privada e pública de ensino, das atividades coletivas nos templos e Igrejas e do funcionamento de parques ou qualquer outro tipo de evento e festas de qualquer natureza.

Para a governadora Fátima Bezerra essas medidas são urgentes e necessárias porque o Estado – como em todo o Brasil – vive um verdadeiro “cenário de guerra” e, portanto, não deixa alternativas. Em entrevista, a governadora adiantou que essas medidas deverão vigorar por até duas semanas.

O Brasil teve 1.541 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas; a média móvel de morte está acima de mil pessoas; no Rio Grande do Norte, o boletim mais recente mostra que já são 165.050 casos confirmados, dos quais 3.562 pessoas não resistiram à transmissão do vírus e ainda existem 718 óbitos em investigação. Sem contar que os profissionais da saúde estão esgotados e sem trégua há praticamente um ano.

Para agravar o cenário, apesar de todos os esforços do Governo do Estado em seu Plano de Expansão de Leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19, que já abriu mais de 700 leitos desde o início da pandemia. Só em dezembro foram abertos 104 leitos; nesta semana, mais 37 e estão previstos para os próximos dias, mais 39 leitos e, mesmo assim, a transmissibilidade continua alta e não permitindo que se fixe no percentual minimamente aceitável de até 80% dos leitos ocupados nos hospitais estaduais. A taxa de ocupação de leitos da Região Metropolitana está acima de 90% e no geral, em 85%.

“Nós estamos vivendo um colapso. Não adianta só abrirmos leitos. Nosso foco agora é de tomar essas medidas restritivas para garantir o distanciamento social, conter as aglomerações e com isso conter a transmissibilidade do vírus”, disse a governadora que, ao longo do dia (26) realizou diversas reuniões com chefes de poderes, representantes de Igrejas e instituições de ensino na esfera privada para alertar da gravidade da pandemia no Estado.

Leia maisGoverno decreta toque de recolher, suspende aulas e atividades religiosas

Projetos de Ezequiel enaltecem caprinocultor e direitos de pessoas com fissura palatina


A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou na sessão desta quinta-feira (25) dois projetos de autoria do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB). Uma das matérias reconhece as pessoas com fissura palatina ou labiopalatina não reabilitadas o mesmo tratamento legal e os mesmos direitos garantidos às pessoas com deficiência. Já a segunda, institui no calendário oficial do RN o Dia Estadual do Caprinocultor. As matérias agora seguem para a sanção da governadora Fátima Bezerra (PT).

Conforme o projeto aprovado, consideram-se pessoas com malformações congênitas do tipo fissura palatina ou labiopalatina não reabilitadas, aquelas que possuem impedimentos de longo prazo de natureza física, impossibilitando sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais. Essas pessoas passam a ter os mesmos direitos das pessoas com deficiência, especialmente nas áreas de saúde, educação, transporte, emprego e assistência social. Além disso, também passam a ser incluídos no percentual legal de vagas destinadas às pessoas com deficiência no âmbito do Governo do Estado.

As fissuras estão entre as anomalias congênitas mais comuns em bebês recém-nascidos, atingindo no Brasil uma criança a cada 650 nascidos, segundo o Ministério da Saúde. As malformações congênitas provocam problemas que vão além da estética: dificultam a alimentação, prejudicam a arcada dentária, a respiração, entre outros aspectos.

“As malformações congênitas quando não tratadas, além de afetar a questão da fala, gera impacto na nutrição, audição, aparência e cognição do indivíduo, o que dificulta a integração na sociedade e inclusão social. Assim, há a necessidade que a pessoa com fissura palatina ou labiopalatina não reabilitada goze de maior proteção para que possa ser inserida de forma mais digna e humanizada no seio da sociedade”, disse Ezequiel na justificativa da proposta.

Já a inclusão do Dia Estadual do Caprinocultor no Calendário Oficial do Estado tem como objetivo valorizar os potiguares que dedicam suas vidas à produção animal e geram emprego e renda no RN. “A caprinocultura leiteira é uma atividade importante não apenas para a economia, mas também na questão social, pois possibilita a elevação da renda e melhoria da qualidade de vida de milhares de famílias”, enfatiza Ezequiel.

Atualmente o RN é o 5º maior produtor de leite de cabra do Brasil e conta com um rebanho de mais de 440 mil cabeças, segundo a Associação Norte-riograndense de Criadores de Ovinos e Caprinos (ANCOC). A data sugerida para marcar a homenagem é o dia 22 de janeiro, dia do nascimento do ex-deputado federal Nélio Dias, que foi um grande incentivador da atividade no Estado.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: