Em ato de Doria com ex-presidentes, Temer diz que China enviará insumos ao Brasil

Em evento com ex-presidentes da República e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), Michel Temer (MDB) afirmou ter falado com o embaixador da China e foi informado que os insumos para produção de vacinas virão ao país.

A afirmação foi feita durante evento nesta segunda (25) no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi (zona oeste de São Paulo). Além de Temer, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e José Sarney (MDB) participaram do evento —o tucano presencialmente e os dois emedebistas pela internet. O objetivo era incentivar a vacinação.

“Hoje ainda às 11h falei com o embaixador da China no Brasil. Nessa conversa, a notícia que tive é que os insumos estão sendo acondicionados. Há uma pequena questão técnica na China, mas eles virão para o Brasil”, disse Temer, que está atuando a pedido do governo estadual junto a representantes do país asiático que produz os insmos.

Doria afirmou que nesta terça-feira (26) haverá uma reunião com chineses para tratar do assunto. “Tudo indica que será uma reunião bastante conclusiva”, disse ele, afirmando que haverá posições sobre a questão.

Leia maisEm ato de Doria com ex-presidentes, Temer diz que China enviará insumos ao Brasil

Bastidores: a tentativa frustrada de empresários de comprar vacinas da AstraZeneca

Uma nova tentativa de um grupo de empresários para compra de vacinas com dinheiro privado, iniciada no fim da semana passada, esbarrou na discordância entre as empresas sobre o modelo a ser adotado para distribuição de vacinas. Segundo uma carta que circulou entre líderes associações de diferentes setores, existiria um lote de 33 milhões de vacinas da Oxford/AstraZeneca disponível para compra, da Inglaterra, com a obrigação de compra de pelo menos 11 milhões de doses de uma só vez.

A ideia de comprar vacinas logo se espalhou por grupos de WhatsApp: “Parecia, na sexta-feira, que tinha chance de dar certo”, segundo um industrial que conversou com o Estadão. No entanto, a iniciativa esbarrou no formato de distribuição dos imunizantes a serem adquiridos. Enquanto parte do empresariado defendia o uso de 50% dos imunizantes para vacinar funcionários, com a doação da outra metade ao Sistema Único de Saúde (SUS), grandes empresas acreditavam que todo o lote deveria ser destinado ao sistema público.

Essa segunda posição foi defendida justamente por algumas das maiores empresas do País, como o banco Itaú, a Vale e a Petrobrás, informou uma fonte próxima às conversas. Enquanto parte do empresariado acredita que estaria ajudando o governo na imunização ao dar prioridade a seus funcionários, outras companhias são da opinião de que não se deve “furar a fila” dos grupos de risco determinados pelo Ministério da Saúde: profissionais de saúde, indígenas, quilombolas e idosos.

Leia maisBastidores: a tentativa frustrada de empresários de comprar vacinas da AstraZeneca

FIM DO DOMIGÃO: Faustão deixa a Globo em dezembro

Faustão, o apresentador

Depois de 32 anos no ar, sempre liderando a audiência, o “Domingão do Faustão” sai do ar em dezembro.

Fausto Silva definiu sua saída da Globo neste fim de semana.

Até o fim do ano, porém, o programa segue normalmente na programação.

EM FAMÍLIA: Prefeito de Ipanguaçu pode estar cometendo nepotismo nomeando esposa e irmã para cargos na prefeitura

O que não é de se estranhar, é que o prefeito da cidade de Ipanguaçu, Valderedo Bertoldo sempre levanta suspeitas em tudo que põe a mão. Desde o início da sua gestão em 2017, a conduta do prefeito é assustadora, pois, foi alvo de várias suspeitas pelo ministério público.

A última suspeita do prefeito foi o abuso de poder cometido nas eleições de 2020 e que o ministério público, através do promotor Eugênio Ribeiro, pediu a inelegibilidade da dupla Valderedo e Mara Carmelita por 8 anos e a cassação de diploma.

Dessa vez, Valderedo resolveu nomear a esposa Cícera Bertoldo e sua irmã Vanda Bertoldo para assumir secretarias no município. A nomeação de parentes pode se caracterizar claramente como nepotismo, que é considerado como a prática pela qual um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes, sejam por vínculo da consangüinidade ou da afinidade, em violação às garantias constitucionais de impessoalidade administrativa.

Mas o MP está de olho no prefeito e possivelmente o prefeito vai dá boas explicações sobre as nomeações de sua esposa e irmã na prefeitura de Ipanguaçu

Prefeito e vice do Assú pagam a 3 testemunhas de processo na justiça mais de 80 mil de salário

Os processos de investigação eleitoral contra o prefeito Gustavo Soares e a vice Fabielle Bezerra estão a todo vapor, e em suas defesas eles arrolaram algumas testemunhas. Dentre as testemunhas, todas suspeitas e praticamente impedidas pela relação política e de amizade com o prefeito, estão o secretário CLEBSON ELVES CORSINO DE MELO, o procurador geral FREDERICO BERNARDO RODRIGUES DA SILVA e a consultora MIRLENE AURINO DE PAULA BATISTA, todos até 31/12/2020 cargos comissionados, e dentre outros, mas esses três especificamente chamam a atenção.

Clebson e Mirlene receberam mais de 20 mil reais cada um no contra cheque de dezembro, e Frederico a quantia maior, de mais de 40 mil reais, que totalizam um montante de 80 mil reais pagos pela Prefeitura do Assú com o dinheiro do contribuinte para as contas bancárias dos indivíduos acima citados referente as supostas férias.

A “cara de pau”, desrespeito e deboche do prefeito em relação a justiça é mais do que notório. No fundo, pelo coronelismo enraizado na cidade do Assú, eles acham que podem mandar e desmandar em tudo. Inclusive, manipular até os órgãos institucionais e independentes.

No entanto, tal conduta que remete ao século 19 não vai colar com a justiça e o MP de Assú que já mostraram pra que vieram. Vão investigar e, e se for o caso, cumprir custe a quem custe, e doa a quem doer, a finalidade constitucional: fazer justiça! Basta conferir aqui os espelhos do contra cheque.

Presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira, um dos articuladores da privatização, pede demissão

Wilson Ferreira Júnior assumiu a presidência da Eletrobrás em 2016 Foto: Aílton de Freitas/Agência O Globo

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, pediu demissão do cargo neste domingo. O executivo, que alegou razões pessoais, continuará no cargo até o dia 5 de março. Em seguida, vai comandar a BR Distribuidora, segundo o colunista Lauro Jardim.

Ferreira vai substituir Rafael Grisolia na BR, que desde abril de 2019 ocupa a presidência da empresa. Ainda não há um nome para substituí-lo na Eletrobras.

Ferreira é um dos principais defensores e articuladores da privatização da estatal, anunciada primeiramente em 2017, ainda durante o governo Michel Temer.

O governo Jair Bolsonaro também manteve o projeto de privatização, que não avançou até agora por forte resistência política no Congresso Nacional.

Nos últimos dias, parlamentares aliados ao governo, incluindo o candidato à presidência do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG) — que tem o apoio do Palácio do Planalto — colocaram em dúvida o plano de privatização.

Ferreira vinha dizendo a pessoas próximas que ficaria na estatal até perceber que, de fato, a privatização não avançaria. Segundo essas fontes, a saída dele pode indicar que os planos da equipe econômica para privatizar a empresa estão cada vez mais distantes de serem realizados.

A gestão de Ferreira é marcada pela privatização de seis distribuidoras de energia da Eletrobras no Norte e Nordeste, historicamente deficitárias. Isso ajudou a melhorar os resultados da holding, além de aumentar investimos nesses estados.

Leia maisPresidente da Eletrobras, Wilson Ferreira, um dos articuladores da privatização, pede demissão

Justiça confirma legalidade na desapropriação de imóvel da AABB de Macau

Coronavírus: Órgãos da Justiça determinam trabalho remoto e suspendem  prazos de processos no RN | Rio Grande do Norte | G1

O Grupo de Apoio às Metas do CNJ julgou improcedente uma Ação Popular proposta por um cidadão para que a Justiça decretasse a nulidade de um Decreto Municipal que declarou o imóvel onde funciona a AABB (Associação Atlética Banco do Brasil) de Macau como de utilidade pública para fins de desapropriação, sob o argumento de implantar uma escola técnica profissionalizante.

O cidadão propôs Ação Popular para tutela do meio ambiente em desfavor da Prefeitura de Macau, e dos ex-prefeitos Flávio Vieira Veras e José Severiano Bezerra Filho, além da AABB, relatando que, no ano de 2005, foi publicado simples aviso pela associação, dando conhecimento à comunidade de sua intenção de vender um clube de sua propriedade localizada na cidade, tendo inclusive marcado a data e estipulado preço inicial para o lance e venda do imóvel.

Ele apontou que a aquisição do imóvel se deu sob a justificativa de que nele seria instalada uma escola-modelo, destinada a servir os bairros do Valadão e Navegantes, especialmente na área da prática esportiva. Informou que, contrariando as expectativas da sociedade, o que ocorreu foi o abandono total do imóvel e sua consequente depreciação, sendo utilizado tão somente para depósito de ferro velho e sucatas do Município, criação de animais e ponto de tráfico de drogas.

Assegurou que o imóvel foi totalmente depredado, sendo saqueadas suas portas e até telhas foram levadas. Escorada nesses fatos, o autor requereu liminarmente a exibição de documentos relativos à transação celebrada entre o Município de Macau e a AABB – Macau referentes à venda do imóvel localizado no porto da Areia, bairro Valadão.

Leia maisJustiça confirma legalidade na desapropriação de imóvel da AABB de Macau

Policial penal morre em acidente durante escolta de preso no interior do RN

Policial penal morreu em acidente durante escolta de preso no RN — Foto: Redes sociais

Um policial penal morreu e outras três pessoas ficaram feridas em um acidente com uma viatura do Grupo de Escolta Penal (GEP), da Secretaria de Administração Penitenciária. O caso aconteceu na manhã desta segunda-feira (25), na RN 288, próximo ao município de São José do Seridó, na região Seridó potiguar.

Segundo informações da Seap, o policial penal Eronilson Gomes da Costa, 49 anos, dirigia o veículo e morreu no local. Os outros três ocupantes, um detento e dois servidores, não correm risco de morte.

O acidente aconteceu por volta das 5h da manhã. Segundo informações do Departamento de Polícia Rodoviária Estadual (DPRE), a equipe do GEP tinha saído do Presídio de Caicó escoltando um interno do sistema prisional para um procedimento no Fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal, marcado para 8h. A causa do acidente ainda será investigada.

Os outros dois policiais penais e o detento que também estavam na viatura foram levados ao Hospital Regional do Seridó, em Caicó, e segundo informações da Seap, não correm risco.

Em nota a Seap informou que Eronilson Gomes era servidor do sistema penitenciário há 17 anos e trabalhava em Caicó. Desde 2012 ele integrava a equipe do GEP. Eronilson era casado e deixa três filhos.

G1RN

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: