fbpx

Após 9 meses de pandemia, governo muda plano e agora prevê vacinar toda a população

Alagoas não tem plano próprio de vacinação contra a Covid-19 e vai seguir o  do governo federal | Alagoas | G1

A guerra política da vacinação contra a Covid-19 teve nova escalada nesta sexta-feira (11). Em disputa com estados e após nove meses de pandemia, o governo Jair Bolsonaro (sem partido) prevê R$ 20 bilhões para imunizar toda a população em 2021.

Até o fim de novembro, o Ministério da Saúde tinha outro plano. No dia 27 de novembro, a ideia era vacinar apenas grupos prioritários, como hoje é feito contra a gripe. Bolsonaro se posiciona contra vacinação obrigatória.

O dia foi marcado por informações desencontradas, vistas até como um possível confisco de vacinas, enquanto o país espera por um plano efetivo de imunização.

confusão começou com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que disse, em rede social, que o ministro Eduardo Pazuello (Saúde) decidira requisitar vacinas produzidas no país ou importadas via medida provisória.

Após reação do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com quem Bolsonaro trava uma batalha, a pasta negou a intenção de confisco. O ministério, no entanto, pretende centralizar a compra e distribuição de imunizantes.

De acordo com Caiado, a intenção era evitar disputas entre estados e municípios. “Nenhum estado vai fazer politicagem e escolher quem vai viver ou morrer de Covid”, escreveu na tarde desta sexta.

Leia maisApós 9 meses de pandemia, governo muda plano e agora prevê vacinar toda a população

Vale do Açu será exemplo pro RN em que prefeitos do PL poderão ser punidos por compra de votos

GEORGE SOARES VISTORIA OBRA FINALIZADA DO CANAL DO PATAXÓ « Blog De Olho No  Assú

Dizem que quanto mais poder se tem, mais se quer, e assim tem sido com alguns prefeitos da região do Vale do Açu, que nas últimas semanas tem se tornado noticia em todo o RN, e estão prestes a se tornar exemplo diante de possíveis compras de votos de prefeitos, que provavelmente perderão seus mandatos e ficarão inelegíveis por alguns anos.

Depois do escândalo do prefeito Thiago Meira de Carnaubais, que foi afastado do cargo ao lado de outras pessoas, sendo suspeito de fraudar contratos, foi a vez do prefeito Valderedo Bertoldo de Ipanguaçu, que é suspeito de usar e abusar do poder econômico do cargo de prefeito para obter vantagem de votos.

E está em investigação no Ministério Público, a chapa do prefeito reeleito de Assú, Gustavo Soares e a vice Fabiele, que tentam se defender mesmo tendo muitas robustas provas anexadas no processo, que indicam possível compra de votos e que poderão resultar na cassação da chapa.

O interessante de tudo isso, é que os prefeitos suspeitos têm em comum é estarem no PL, partido liderado pelo deputado George Soares na região, e parece que ele tem exercido uma má influência sobre esses prefeitos, já que todos estão sob investigação.

A parte boa disso tudo, é que com as investigações, o Vale do Açu vai ficar livre das más influências e poderá escolher candidatos de forma justa e honesta, sem favorecimento e uso da máquina pública em beneficio próprio.

Shows com aglomeração crescem mesmo com repique da Covid-19; saiba os riscos

Show, por enquanto, não são recomendados por especialistas da Saúde

A união entre música alta e aglomeração era um dos cenários favoritos de muitas pessoas até o início deste ano. No entanto, durante a pandemia do novo coronavírus, esse mesmo lugar se tornou um dos pesadelos de especialistas.

Nas últimas semanas, os nomes de algumas celebridades repercurtiram nas redes sociais por conta de imagens de shows lotados.

rapper Djonga e o pagodeiro Ferrugem foram dois cantores que se apresentaram em meio a aglomerações, justamente em um momento em que número de casos da Covid-19 têm crescido em mais de 20 estados brasileiros.

No perfil que mantém no Twitter, Djonga confirmou a realização do show no sábado (5), no Rio de Janeiro, e disse que fez o evento para aqueles que precisam sair para trabalhar e para os que também têm direito ao lazer.

“Se for totalmente inaceitável o que fiz, nada que eu fale vai resolver”, disse em rede social.

Por causa da repercussão, o artista acabou excluíndo a conta na rede social. “Eu não sei mexer naquele lugar lá, não. Tem muita gente que só quer humilhar, só quer ofender. E eu não tenho a maturidade ainda. Desculpa qualquer parada”.

Leia maisShows com aglomeração crescem mesmo com repique da Covid-19; saiba os riscos

AMIGO ÍNTIMO: Yuri Feldman pode ter inviabilizado a investigação quando foi encontrado na casa do prefeito de Ipanguaçu sem o celular

Prefeito Valderedo participa da XX Marcha a Brasília em defesa dos  Municípios « Prefeitura de Ipanguaçu

Yuri Feldman, é chefe de gabinete e é conhecido por ser braço direito do prefeito de Ipanguaçu, Valderedo Bertoldo, mandando e desmandando ao seu bel prazer, chegando até ser conhecido como o Prefeito de fato do município, tamanha a proximidade e influência que exerce junto a seu chefe, segundo ação de investigação.

Ainda Na investigação contra o prefeito Valderedo, Yuri é suspeito de favorecer eleitores com benesses, incluindo transferências bancarias, além de ter sido encontrado dormindo na casa do prefeito. O MP eleitoral ainda reitera que pelo fato de Yuri não está com o celular, inviabilizou diretamente, conhecer o conteúdo de suas conversas sobre abuso de poder político e econômico.

O que mais assusta diante de tudo isso, é que se eles cometeram esses crimes com dinheiro público, devem ser severamente punidos, exatamente como o MP eleitoral requereu, que foi a inelegibilidade de todos envolvidos e cassação da chapa eleita Valderedo e Mara Carmelita.

RN registra pela primeira vez mais de 1 mil casos de Covid-19 por três dias seguidos

Tudo o que é preciso saber sobre o Coronavírus (Covid-19) - Comunicação

O Rio Grande do Norte teve pela primeira vez desde o início da pandemia três dias seguidos com mais de 1 mil casos confirmados de Covid-19.

Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o estado chegou nesta sexta-feira (11) a 102.340 casos confirmados de coronavírus, sendo 1.131 registrados nas últimas 24 horas.

Nos dois dias anteriores, o Rio Grande do Norte também teve mais de 1 mil casos da doença. Na quarta-feira (9), foram 1.010 casos a mais que o dia anterior e na quinta-feira (10), um aumento de 1.368 casos.

Durante toda a pandemia, o estado não havia sequer registrado dois dias seguidos com mais de 1 mil casos.

O boletim desta sexta-feira (11) também indicou que o estado tem 2.786 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia. Foram 16 a mais registradas que no dia anterior, sendo quatro nas últimas 24 horas, segundo a Sesap.

De acordo com o boletim, o número de internados no estado por causa da Covid-19 é de 345, sendo 179 na rede pública e 166 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 76% na rede pública e de 55,5% na rede privada.

O número de casos suspeitos é de 49.182 e os descartados são 244.888. O número de confirmados recuperados segue em 48.821 e o de inconclusivos, tratados como “Síndrome Gripal não especificada”, se mantém em 65.987.

O boletim também aponta que 355.112 testes de Covid-19 foram realizados em todo o estado, sendo 187.078 RT-PCR (conhecidos também como Swab) e 168.034 sorológicos.

Números do coronavírus no RN

  • 102.340 casos confirmados
  • 2.786 mortes
  • 48.821 confirmados recuperados
  • 49.182 casos suspeitos
  • 244.888 casos descartados

G1RN

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: