INSENSÍVEL: Prefeito de Carnaubais acusa assentamentos de praticarem ligações clandestinas

O prefeito Thiago Meira, que já vem se desgastando com sua politica barata de pão e circo, na sua ultima entrevista a uma rádio local, comentou sobre suas “grandiosas” obras no município de Carnaubais, que aparentemente, só acontece em ano eleitoral.

O prefeito foi questionado pela falta de água em algumas comunidades e de forma ríspida, não mediu palavras e já acusou a comunidade local de “gatos”, ou seja, ligações clandestinas.

O que mais espanta do prefeito Thiago, é sua insensibilidade diante da situação econômica que o vale do Açu e especialmente, que Carnaubais enfrenta. Se realmente existe essas ligações clandestinas, o prefeito deveria ir até a comunidade para fazer manter diálogo e saber o real motivo dessas ligações. Pois, muitos dos moradores de assentamentos, não tem nem sequer o básico, como comida para suprir suas necessidades.

É muito fácil para o prefeito Thiago Meira acusar moradores tendo seu dinheirinho todo mês caindo na conta, e ainda mais sendo pago pela população de Carnaubais. O que mostra, que o “Doutor”, está mais preocupado com o seu bolso, do que com a população de Carnaubais.

Governo desiste de fracionar 4ª e 5ª parcela do auxílio emergencial; confira o calendário

O governo desistiu de fracionar o pagamento das duas parcelas adicionais do auxílio emergencial nos meses de agosto e setembro. Os mais de 65 milhões de beneficiários do programa de renda criado durante a pandemia de covid-19 receberão mais dois pagamentos integrais de R$ 600 conforme calendário divulgado nesta sexta-feira, 17, pelo Ministério da Cidadania.

No anúncio da prorrogação do auxílio por dois meses – para além das três parcelas pagas entre maio e julho –, o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a cogitar o fracionamento dos pagamentos em até quatro partes, para criar uma impressão de duração maior da medida. Na ocasião, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a continuidade dos pagamentos integrais de R$ 600 em agosto e setembro.

De acordo com o calendário publicado nesta sexta, os beneficiários continuarão recebendo os valores primeiro em contas digitais para só depois conseguirem sacar os recursos conforme um cronograma estabelecido pela Caixa Econômica Federal – evitando aglomerações nas agências.  A maioria dos beneficiários só conseguirá sacar o dinheiro de setembro em outubro, mas poderá fazer pagamentos e transferências antes disso por meio da conta digital.

Quem já recebeu as três primeiras parcelas terá o quarto pagamento emergencial de R$ 600 depositado entre os dias 22 de julho (para os nascidos em janeiro) e 26 de agosto (para os nascidos em dezembro). O calendário de saques começa em 25 de julho e vai até 17 de setembro.

Leia maisGoverno desiste de fracionar 4ª e 5ª parcela do auxílio emergencial; confira o calendário

Carmen Lúcia encaminha notícia-crime contra Damares à PGR

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lúcia, pediu parecer por parte do procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, sobre uma denúncia contra a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. A notícia-crime aponta uma possível afronta à Lei de Segurança Nacional, referente a reunião ministerial do dia 22 de abril, quando Damares afirmou que pediria a prisão de governadores e prefeitos.

Para o autor da denúncia, o advogado Ricardo Bretanha Schmidt, a ministra “proferiu grave ameaça aos Poderes dos Estados, qual seja, efetuar pedidos de prisão de governadores e prefeitos, o que é de todo incabível”.

“Na oportunidade, a Ministra de Estado cometeu o delito tipificado no artigo 18 da Lei n. 7.170/1983, pois com sua fala na reunião, tentou impedir, com emprego de grave ameaça, o livre exercício dos Poderes dos Estados, quais sejam, governadores e prefeitos”, aponta o advogado na peça.

Leia maisCarmen Lúcia encaminha notícia-crime contra Damares à PGR

Guedes tenta incluir voucher para educação em PEC do Fundeb

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defende mudanças na proposta de emenda à Constituição (PEC) que prorroga o Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Ele deseja que seja implementado um modelo de voucher, ou seja, vales com valores pré-definidos para as escolas gastarem com a primeira infância.

Guedes e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, se reuniram na quarta-feira (15) com alguns deputados ligados à área da educação. Uma das pessoas que participaram disse ao Congresso em Foco que não há espaço para a medida ser implementada por meio da PEC do novo Fundeb.

Essa iniciativa está prevista no Renda Brasil e Guedes queria antecipá-la com a PEC que deve ser analisada pelos deputados na próxima semana. O Renda Brasil é a reformulação do Bolsa Família e outros programas de assistência social planejados pelo ministro após o fim da vigência do auxílio emergencial de R$ 600.

O uso do Fundeb para implementação do voucher para a primeira infância é uma estratégia do governo para que não seja descumprida a regra do teto de gastos, já que o fundo não é contabilizado por ela.

“Educação pode sim ser parceira da Renda Brasil, não vejo nenhuma dificuldade. Não pode ser usada como instrumento furando todos os espaços do ponto de vista legais”, disse a fonte ouvida pelo site.

Leia maisGuedes tenta incluir voucher para educação em PEC do Fundeb

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: