Bolsonaro acusa Moro de crime federal e mostra conversa com ex-ministro

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje à imprensa que Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, cometeu crime federal ao divulgar conversas entre os dois no Jornal Nacional, da TV Globo, em 24 de abril, dia de sua saída do cargo.

“Em nenhum momento pedi relatório de inquéritos. Isso é mentira. O Sergio Moro foi correndo entregar o telefone para a Globo. Inclusive, ele tinha peças de relatórios pessoais de coisas que eu passava para ele. É um crime federal”, acusou.

Ele mostrou ao vivo a conversa que Moro entregou à reportagem do telejornal — algumas mensagens anteriores ao diálogo divulgado pela TV Globo— em que envia ao ex-ministro uma reportagem de “O Antagonista” dizendo que a PF estaria investigando deputados aliados e afirma que este é “mais um motivo para a troca” da direção da instituição.

O print, contudo, era diferente da imagem exibida pelo Jornal Nacional no dia 24. Nela, após o envio do link, Bolsonaro dizia: “Mais um motivo para a troca”. Moro, então, respondia: “Este inquérito eh (sic) conduzido pelo Ministro Alexandre no STF, diligências por ele determinadas, quebras por ele determinadas, buscas por ele determinadas”.

Já na versão exibida por Bolsonaro, o link era enviado e a outra parte respondia: “Isso eh (sic) fofoca. Tem um DPf atuando por requisição no inquérito da (sic) fake News e que foi requisitado pelo Min Alexandre”. E, em seguida: “Não tem como negar o atendimento ah (sic) requisição do STF). Ao final do print, aparecia um novo link de notícia sobre o ex-juiz da Lava Jato ter alertado o ministro do STF Dias Toffoli sobre “presos de elevada periculosidade” em liberdade.

No último dia 24, Moro acusou Bolsonaro de trocar o diretor-geral da PF Maurício Valeixo à sua revelia para substituí-lo por alguém mais próximo e ter acesso aos relatórios das investigações em curso —algumas das quais envolvem pessoas de sua família ou aliadas.

Bolsonaro voltou a falar em confiança e se disse “chateado” com Moro: “Eu confiava nele, passava extrato de informações. Como um presidente, me sinto chateado”.

Leia maisBolsonaro acusa Moro de crime federal e mostra conversa com ex-ministro

Vereadora Fabielle Bezerra realiza ações de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus em Assu

Em meio a pandemia do COVID19, a vereadora Fabielle Bezerra vem fazendo sua parte e lutando por melhores alternativas para melhorar a vida da população assuense e principalmente no que diz respeito a classe dos mais vulneráveis nesse momento difícil em que se encontra a população em geral.

Segundo a vereadora vem mantendo um diálogo constante com a população e, por meio de suas reivindicações, esta levando as demandas para o plenário da câmara. Na sessão desta quinta-feira(30), através do sistema remoto, foram aprovadas duas indicações de sua autoria, indicação de nº 35/2020, que indica ao chefe do poder executivo remanejar até 10% dos recursos que seriam usados no São João para ações em favor dos artistas de nossa cidade, através das lives, uma classe afetada diretamente com a paralisação dos eventos e fechamento dos barzinhos, diante da pandemia que assola o mundo. A outra indicação nº 31/2020, que indica ao chefe do poder executivo realizar serviço de terraplanagem nas estradas que dão acesso às comunidades de Simão, Janduís, Talhado, Carne Gorda, Bonita e São Pedro, que, diante desse período chuvoso, estão com muitas erosões, impossibilitando o tráfego dos moradores.

A vereadora vem atuando de forma remota, e declara que mesmo diante das dificuldades vem conseguindo efetivar suas lutas junto a população! Fabielle destaca que vem prezando o seu foco pela ações sociais, uma das áreas que seu mandato vem priorizando desde o inicio, mostrando a sua preocupação em ajudar e manter seu compromisso de campanha.

A vereadora declara que “as nossas solicitações e buscas na tentativa de minimizar os danos causados por essa situação que estamos vivenciando são diárias e para todas as classes vulneráveis. Uma delas diz respeito aos artistas de nossa cidade, que foram uns dos primeiros a pararem de trabalhar, sem previsão de volta, muitos desses só tendo como sustento da família a música que faziam nos barzinhos. E atendendo à solicitação de um grupo de artistas de nossa cidade, representado por Elton e Brito, levamos a situação para o Prefeito e hoje recebemos a excelente notícia de que a prefeitura recebeu uma doação da empresa Engie Brasil Energia, que será repassada para a classe artística de nosso município, quando 80 músicos serão beneficiados. Ressaltamos também a importância de a prefeitura assegurar, durante todo esse período de distanciamento social, através da Secretaria de Assistência, a doação mensal de cestas básicas. Juntos, venceremos esta crise e voltaremos a cantar de mãos dadas, na valorização de nossa cultura e de nossa gente” finaliza a vereadora.

Ezequiel Ferreira solicita isenção da conta de água para famílias rurais

A crise econômica causada pelo novo Coronavírus tem prejudicado milhões de brasileiros. No Rio Grande do Norte não tem sido diferente. Pensando nisso, o deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Estado, apresentou requerimento ao Governo potiguar solicitando que as famílias rurais sejam consideradas isentas do pagamento da conta de água durante o período de pandemia.

“As dificuldades econômicas estão em todos os setores após o surgimento do novo Coronavírus, devido principalmente ao isolamento social imposto no combate à doença. Isso tem deixado o sustento de muitas famílias totalmente comprometido. Os trabalhadores rurais estão enfrentando muitas dificuldades para comercializar seus produtos e é necessário adotar medidas para diminuir os efeitos dessa situação”, disse o parlamentar.

Com a medida, o deputado acredita que seria possível dar mais tranquilidade para essas famílias rurais, permitindo que elas possam continuar em busca do seu sustento, mesmo diante das dificuldades causadas pela pandemia.

Brasil tem 3o maior número de novos casos da Covid-19 no mundo em 24 horas

O Brasil teve o terceiro maior número de novos casos confirmados da Covid 19 no mundo em 24 horas. Os dados fazem parte do informe diário da Organização Mundial da Saúde, que foi divulgado na noite desta terça-feira em Genebra.

De acordo com os dados, o Brasil informou à OMS que somou 4588 novos casos da doença no período de 24 horas. A coleta da informação por parte da agência de Saúde foi concluída as 5h da manhã deste dia 5 de maio e, portanto, não contabiliza os novos números que o governo brasileiro irá anunciar ainda nesta terça-feira.

No total, o Brasil somava até o informe da OMS ser preparado um total de 101,1 mil casos e 7 mil mortes.

O Brasil é ainda superado pelos EUA, com 29,2 mil novos casos registrados nas últimas 24 horas. No total, o território americano conta com 1,1 milhão de casos e 61,9 mil mortes.

A segunda colocação em casos diários é da Rússia, com 10,1 mil novos infectados em 24 horas. Moscou soma 155,3 mil registros e 1,4 mil mortes.

Com os novos dados, o Brasil superou o Reino Unido, que apareceu com 3,9 mil novos casos. Outro destaque é o da Índia, também com 3,9 mil novos casos. Na Itália, neste mesmo período, foram registrados 1,2 mil casos e 545 na Espanha.

Na China, oficialmente, foram apenas quatro novos casos registrados neste mesmo período.

No total, a OMS soma 3,5 milhões de casos no mundo, com 81 mil novos registros nas últimas 24 horas. A Europa ainda tem o maior número de casos, com 1,5 milhão de infectados. Mas o continente americano se aproxima rapidamente, com 1,47 milhão.

RN receberá R$ 368 milhões de socorro do Governo Federal

O Rio Grande do Norte receberá do Governo Federal R$ 368 milhões do socorro a estados e municípios elaborado em conjunto entre o ministro da Economia, Paulo Guedes e o presidente do Senado, Davi Alcolubre. O pacote prevê repasse de R$ 60 bilhões a estados e municípios.

O projeto foi apresentado nesta quinta-feira (30) e mostra que o valor do pacote chega a R$ 120 bilhões, quando consideradas a suspensão do pagamento de dívidas e renegociações de empréstimos com bancos, inclusive internacionais.

Dos R$ 60 bilhões anunciados, R$ 10 bilhões serão exclusivos para aplicação em saúde. O restante será livre para aplicação: R$ 25 bilhões para estados e R$ 25 bilhões para municípios

O critério de divisão levará em conta fatores como queda do ICMS, população e cota de participação no Fundo de Participação de Estados e Municípios.

Leia maisRN receberá R$ 368 milhões de socorro do Governo Federal

Tomba diz que medidas do Governo Federal precisam ser reconhecidas pela gestão estadual

O deputado Tomba Farias (PSDB) enalteceu nesta terça-feira (5), durante pronunciamento na sessão ordinária por videoconferência da Assembleia Legislativa, as ações do Governo Federal para auxílio aos estados durante a pandemia do novo Coronavírus e disse que o Governo Estadual precisa “agradecer e reconhecer” o trabalho que vem sendo feito.

“O Governo do RN só tem reclamado da falta de ajuda do Governo Federal. A governadora Fátima precisa ser mais coerente a agradecer a tudo que o Governo Federal vem fazendo não apenas pelo Rio Grande do Norte, mas por todo o Brasil – mesmo vivendo uma crise muito grande diante dessa pandemia”, disse Tomba.

O parlamentar citou como exemplo o auxílio emergencial de R$ 600 que vem sendo pago pelo Governo Federal. Segundo ele, a medida tem “ajudado muito” a população mais afetada pelos efeitos econômicos da pandemia e do isolamento social. “Esses e outros recursos já foram liberados para os estados e municípios, sem falar no pagamento de emendas a todos os parlamentares federais, enquanto aqui nada foi pago”, afirmou o deputado.

Ao final do pronunciamento, Tomba fez um apelo à Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) cobrando a normalização do abastecimento de água nos municípios de Coronel Ezequiel e Jaçanã, que de acordo com ele, já acumulam 22 dias sem fornecimento. “Faço aqui esse apelo, até mesmo para que a população possa lavar as mãos”, concluiu.

Ubaldo propõe campanha para divulgar o direito à doula entre as gestantes do RN

O deputado Ubaldo Fernandes (PL) aproveita o mês das mães para propor um novo projeto de lei voltado ao atendimento das mulheres durante a gravidez. O projeto propõe que, anualmente, seja realizada uma ampla campanha institucional no Rio Grande do Norte, para divulgação da lei nº 10.611, de 18 de outubro de 2019, que dispõe sobre o direito à presença de doula, sempre que solicitada pela mulher gestante ou parturiente, durante todo o período do ciclo gravídico nas maternidades, casas de parto e estabelecimentos hospitalares congêneres da rede pública e privada do Estado.

“A doula é aquela que está ao lado, que interage com a parturiente e que desempenha a função de suporte físico e emocional durante o pré-parto, parto e pós-parto. Já está provado que o acompanhamento por doula promove uma série de benefícios, como diminuição das taxas de cesárea, trabalho de parto mais curto, menos uso de medicação e fórceps, amamentação mais prolongada e menor incidência de depressão. Então, precisamos divulgar esse direito instituído pela governadora Fátima Bezerra, ano passado, dando maior visibilidade à lei”, explica Ubaldo Fernandes.

O projeto de lei propõe que seja realizada uma ampla campanha para detalhar esses direitos das gestantes. “Recomendamos que seja feita, anualmente, no mês de maio, em homenagem às mães, com o objetivo de preservação da integridade física das nossas cidadãs e da preservação do bem maior que é a vida”, finaliza o parlamentar.

Povos indígenas pedem fundo de emergência para combater coronavírus

Líderes indígenas do Brasil pediram à Organização Mundial da Saúde (OMS), nessa segunda-feira (4), a criação de um fundo de emergência para ajudar a proteger suas comunidades da ameaça da pandemia de coronavírus.

Muitos dos 850 mil indígenas do país moram em áreas remotas da Amazônia, com acesso limitado ao atendimento de saúde, e grupos indígenas dizem que o governo não incluiu suas comunidades nos planos nacionais de combate ao vírus.

Em carta ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, eles pediram ajuda para obter equipamentos de proteção pessoal, indisponíveis para os profissionais de saúde que trabalham em reservas e aldeias.

“É uma verdadeira emergência”, disse à Reuters a deputada Joenia Wapichana (Rede-RR), líder do apelo à OMS e a primeira mulher indígena eleita para o Congresso brasileiro.

“Os indígenas estão vulneráveis e não têm proteção”, afirmou.

O número de indígenas brasileiros mortos pelo vírus subiu para 18, informou a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, mas o governo registrou oficialmente seis.

Leia maisPovos indígenas pedem fundo de emergência para combater coronavírus

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: