PEGO NA MENTIRA: Tribunal de Justiça dá 72 horas para Gestão Soares fornecer equipamentos para funcionários em Assú

Gustavo Soares é o prefeito eleito de Assú - YouTube

Parece que o prefeito turista, Gustavo Soares, e seu irmão, o deputado ‘boquinha’ George Soares, foram pegos na mentira, pois foram pra rádio dizer que tinham comprado mais de meio milhão de reais de equipamentos. No entanto, o Tribunal de Justiça do RN, determinou que o Município de Assú adquira e distribua para as unidades hospitalares sob sua responsabilidade Equipamentos de Proteção Inpidual (EPIs) e vestimentas (capotes e pijamas) necessários para controle e prevenção do Covid-19, nos termos da Nota Técnica GVIMS/GGTES/ANVISA nº 04/2020 (e suas atualizações) e Norma Regulamentadora nº 32.

Então, como explicar tudo isso a população? Os dois pinóquios da gestão, o prefeito Gustavo e a secretária Viviane, terão que se explicar muito a população. Agora, a mentira não vai adiantar, porque um órgão respeitado é que está ordenando o cumprimento em 72 horas e garantindo assim, que os servidores possam trabalhar em paz e seguros.

NÃO PARA POR AÍ

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde) informou no processo sobre a situação desencadeada pela pandemia pelo novo coronavírus nos sistemas de saúde pública do Brasil, do Rio Grande do Norte e do Município de Assú.

O Sindsaúde ressaltou o risco ensejado aos profissionais da saúde portadores de moléstias respiratórias, cardíacas e demais afecções supressoras do sistema imunológico em caso de ser mantida sua presença em unidades de atendimento à saúde. Por isso, requereu para que sejam afastados de suas atividades, sem necessidade de compensação de jornada e sem prejuízo da remuneração, todos os servidores municipais da saúde que estejam classificados como imunossuprimido ou acometido por diabetes, hipertensão, pneumopatia,doenças respiratórias ou cardiopatia, bem como as gestantes ou lactantes.

MAIS INFORMAÇÕES

O relator, desembargador Expedito Ferreira, observou que a providência reclamada pelo Sindicato foi objeto de exame detalhado em sede de Suspensão de Segurança, “sendo ressaltado o risco de prejuízo à saúde coletiva e ordem pública no caso de ser autorizado o afastamento dos servidores da saúde de suas atividades, mesmo aqueles que se encontram em grupos de risco para contágio do COVID-19, no momento em que serão mais necessários para a promoção das medidas de contenção, prevenção e atendimento aos usuários da rede pública atingidos pela doença”.

O desembargador destacou que ainda que se reconheça a justa preocupação do ente sindical na preservação dos direitos e interesses de seus representados, o momento conclama a otimização de recursos materiais e de pessoal para enfrentamento da calamidade pública que se aproxima, de sorte a garantir ao usuário do Sistema Único de Saúde atendimento eficiente em decorrência do aumento na demanda que fatalmente se verificará em futuro próximo.

“Ponderando os valores em conflito nos presentes autos, bem como atento às peculiaridades da situação de fato e em correspondência com o esforço que se exige no atual momento de calamidade pública, entendo que referida medida se mostraria mais eficiente para salvaguardar os interesses dos servidores públicos em situação de maior risco de exposição, bem como atenderia ao interesse coletivo de necessidade de preservação do serviço público de atendimento à população”, concluiu, deferindo o pedido de fornecimento dos equipamentos. (Processo nº 0802801-23.2020.8.20.0000)

Fonte: TJ RN

SESAP/RN não divulga Boletim do COVID-19 desde 30 de abril

Sesap-RN divulga resultado final e homologação do concurso público

O governo do estado do RN, parece que não está muito preocupado com os números do novo corona vírus, pois desde o dia 30 de abril não divulga boletim, diferente de todos os estados, que fazem isso diariamente.

Com essa falta de transparência, fica difícil a população saber ao certo em que estágio da crise o RN está, e com isso, gera a tensão e preocupação das pessoas, diante de tanto descaso do governo petista.

IFRN oferece cursos de qualificação online e gratuitos durante isolamento social

Campus Central do IFRN, em Natal — Foto: Alberto Leandro/Arquivo Tribuna do Norte

O Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte divulgou nesta segunda-feira (4) um edital para preenchimento de 4.200 vagas gratuitas em 10 cursos de formação com ensino à distância. Confira lista no final da matéria.

As inscrições começam nesta terça-feira (5) e vão até o dia 14 de maio. Para estudar, o único pré-requisito exigido é que o candidato tenha concluído o Ensino Fundamental. As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição online, por meio do Portal do Candidato.

Segundo o IFRN, a medida foi anunciada com o objetivo de capacitar as pessoas que estão em isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. O Instituto informou que o resultado dos selecionados para realizarem os cursos sai no dia 15 de maio e as aulas terão início no dia 29 de maio.

Todos os cursos fazem parte do programa Novos Caminhos, do Governo Federal. Ao concluir os estudos, portanto, os alunos receberão certificado expedido pela Rede Federal de Ensino.

Confira a lista dos cursos:

  • Assistente Administrativo (400 vagas)
  • Assistente de Secretaria Escolar (500 vagas)
  • Agente de Alimentação Escolar (200 vagas)
  • Vendedor (500 vagas)
  • Montador e Reparador de Computadores (400 vagas)
  • Operador de Computador (400 vagas)
  • Programador de Sistemas (400 vagas)
  • Programador Web (500 vagas)
  • Instalador e Reparador de Redes de Computadores (500 vagas)
  • Agente de Inclusão Digital em Centros Públicos de Acesso à Internet (400 vagas)

Após cancelar contrato e fazer nova chamada pública, Prefeitura de Natal contrata mesma empresa para Hospital de Campanha

Unidade temporária fica na Via Costeira — Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

Por meio de dispensa de licitação, a Prefeitura de Natal contratou a mesma empresa com quem tinha suspendido contratação dias atrás por ter entre os sócios uma pessoa ligada à família do prefeito Álvaro Dias. Segundo o termo publicado nesta segunda-feira (4), no Diário Oficial do Município, a T&N Serviços em Saúde LTDA-EPP deverá prestar serviços de mão de obra terceirizada para o Hospital de Campanha e outras unidades de saúde no combate ao novo coronavírus ao custo total de R$ 18,6 milhões.

A empresa é a mesma que tinha sido contratada inicialmente pela prefeitura, mas cujo processo foi suspenso porque uma das sócias tinha vínculo familiar com o prefeito de Natal, Álvaro Dias. O próprio prefeito reconheceu isso em entrevista à Inter TV Cabugi, no dia 29 de abril.

Álvaro Dias confirmou que o primeiro processo que tinha sido realizado foi cancelado depois de divulgada a informação que entre os sócios havia “uma pessoa que é casada com um cunhado meu”, segundo afirmou. Conforme o prefeito, uma auditoria e pareceres da controladoria e da procuradoria do município não constataram ilegalidade, mas o processo foi suspenso “por excesso de precaução”.

Naquele mesmo dia, segundo o prefeito, a Secretaria de Saúde iria abrir as propostas após um novo chamamento público. A empresa contratada precisa entregar mão de obra terceirizada para as funções de assistente social, auxiliar de farmácia, bioquímico, enfermeiro, farmacêutico, nutricionista, psicólogo, técnico em enfermagem, técnico em radiologia e técnico de laboratório.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que o primeiro processo foi cancelado por vontade do próprio prefeito e refeito após convite a todos os órgãos de fiscalização e controle como Ministério Público, Tribunal de Contas, Câmara Municipal, entre outros, para acompanharem a concorrência. Após a abertura do novo procedimento, apenas duas empresas apresentaram proposta, entre elas a T&N, que se sagrou vencedora.

Leia maisApós cancelar contrato e fazer nova chamada pública, Prefeitura de Natal contrata mesma empresa para Hospital de Campanha

Por que um abraço faz tanta falta durante a quarentena?

QUARENTENA Archives - Metropole News

Desde que iniciamos o isolamento – meus pais e minha irmã no interior de São Paulo, eu na capital –, temos conversado com uma frequência muito maior do que na época em que a vida era normal, quase sempre por vídeo. Almoçamos juntos, minha mãe me mostra suas orquídeas, eu mostro meus gatos, compartilhamos imagens do que estamos comendo. Estamos próximos, estamos bem, mas minha mãe outro dia me confidenciou: “O que eu sinto falta mesmo é de te dar um abraço, filha”.

Trago relatos pessoais aqui, mas todo mundo tem os seus. A saudade daquele abraço forte talvez seja a que mais dói nesses tempos tão incertos. Somos um povo acostumado ao toque, aos beijos, ao carinho fácil, é verdade, mas a falta que isso faz em meio à pandemia é tão universal quanto ela.

É do ser humano. É evolutivo. Nós aprendemos de bebê, com nossas mães, na amamentação, a importância do carinho. Mas até nossos parentes primatas sabem disso muito bem, tanto que criam laços no grupo ao catarem piolhos uns nos outros. A ciência – novamente ela – explica por que isso é tão importante.

A primeira evidência veio de série de experimentos, alguns deles cruéis, conduzida por um controverso, mas brilhante, psicólogo americano entre os anos 1950 e 60. Harry Harlow provou para um sociedade pós-guerra que não valorizava demonstrações de afeto – nem mesmo com crianças – que o amor não só é desejado como vital para o desenvolvimento da espécie.

Leia maisPor que um abraço faz tanta falta durante a quarentena?

General Heleno, Braga Netto e Eduardo Ramos testemunharam Bolsonaro ameaçar Moro de demissão, afirma ex-ministro

Moro diz que entregou provas materiais contra Bolsonaro

O chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, e os ministros Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) testemunharam o presidente Jair Bolsonaro ameaçar demitir o então ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) em reunião gravada pelo Planalto. O encontro foi realizado no dia 23 de abril.

As informações foram repassadas à Polícia Federal no longo depoimento que Moro prestou na sede da superintendência da corporação no último sábado, 2, em Curitiba. O motivo da ameaça foi a resistência do ex-juiz em manter Maurício Valeixo na chefia da Polícia Federal.

Os três ministros foram citados no depoimento de Moro como eventuais testemunhas da conversa entre ele e o presidente. A reunião do conselho de ministros foi gravada pelo Planalto.

No dia seguinte, 23 de abril, Bolsonaro informou Moro de que havia tomado a decisão de demitir Valeixo, o que motivou o ex-juiz a deixar o cargo e anunciar, no dia 24, a tentativa de ‘interferência política’ do presidente no comando da PF.

Leia maisGeneral Heleno, Braga Netto e Eduardo Ramos testemunharam Bolsonaro ameaçar Moro de demissão, afirma ex-ministro

Forças Armadas defendem harmonia entre Poderes e consideram inaceitável agressão a jornalistas

Conheça o perfil do general Fernando Azevedo e Silva, ministro da ...

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, disse nesta segunda-feira (4) que as Forças Armadas defendem a independência entre Poderes e consideram agressão a jornalistas inaceitável.

A manifestação ocorre na esteira de críticas que têm partido do governo sobre decisões recentes do STF (Supremo Tribunal Federal) e um dia após uma manifestação em que houve agressões a jornalistas e em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse estar junto com as Forças Armadas “ao lado do povo” e deu recados intimidatórios.

“As Forças Armadas cumprem a sua missão Constitucional. Marinha, Exército e Força Aérea são organismos de Estado, que consideram a independência e a harmonia entre os Poderes imprescindíveis para a governabilidade do País”, diz nota de Azevedo e Silva.

Ele afirma que a liberdade de expressão é “requisito fundamental” em um país democrático, mas continua dizendo que “no entanto, qualquer agressão a profissionais de imprensa é inaceitável”.

“As Forças Armadas estarão sempre ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade. Este é o nosso compromisso”, encerra o ministro da Defesa.

Leia maisForças Armadas defendem harmonia entre Poderes e consideram inaceitável agressão a jornalistas

Em plena pandemia, Presidente da Câmara de Touros faz festa com aglomeração e é detido pela Polícia

O presidente da Câmara Municipal de Touros, Tiago Farias (PROS) acabou sendo detido na noite deste domingo (3), por descumprimento ao decreto estadual, que estabelece normas para evitar a propagação da Covid-19. O vereador, que tem 23 anos deve responder pelo artigo 268 do Código Penal, que sanciona com multa e detenção aqueles que infringirem determinação do poder público, destinada a impedir a introdução ou a propagação de doença contagiosa.

Os policiais militares de Touros receberam diversas denúncias de moradores da Vila Assis, distrito de Touros, que reclamavam de um forte barulho causado por uma festa, na noite deste (3). Segundo informações que constam nas redes sociais e grupos de whatsapp de Touros, a comemoração reuniu dezenas de pessoas, tinha paredão de som e a presença de pessoas ingerindo bebidas alcoólicas. O presidente da Câmara foi conduzido pela polícia em cima da viatura policial do Grupo Tático de Operações (GTO).

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: