Vereadores decidem por gratuidade para idosos a partir de 60 anos em até cinco anos

Vereador Sandro Pimentel (PSOL) é o autor da emenda da gratuidade  — Foto: Elpídio Júnior/Assessoria de Comunicação

A Câmara Municipal de Natal (CMN) decidiu a gratuidade no transporte público deve ser garantida para idosos a partir dos 60 anos em até cinco anos após a assinatura do contrato de concessão de operação do transporte de ônibus. Atualmente o benefício só é assegurado para quem tem 65 anos ou mais.

A decisão aconteceu durante a continuidade, na tarde desta terça-feira (4), das votações das emendas ao projeto de lei que vai viabilizar a licitação dos transportes públicos da capital potiguar.

O autor da emenda, vereador Sandro Pimentel (PSOL), acredita que a modificação vai “corrigir uma distorção”, uma vez que o projeto original, enviado pela prefeitura, só garantia a gratuidade para idosos de 60 anos após 10 anos de concessão dos serviços.

Leia maisVereadores decidem por gratuidade para idosos a partir de 60 anos em até cinco anos

Governo do RN divulga resultado preliminar da redação do concurso da PM

Coronel Araújo promove a última formatura geral com o efetivo antes da Copa do Mundo. — Foto: Assessoria de comunicação da PMRN

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte publicou o resultado preliminar da redação do concurso público para o quadro de praças da Polícia Militar do Estado. O resultado está disponível no Diário Oficial.

O concurso é composto por seis etapas:

  • I: prova objetiva e de redação (já realizada);
  • II: exame de saúde;
  • III: Teste de Aptidão Física (TAF);
  • IV: Avaliação Psicológica;
  • V: Investigação Social
  • VI: Avaliação de Títulos.

Foram ofertadas 1.000 vagas. O candidato aprovado até a sexta etapa, dentro do número exato de vagas, deverá ainda realizar curso de formação, de caráter classificatório e eliminatório, com duração de 10 meses, em tempo integral.

Seis novos vereadores são empossados na Câmara Municipal de Santa Cruz

Suplentes tomaram posse na Câmara Municipal de Santa Cruz, RN — Foto: Wallace Azevedo

Seis suplentes foram empossados vereadores na Câmara Municipal de Santa Cruz, região Agreste potiguar, na manhã desta quarta-feira (5). O ato aconteceu depois que seis parlamentares, incluindo o então presidente do Legislativo tiveram os mandatos cassados pela Justiça Eleitoral. A prefeita e o vice-prefeito do município também perderam os cargos. A decisão do Tribunal Regional Eleitoral foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A nomeação imediata dos suplentes foi determinada pelo Juiz Solano Batista de Morais, da Vara Cível de Santa Cruz. Na decisão, o magistrado considerou que o vereador Gean Paraibano, que era vice-presidente do Legislativo e acabou assumindo interinamente a presidência da Casa e a Prefeitura, estava dificultando a posse dos suplentes para obstruir a escolha do novo presidente do Legislativo.

Assumiram os cargos: Marco Celito da Costa, Renato Cézar de Medeiros, Fábio Rodrigues Dias, Tarcísio Félix do Santos, Manoel Edmilson da Silva e Jackson Renê Gomes de Assunção.

Com a posse dos novos vereadores, está prevista para a próxima terça-feira (11) a eleição da mesa diretora da Câmara Municipal. Quem for eleito presidente, vai assumir interinamente o cargo de prefeito de Santa Cruz, até a Justiça realizar uma eleição suplementar.

Enquanto a eleição da mesa não acontece, Gean Paraibano continua ocupando a presidência da Câmara e a Prefeitura.

Partidos fazem 1ª reunião para fechar bloco e isolar PSL e PT

Com 340 deputados de 15 partidos, grupo pode ficar com os principais cargos da Câmara

Líderes de 15 partidos fizeram a primeira reunião formal para criar um bloco que pode isolar o PSL de Jair Bolsonaro e o PT na distribuição de cargos de comando na Câmara a partir de 2019.

Com a negociação, o grupo dominaria as vagas na cúpula da Casa e nas comissões que discutem projetos de lei. O acordo deve ser fechado nos próximos dias.

A formação do bloco deve reduzir a participação na Câmara dos dois partidos que tiveram o melhor desempenho na última eleição. Os petistas saíram das urnas com 56 das 513 cadeiras. O PSL, com 52.

Tradicionalmente, as maiores bancadas têm direito a cargos de comando na Mesa Diretora, além do controle de algumas das principais 25 comissões permanentes, mas o bloco articulado nesta quarta-feira (5) deve barrar essa pretensão.

A articulação do grupo foi noticiada pela Folha na segunda-feira (3). Fazem parte das negociações PP, MDB, PSD, PR, PSB, PRB, PSDB, DEM, PDT, Solidariedade, PTB, PC do B, PSC, PPS e PHS. Caso seja formalizado, o bloco reunirá 340 deputados —o equivalente a 66% da Câmara.

Leia maisPartidos fazem 1ª reunião para fechar bloco e isolar PSL e PT

Em busca de apoio, Onyx quer colocar nome de deputado em placa de obra

Não é possível atualmente registrar o nome de um deputado em placas de obras, mas, neste registro de 2014, no Rio Grande do Sul, o nome de um parlamentar é exibido em uma

Após excluir as cúpulas partidárias das negociações para formação do seu primeiro escalão, o futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL) pretende adotar um novo modelo para conseguir apoio no Congresso.

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), disse a políticos de vários partidos que a partir de 2019 o governo quer vincular explicitamente o nome de deputados e senadores a obras federais tocadas com recursos obtidos por ele por meio de emendas parlamentares. As menções personalizadas incluirão placas dispostas nos canteiros federais. 

As emendas são verbas alocadas no Orçamento pelos congressistas para, em geral, obras em seus redutos eleitorais. Para 2019, os 594 deputados e senadores poderão direcionar R$ 15,4 milhões, cada um, para esse fim.

A maioria dos especialistas ouvidos pela Folha, porém, diz que a medida afronta o princípio constitucional da impessoalidade na gestão pública. 
Ranier Bragon e Camila Mattoso – Folha de São Paulo

Leia maisEm busca de apoio, Onyx quer colocar nome de deputado em placa de obra

Congresso começa a votar proposta da Previdência no primeiro semestre, diz Bolsonaro

Presidente eleito, Jair Bolsonaro, em coletiva

Um dia depois de admitir que poderá apresentar uma proposta fatiada de reforma daPrevidência, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que as mudanças nas regras de aposentadoria devem ser votadas no primeiro semestre de 2019.

“No primeiro mês é impossível, nos primeiros seis meses com toda a certeza, o Congresso começará a votar essas propostas”, disse ao deixar o QG do Exército na tarde desta quarta-feira (5).

Ele repetiu que antes de encaminhar o texto ao Legislativo, vai convidar os líderes partidários para começar a discutir a proposta. 

“Não adianta apresentarmos uma boa proposta, um bom projeto, que acaba ficando na Câmara ou no Senado. Será o pior dos quadros possíveis”, afirmou.

Bolsonaro repetiu que seu objetivo é iniciar as mudanças nas regras de aposentadoria pela idade mínima. 

“O que mais interessa, num primeiro momento, é a idade mínima. Então vamos começar com essa, é a ideia, mas pode mudar e isso não quer dizer que houve recuo, é sinal que houve mais negociação”, disse. Talita Fernandes – Folha de São Paulo

Leia maisCongresso começa a votar proposta da Previdência no primeiro semestre, diz Bolsonaro

Nelter Queiroz solicita adutora para o município de Ouro Branco

O deputado Nelter Queiroz (MDB) registrou no plenário da Assembleia, nesta quarta-feira (5), um requerimento que seu mandato protocolou junto ao Governo do Estado para a construção de uma adutora do Açude Esguicho para beneficiar a população do município de Ouro Branco. 

“A governadora eleita Fátima Bezerra assegurou ao município de Ouro Branco essa adutora e eu venho aqui reforçar a solicitação, que vai beneficiar a população, que hoje sofre com a falta de água”, argumentou.

Nelter Queiroz também fez um apelo ao governador Robinson Faria (PSD) para que suspenda a propaganda do Governo do Estado para que se priorize o pagamento dos servidores estaduais.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: