Mãe de menino do RN fantasiado de escravo se desculpa e apaga posts

'Não leiam livros de história do Brasil. Eles dizem que existiu escravidão de negros no País, mas isso é mentira', afirmou mulher após imagens viralizarem nas redes sociais - Foto: Reprodução/Twitter

Depois da polêmica causada nas redes sociais, a jornalista Sabrina Flor, que mandou o filho para uma festa de Halloween na escola fantasiado de escravo, em Natal, pediu desculpas, excluiu seguidores, fechou sua conta no Instagram e apagou posts. “Queria somente pedir desculpas pelo fato! Jamais foi minha intenção ofender alguém, estou extremamente arrependida por tudo que aconteceu e me sentindo MUITO mal com os xingamentos e ameaças horríveis que estão me mandando. Desculpa a todos, do fundo do meu coração! #paz”, escreveu a jornalista na rede social Instagram nesta terça-feira, 30. 

Mais cedo, a Promotoria de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente do Ministério Público do Rio Grande do Norte instaurou um procedimento para acompanhar o caso. Em nota, o MP afirmou que o acompanhamento do caso transcorrerá em segredo de Justiça por envolver uma criança, conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

O Colégio CEI, onde a criança estuda, emitiu nota. “Lamentavelmente, a escolha do traje para a participação do Halloween, feita pela família do aluno, tocou numa ferida histórica do nosso País. Amargamos as sequelas do trágico período da escravidão até os dias de hoje. O Colégio CEI não incentiva nem compactua com qualquer tipo de expressão de racismo ou preconceito, tendo os princípios da inclusão e convivência com a diversidade como norte da nossa prática pedagógica”. A escola não impediu a participação do aluno na festa.

Sabrina foi procurada pelo Estado, mas não respondeu às tentativas de contato telefônico.

Leia maisMãe de menino do RN fantasiado de escravo se desculpa e apaga posts

Bolsonaro confirma criação de superministério da Economia

0

Após a primeira reunião em que foi tratada a transição de governo, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), decidiu manter o superministério da Economia.

A nova pasta será formada pela junção de Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior e será comandada por Paulo Guedes.

Embora essa estrutura já estivesse no plano de governo apresentado à Justiça Eleitoral, em entrevista recente, Bolsonaro admitiu que poderia manter a pasta de Indústria e Comércio Exterior separada, após sofrer pressão por setores da indústria.

A fusão dos ministérios foi confirmada por dois futuros ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Guedes, ao deixarem a reunião.

Eles confirmaram também que Agricultura e Meio Ambiente serão um único ministério.

Leia maisBolsonaro confirma criação de superministério da Economia

Convite de Bolsonaro será objeto de ‘discussão e reflexão’, diz Moro

O juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, sinalizou nesta terça-feira, 30, ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), sobre eventual convite para chefiar o Ministério da Justiça ou para integrar o Supremo Tribunal Federal (STF). Em nota oficial, o magistrado declarou que ‘caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão’.

“Sobre a menção pública pelo sr. presidente eleito ao meu nome para compor o Supremo Tribunal Federal quando houver vaga ou para ser indicado para Ministro da Justiça em sua gestão, apenas tenho a dizer publicamente que fico honrado com a lembrança. Caso efetivado oportunamente o convite, sera objeto de ponderada discussão e reflexão”, afirmou Moro.

A interlocutores próximos, Moro tem dito que se, de fato, for convidado para o Ministério da Justiça, vai inicialmente conversar com Bolsonaro para identificar ‘convergências importantes’ e ‘divergências irrelevantes’.

O juiz da Lava Jato acredita que no Ministério da Justiça poderia adotar ‘boas iniciativas’. Depois, eventualmente, seguiria para o Supremo, quando surgisse uma vaga na Corte máxima.

Leia maisConvite de Bolsonaro será objeto de ‘discussão e reflexão’, diz Moro

Reforma da Previdência é a mais importante e rápida, diz Guedes

Conheça mais sobre Paulo Guedes, o guru econômico de Bolsonaro

O assessor econômico de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes afirmou nesta terça-feira (30) que a reforma da Previdência deverá ser a primeira ação do governo na economia.

“[A reforma da] Previdencia é a mais importante e a mais rápida. Privatização é devagar e ao longo do tempo”, disse.

Ele evitou, no entanto, dar um prazo.

“Se perguntar ao economista, tinha sido anteontem, 30 anos atrás como o Chile ou dois anos atrás com o Temer. Em três meses, antes de acabar o ano também”, disse.

Guedes participou de reunião nesta terça-feira no Rio para começar o trabalho de transição. Ele afirmou que o foco inicial do governo é o controle da expansão dos gastos públicos. Por isso, a reforma da Previdência é considerada prioritária. 

O assessor econômico de Bolsonaro indicou que pretende apoiar a reforma proposta por Michel Temer, mas pretende ainda avançar em uma mudança para o regime de capitalização (em que os benefícios pagos são resultado da capacidade de poupança do trabalhador).

Leia maisReforma da Previdência é a mais importante e rápida, diz Guedes

Fábio Faria diz que não ajudará “a governadora do PT” e sim a Governadora do RN

“A minha postura vai ser de ajudar o Estado. Eu fui eleito para isso”. Essa foi a resposta do deputado federal Fábio Faria (PSD) ao ser questionado sobre como será sua atuação parlamentar, com o RN governado por Fátima Bezerra do PT.

Fábio destacou que a eleição acabou e não ajudará “a governadora do PT” e sim a Governadora do RN.

“Eu conheço bem os problemas do Estado porque neste mandato pude acompanhar de perto. Sei quanto é difícil governar sem o apoio da bancada federal. Nos últimos anos eu praticamente tive que morar em Brasília buscando recursos pro RN e senti muito a ausência da bancada, principalmente do palanque que vencemos em 2014. Então quero colocar meu mandato à disposição, Inclusive para acompanhar a governadora no que for preciso para ajudar o Estado”, expôs.

O parlamentar, que vai para o quarto mandato, ainda mandou um recado para os colegas: “É preciso união da bancada. O maior exemplo é o Governo do Ceará que foi reeleito. É do PT e mesmo sendo oposição ao presidente Temer (MDB), a bancada de lá se uniu e trabalhou junta pelo Estado. Quando a bancada se une e dá os votos para o presidente, o Estado consegue receber os recursos”.

George Soares quer os melhores cargos no Vale para apoiar Fátima do PT na Assembléia

Para apoiar o futuro governo da professora Fátima Bezerra, do PT e integrar a bancada governista na Assembléia Legislativa do RN, a partir de 2019, o deputado estadual do PR George Soares, vai exigir os melhores e principais cargos comissionados na estrutura administrativa do Estado na cidade do Assu e na região do Vale do Açu para indicar os seus afilhados e apaniguados dos prefeitos que apoiaram o seu projeto de reeleição.

Comenta-se nos bastidores que o chefe da centenária oligarquia e deputado George Soares, já teria garantido aos seus aliados e principais cabos eleitorais nos municípios de Itajá, Ipanguaçu, Assú, Carnaubais, São Rafael, Alto do Rodrigues e Macau, entre outras que vai exigir a nomeação deles no governo da petista Fátima Bezerra, sob ameaça da conduta do faz de conta que apoia mas não apoia, ou rompimento político.

Com seu voto, George Soares quer impor ao governo do PT, uma política de cobrança com a faca no pescoço e do toma lá dá cá. O parlamentar do PR já tem ate uma extensa lista com os nomes dos seus afilhados que serão nomeados por Fátima Bezerra a pedido do irmão do chefete de oligarquia e prefeito do Assú Gustavo Soares a partir de meados de 2019.

Corregedoria do MPF ouvirá população do RN

Aqueles que quiserem fazer críticas, apontar sugestões ou mesmo tirar dúvidas sobre a atuação do Ministério Público Federal (MPF) no Rio Grande do Norte terão a oportunidade de, entre 20 e 22 de novembro, falar com representantes da Corregedoria do MPF.

O atendimento ao público irá oferecer (conforme calendário abaixo) um canal direto de diálogo com a população, através da qual cidadãos ou instituições poderão ajudar na melhoria dos serviços prestados pelo MPF e pelos procuradores da República que atuam no território potiguar. 

As pessoas físicas que desejem participar deverão apresentar RG, CPF e comprovante de residência. No caso de representante de pessoa jurídica, também é necessária cópia do ato constitutivo e de documento que comprove sua legitimidade.

Leia maisCorregedoria do MPF ouvirá população do RN

Robinson publica decreto que normatiza processo de transição do governo do RN

Foi publicado no Diário Oficial do Estado, na edição desta terça-feira (30), o decreto que normatiza o processo de transição entre o governo Robinson Faria (PSD), que deixa a chefia do Executivo estadual no final do ano, e o governo que se inicia em 2019 sob o comando de Fátima Bezerra (PT), eleita no domingo (28).

O decreto dispõe sobre a atuação dos órgãos e entidades da administração pública durante o processo de passagem de um governo para o outro. O objetivo é garantir os princípios de responsabilidade e transparência da gestão fiscal. Todo o processo será dirigido pelo próprio governador, com auxílio do Gabinete Civil.

Ainda de acordo com o documento, Fátima Bezerra poderá indicar a comissão de transição, a qual terá acesso, mediante requerimento formal, a todas as informações sobre as contas públicas, programas e projetos do governo. A indicação será feita mediante comunicação oficial ao governador, que definirá o coordenador. A este coordenador, caberá requisitar as informações dos órgãos e entidades da administração.

Leia maisRobinson publica decreto que normatiza processo de transição do governo do RN

Técnicos da UERN Assú realizam a campanha SOMOS TODOS SERVIDORES

Os técnicos administrativos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em Assú, (UERN/Assú), realizaram uma série de atividades em alusão ao Dia do Servidor Público, comemorado no dia 28 de outubro. Os técnicos, com o apoio do Sindicato dos Técnicos Administrativos (SINTAUERN), promoveram ações envolvendo palestras e distribuição de materiais (folders, banners, cartazes) com o objetivo de agregar uma percepção em torno da valorização da função técnica administrativa do servidor.    

A maior parte das atividades foram focadas em torno da campanha “Somos todos servidores”, baseada no princípio de que a valorização do servidor técnico é fundamental no funcionamento da engrenagem do serviço público de qualidade. Assim, sendo, os técnicos colocaram como ponto fundamental à comunidade uerniana esforços contínuos pela eficácia na prestação dos serviços ofertados pela instituição.

Em nota, os técnicos reforçam que “A construção de uma universidade forte, que atenda e respeite aos cidadãos e norteie suas políticas públicas em servir a população, importa necessariamente na valorização dos Técnicos Administrativos. Condições adequadas de trabalho, reconhecimento e respeito são questões básicas do conjunto de esforços humanos da instituição. Da mesma forma, o acesso a qualificação e um plano de cargos, carreiras e salários que analisa, atualiza e equaliza a estrutura funcional devem ser metas de todo gestor para com a nossa Universidade”.

O papel do Técnico Administrativo vai muito além da burocracia. Mandatos e cargos passam,  mas os técnicos permanecem como memórias vivas em suas funções, frisa o documento.

“Fazer com que todos saibam e reconheçam a importância do trabalho desempenhado pelas categorias deve ser um exercício constante, que passa pelo zelo no contato com a população, pelo cuidado com a imagem pública da categoria e, principalmente, por sua unidade. Somente com união os pleitos tornam-se realidade, metas tornam-se bandeiras e propostas passam a ser conquistas”, conclui a nota dos técnicos.

Prefeitos já cobram R$ 28 bilhões do presidente eleito

Resultado de imagem para Prefeitos já cobram R$ 28 bilhões do presidente eleito

 O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) mal acabou de comemorar a vitória e já recebeu um pedido de R$ 28 bilhões dos prefeitos. Esse dinheiro deveria ter sido transferido pelo governo federal aos municípios para a conclusão de milhares de obras paradas, mas a União costuma postergar o repasse desses recursos para o ano seguinte.

O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi, já se reuniu cinco vezes com a equipe de Bolsonaro e vai retomar o diálogo nos próximos dias. “São restos a pagar da União, que nós chamamos de restos a receber”, diz Aroldi, que vê no novo governo uma preocupação em resolver o problema.

Em seu discurso após a divulgação do resultado das urnas, Bolsonaro disse que as pessoas vivem nos municípios e que “os recursos federais irão diretamente do governo central para os Estados e municípios.”

Além dos recursos para concluir obras paradas, a CNM negocia outras mudanças como por exemplo a chamada “transferência fundo a fundo”, no qual o recurso federal é depositado diretamente em uma conta bancária da prefeitura. Com isso, seriam eliminados os trâmites burocráticos hoje existentes nos ministérios responsáveis pela obra e na Caixa, que atua como agente financeiro. Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

Leia maisPrefeitos já cobram R$ 28 bilhões do presidente eleito

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: