TSE atende Bolsonaro e barra propaganda eleitoral do PT sobre tortura

Resultado de imagem para TSE atende Bolsonaro e barra propaganda eleitoral do PT sobre tortura

Tribunal Superior Eleitoral, em decisão liminar do ministro Luís Felipe Salomão, suspendeu a veiculação da peça de propaganda televisiva da coligação do candidato a presidente da República Fernando Haddad (PT) que exibe cenas de tortura e expõe fala do candidato Jair Bolsonaro como sendo favorável a essa prática.

A decisão atende a um pedido da coligação do PSL. Os advogados alegaram que a propaganda induz o eleitor a pensar que, se Bolsonaro for eleito, vai perseguir e torturar eventuais opositores políticos; dessa forma, a propaganda, segundo os advogados, estaria colocando medo e acirrando os ânimos da população promovendo confronto entre apoiadores dos dois candidatos. 

O ministro Salomão, na decisão publicada neste sábado, 20, afirmou que a “a peça publicitária impugnada ultrapassou os limites da razoabilidade e infringiu a legislação eleitoral” e que “o conteúdo da mídia, diante das cenas de violência, destina-se à faixa etária acima dos 14 anos, e só poderia ser veiculada, na televisão, após às 21h”. Breno Pires, O Estado de S.Paulo

Leia maisTSE atende Bolsonaro e barra propaganda eleitoral do PT sobre tortura

PT do Assú garante vaga de vice para prefeito em 2020 com Ivan Júnior ou George Soares

Com o chefe da oligarquia e deputado estadual George Soares e o ex-prefeito Ivan Júnior, no palanque da candidata a governadora Fátima Bezerra, agora no segundo turno – o PT do Assú praticamente garante a vaga de vice-prefeito na disputa para prefeito do Assú, nas eleições de 2020, se o candidato do PDT Carlos Eduardo Alves, perder a disputa para a senadora petista.

O MDB do Assú sob o comando da vice-prefeita Sandra Alves, estará morto e sepultado. Perderá o lugar de vice na chapa encabeçada pelo candidato do PR a prefeito Nuilson Pinto de Medeiros, chefe da patota do cacique Ronaldo Soares. O MDB também não terá espaço na chapa do grupo liderado pelo ex-prefeito Ivan Júnior.

No entanto, se o candidato a governador Carlos Eduardo Alves, for vitorioso, o MDB vai inverter a situação e não vai querer mais o espaço de vice-prefeito. O partido a nível municipal terá candidato próprio a prefeito do Assú em  2020, podendo fazer aliança com o grupo político de George Soares ou Ivan Júnior.

INFIEL: Rodrigo Aladim é o retrato exato do oportunismo na política

A Bíblia diz, em Mateus Capítulo 6, Versículo 24 que: “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou será leal a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mâmon.”

Servir a dois senhores, segundo a bíblia, nada é senão um grave sintoma de falta de caráter e honradez. É como o torcedor vascaíno que decide mudar e torcer para o flamengo quando este está mais próximo de ser campeão; É raro, mas existe. Nunca duvide do poder de sem-vergonhice do ser humano.

Diferentemente das torcidas no futebol, na política esse comportamento não é, nem um pouco, raro; Mudanças de time, traições e a variação de discursos é, para muitos políticos, parte do jogo. Como verdadeiras “metamorfoses ambulantes” os políticos estão por aí, se esgueirando entre brechas, becos e buracos, escorregando de mão em mão como um sabonete encardido até chegarem onde realmente desejam.

Mas por que isso acontece?

Há um motivo simples e evidente para isto: O DINHEIRO E O PODER ENVOLVIDO NA POLÍTICA.

Com Rodrigo Aladim, personagem principal desta matéria e que é um exímio representante da velha política oportunista e gananciosa – que está sendo varrida Brasil à fora nestas eleições – não poderia ser diferente, senão, vejamos:

Rodrigo iniciou sua curta trajetória política em Macau de forma inferior, estando sempre nos “cóis” do ex-prefeito Flávio Veras, foi secretário e ocupou durante certo tempo a presidência da macauprev. Com expressão ainda nula na política (só participava administrativamente dos governos) sempre cobiçou um cargo eletivo, mas por motivos desconhecidos, nunca foi agraciado nem escolhido para isto.

Em 2016, foi alçado ao cargo de vice-prefeito pelo atual Prefeito de Macau Tulio Lemos e começava ali sua jornada política, ironicamente, pelas mãos e ajuda de um “outsider” – indivíduo que nunca participou de seu grupo – que sempre expressou oposição ao seu antigo grupo.

Em 2017, Rodrigo teve então, significativo espaço na gestão desde o início, mas estranhamente (ou não) no primeiro momento de crise, dificuldade e na minúscula possibilidade de se concretizar uma “revolução” contra seu ex-aliado Tulio Lemos, Rodrigo não contou conversa e correu para os braços da oposição. O “golpe” falhou. O sonho de ser Prefeito no tapetão aos poucos foi se dissipando e seus “amigos” foram cada um pro seu lado.

Em 2018, Rodrigo inicia a campanha eleitoral com eventos e carreatas pelas ruas de Macau, onde puxava pelo braço e dizia ser “o melhor para nossa cidade” o candidato Carlos Eduardo Alves, aplaudiu quando este disse que “iria resgatar o carnaval de Macau” mesmo sabendo que o carnaval já havia sido resgatado pelo seu ex-aliado e atual Prefeito. Discursou ao lado de Carlos Eduardo e disse quase em tom de profecia religiosa que “Carlos Eduardo é quem iria mudar a vida dos norte rio-grandenses e dos macauenses” e que “não tinha dúvidas que ele era o melhor para cuidar do nosso sofrido RN”

No mesmo 2018, hoje, Rodrigo, descaracterizado e pela sombra, escorregou até Natal, tirou foto, abraçou e disse estar ao lado de Fátima Bezerra para o Governo do Estado, concorrente direta do seu “ex-salvador” do estado e melhor candidato Carlos Eduardo.

FATO INTERESSANTE: É fato que mudanças de lado e posicionamentos do primeiro pro segundo turno são naturais quando seu candidato não avança na disputa, o que não é o caso. Veja bem: O candidato arrastado pelas ruas de Macau, aplaudido e exaltado quase como uma divindade por Rodrigo Aladim ESTÁ NO SEGUNDO TURNO; continua na disputa mesmo com poucas chances de vitória.

O QUE MUDOU?

Apenas a máscara. Rodrigo esperava um melhor desempenho de Carlos Eduardo. O que não foi o caso. Hoje na iminência da subida ao poder da candidata do PT, Rodrigo (do PSDB) gruda nela (do PT) na esperança de conseguir um pedacinho, uma sobra da sombra do poder público. Deixando claro que pra ele, vale tudo pelo poder, até perder (ou vender) a vergonha.

DÚVIDA: Qual será a máscara que Aladim usará no próximo ano de 2019 ?
A que estiver ganhando, deduz o leitor.

DETALHE: o termo “ex” foi usado dezenas de vezes nesta matéria, detalhando assim a maior qualidade do sujeito: ser ex.

Ex- amigo, ex-aliado, ex-isso, ex-aquilo. Ou seja: Rodrigo hoje é algo, amanhã é outro. A certeza é uma só, ele estará sempre ao lado dos poderosos dizendo estar ao lado do povo.

O fato é: Se colocado num teste de fidelidade de um programa de TV, Aladim seria aquele cara que participa do quadro, faz tudo que pode e que não pode, ao vivo, e no final vem pedir desculpas a esposa com um buquê de flores dizendo que “mudou”. E mudou mesmo !

Oportunista, mascarado ou flexível, chame como quiser, só não chame de fiel.

Preso chefão do tráfico de drogas em Assú e no RN

Valdenor Xavier de Sousa Júnior (Júnior dos Remédios), de 37 anos, e Ernani Fernandes Brandão Neto, de 23, foram presos em Nova Parnamirim, na Grande Natal — Foto: Polícia Civil do RN/Divulgação

Uma ação conjunta, envolvendo policiais civis da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado do Rio Grande do Norte (Deicor) e da Divisão de Homicídios da Paraíba, prendeu um homem suspeito de participar de uma quadrilha de roubo a bancos e de comandar o tráfico de drogas em várias cidades nos dois estados, principalmente em Assu, no Oeste potiguar, e em Patos, no sertão paraibano.

O preso é Valdenor Xavier de Sousa Júnior, de 37 anos, o ‘Júnior dos Remédios’. Ele é um dos 92 detentos que fugiram da Penitenciária de Segurança Máxima PB1, em João Pessoa, há pouco mais de um mês.

Titular da Deicor, o delegado Odilon Teodósio disse ao G1 que Júnior dos Remédios é responsável por movimentar entre R$ 10 e 20 milhões por mês.

Entre os objetos apreendidos em Cidade Verde, estão vários cartões de crédito, R$ 12.500 em dinheiro, celulares e relógios  — Foto: Polícia Civil do RN/Divulgação

Ao todo, seis pessoas foram presas e mais de R$ 2 milhões em produtos ilícitos apreendidos em uma casa de alto padrão em Nova Parnamirim e em uma granja luxuosa localizada na zona rural de Nísia Floresta, ambas na Grande Natal. Três pessoas conseguiram fugir do cerco à granja, mas já foram identificadas. A operação começou na tarde da sexta-feira (19) e só foi concluída na madrugada deste sábado (20). G1 RN

Leia maisPreso chefão do tráfico de drogas em Assú e no RN

Lula tentou combinar falso testemunho, diz Palocci

O delator Antonio Palocci afirma que, em 2014, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvao procurou para tentar combinar falso testemunho sobre encontros com João Carlos de Medeiros Ferraz, o ex-gerente da área de Finanças da Petrobrás que montou e virou presidente da Sete Brasil – empresa criada e contratada por US$ 22 bilhões para fornecer os primeiros 28 navios-sondas para exploração os poços de petróleo do pré-sal. A proposta teria sido feita quando a Operação Lava Jato já estava nas ruas e começava a chegar no esquema de corrupção nos negócios da estatal.

“Ele (Ferraz) foi falar com o presidente Lula sobre as dificuldades que ele tinha na Sete, pedindo apoio”, afirmou o ex-ministro da Fazenda do primeiro governo do PT e ex-Casa Civil de Dilma Rousseff. “O próprio presidente Lula me falou, porque ele (Ferraz) foi duas vezes ao presidente Lula e o presidente Lula queria depois que soube que o João Ferraz tinha pego propina, o presidente Lula queria que eu assumisse que eu tinha levado o Ferraz lá.”

Palocci narrou em um dos termos de seu acordo de colaboração premiada fechado com a Polícia Federal em Curitiba, homologado em junho, e que serve também para investigação da Operação Greenfield, sobre desvios em fundos de pensão de estatais, que o ex-presidente da Sete Brasil buscou apoio de Lula quando ele já não era mais presidente, entre 2012 e 2013, para os negócios da empresa. Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Julia Affonso e Luiz Vassallo – O Estado de São Paulo

Leia maisLula tentou combinar falso testemunho, diz Palocci

Incentivadora do esporte, Vereadora Fabielle Bezerra participa de abertura de VII jogos de Integração Social em Assu

Aconteceu ontem dia 19 de outubro  em Assu, na escola Estadual Renato Caldas, a abertura do VII Jogos da Integração Social 2018, realizado pela Associação dos moradores dos Bairros Frutilândia I, II e Fulô do Mato e Projeto Atleta Cidadão, a edição 2018 dos Jogos espera registrar uma boa participação dos alunos-atletas de escolas da rede pública municipal de ensino, assim como na edição anterior em 2017.

O evento reuniu crianças e adolescentes participantes das ações sociais executadas pela Associação, mobilizando competidores do projeto Atleta Cidadão, bem como convidados de outras entidades e instituições do município, públicas e privadas.

Sempre atenta às questões relacionadas ao cotidiano da cidade e da população, a vereadora Fabielle Bezerra vem firmando seu compromisso em ser uma facilitadora  em  solucionar  questões sociais. 

Fabielle Bezerra é uma incentivadora do esporte, e acredita que através dele, seja possível uma  transformação social, e o caminho transformador na vida dos jovens da cidade. Por Assessoria

Ministros do TSE defenderam ‘não criar marola’ com ações sobre WhatsApp às vésperas da eleição

 A repercussão da revelação de compra de mensagens em massa no WhatsApp contra Fernando Haddad (PT) dominou conversas de ministros do TSE, corte que lida com o caso.

O entendimento majoritário –inclusive o do corregedor, Jorge Mussi, responsável pela ação contra Jair Bolsonaro (PSL)– foi o de que não caberia promover diligências extravagantes. A eleição não pode ter o curso alterado pelas mãos da Justiça, disse um magistrado. “Não sob o calor dos fatos”, concluiu.

Pato na lagoa Os integrantes do Tribunal Superior Eleitoral ponderaram que, a menos de dez dias do segundo turno, “não é hora de criar marola”. Mussi decidiu na noite desta sexta-feira (19) citar Bolsonaro para que ele se manifeste sobre o assunto. E só.

Fica a dica Para registro: o mesmo ministro que disse ser indesejável interferir no curso da eleição, afirmou que a investigação deve continuar correndo na corte. “Lá na frente, se for o caso, cassa a chapa.” Painel – Folha de São Paulo

Governo estuda decreto para viabilizar leilão que eleva conta de luz

Matriz elétrica brasileira

O governo estuda fazer uma alteração legal, por meio de decreto, para viabilizar um leilão polêmico de usinas térmicas no Nordeste —que, na prática, deverá elevar a conta de luz de todos os consumidores de energia, famílias e empresas.

A ideia é criar um novo conceito de contratação, o chamado “leilão de potência”.

Para isso, seria feita uma mudança em um decreto de 2008, que regulamenta os leilões de reserva –um tipo de contratação em que o governo compra a energia que será gerada para viabilizar o empreendimento e repassa os custos para a conta de luz.

Hoje, esse decreto prevê apenas a contratação de energia de reserva. Agora, o governo estuda incluir no texto a contratação de potência, que não existe na lei.

A diferença entre os modelos é que, no caso da potência, o objetivo é contratar usinas para entregar energia quando há picos de demanda —por exemplo, no caso de escassez hídrica ou quando o consumo tem um forte aumento. Taís Hirata – Folha de São Paulo

Leia maisGoverno estuda decreto para viabilizar leilão que eleva conta de luz

Prefeito Gustavo Soares espera julgamento há oito anos por suspeita de deixar paciente aleijado

O prefeito e médico ortopedista Gustavo Montenegro Soares, irmão do deputado estadual George Soares, está há oito anos aguardando  julgamento de processo, no qual ele é um dos réus acusados de erro médico na ação ajuizada de indenização no valor de R$ 30 mil por danos morais, pelo paciente José dos Anjos Paixão.

Na ação ajuizada, a vítima que ficou aleijada pede a condenação do médico e prefeito do Assú Gustavo Soares e outros acusados por suposta falha ou omissão na prestação de serviços médicos. O processo vem se arrastando e a defesa de todos os acusados alegam inocência e os supostos erros da cirurgia mal sucedida que provocou a acusação e o pedido de indenização de R$ 30 mil.

Na lista dos réus da ação com Gustavo Soares, estão também Hapvida Assistência Médica Ltda, Hospital Antônio Prudente de Natal Ltda, e ortopedista Gentil Fernandes Araújo Filho, mas os três alegaram ilegitimidade passiva para a causa e pediram a produção de prova testemunhal, além da juntada do prontuário integral do paciente e a escala de plantão dos técnicos de enfermagem do dia 13.02.2010, porquanto os documentos juntados pelo Hospital Antônio Prudente estariam incompletos.

Júri Popular condena pistoleiro a 33 anos pela morte do vereador de Assu Manoel Botinha

O Tribunal do Júri Popular condenou um e absolveu dois acusados de matar o vereador de Assu, Manoel Ferreira Targino, Manoel Botinha, e pela tentativa de homicídio contra Francisco Adriano Bezerra, o Biano, em abril de 2015. O júri aconteceu nesta sexta-feira (19), no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins, em Mossoró.

Foi condenado: o pistoleiro José Roberto Nascimento da Silva, conhecido como Feitosa. No plenário, ele confessou o crime e revelou que não matou Botinha por dinheiro. Disse que foi convencido por Sérgio Tavares (morto dois meses depois da morte de Botinha) a ir fazer uma cobrança de R$ 25 mil na oficina do vereador, em Assu.

Feitosa ressaltou em seu longo depoimento no plenário do Tribunal do Júri, que não mata por dinheiro. Que não precisa e mesmo que precisasse não o faria. Assegurou que ganhava a vida fazendo assalto a banco, e antes de matar o vereador, havia feito três grandes assaltos, tendo ficado com R$ 180 mil em dois e mais R$ 110 mil em outro.

O assassino de Manoel Botinha disse que sabe onde tem dinheiro e tem coragem para ir buscar. Pelo assassinato do vereador assuense, Feitosa terminou condenado a 33 anos e 4 meses de prisão no regime fechado. Ele já cumpre pela pelos crimes de assalto a banco e aguarda julgamento por outras ocorrências. As informações são de Mossoró Hoje

Em vídeo, Feitosa confessa o crime e revela a motivação:

‘Prova da cachaça’ termina com participantes em coma alcoólico em Rafael Fernandes

Competição aconteceu durante comemorações pela emancipação de Rafael Fernandes, no Alto Oeste potiguar — Foto: Reprodução

Uma festa promovida por uma prefeitura no interior do Rio Grande do Norte terminou com quatro pessoas hospitalizadas por excesso de consumo de álcool.

É que uma das provas da gincana promovida pela Secretaria de Esporte, Lazer e Cultura de Rafael Fernandes dentro da semana de comemorações pela emancipação do município da região do Alto Oeste potiguar, era a prova da cachaça, vencida por quem conseguisse beber mais. Dois participantes tiveram coma alcoólico.

O prefeito da cidade, Bruno Anastácio, confirmou ao G1 que o evento é da Prefeitura, mas declarou que vai apurar a responsabilidade pela realização dessa e de outra prova: uma corrida de motocicletas que exigia apenas que os participantes tivessem mais de 16 anos. Pelo código de trânsito, só podem pilotar aqueles com mais de 18 anos habilitados pelo Detran.

“A gente está apurando toda essa situação. No momento, estamos acompanhando o atendimento a essas pessoas que estão hospitalizadas. Estamos empenhados primeiro na saúde deles”, disse o prefeito, que confirmou o internamento de duas pessoas.G1 RN

Leia mais‘Prova da cachaça’ termina com participantes em coma alcoólico em Rafael Fernandes

Raquel diz que Lula é detento, e não comentarista político

Foto: Nelson Almeida/AFP

A Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, enviou manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira, 19, contra os pedidos para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conceda entrevistas da cadeia. Preso e condenado na Operação Lava Jato, o petista está na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) desde abril.

No parecer, Raquel ressalta a importância da liberdade de expressão e da imprensa, mas observa que em alguns situações é possível proibir que presos concedam entrevistas. A procuradora afirma que Lula é um detento em “pleno cumprimento de pena” e não um “comentarista de política”.

Depois de uma guerra de liminares entre os ministros Ricardo Lewandowski e Luiz Fux, o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, manteve Lula proibido de falar com a imprensa da prisão, prevalecendo a decisão de Fux.

Agora, Raquel pede que o caso seja analisado pelo plenário composto pelos 11 ministros, por entender que a questão jurídica é “de importância ímpar no Estado Democrático de Direito”, já que examina o alcance da liberdade de expressão de cidadãos condenados que cumprem pena na prisão, assim como da liberdade de imprensa.

“A liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são garantidas na Constituição de 1988, e seus limites na situação em exame clamam por decisão do Plenário do STF”, afirma a procuradora, que chamou atenção para as “cinco diferentes” decisões proferidas pelos ministros “no intervalo de cinco dias”.

Leia maisRaquel diz que Lula é detento, e não comentarista político

Projeto de Lei de Fábio Faria tipifica bullying como crime

Hoje, 20 de outubro, é o Dia Mundial de Combate ao Bullying. A data é um alerta para um problema enfrentado por muitas crianças e jovens. Segundo a UNICEF, uma em cada três crianças do mundo, entre os 13 e os 15 anos, é vítima de bullying na escola regularmente.

O deputado federal Fábio Faria (PSD RN), autor do Projeto de Lei 1.011 que tipifica o “bullying” como crime, com previsão no Código Penal, destacou a importância de se enfrentar esse problema de frente.

“A prática de intimidação conhecida como Bullying é um desafio para educadores de todo o mundo. Mas apesar da gravidade do problema, a legislação brasileira não tratava essa prática como crime. Para preencher essa lacuna legislativa, apresentamos o Projeto de Lei 1.011/11 que inclui a prática de intimidação no Código Penal, para punir agressores. O que se busca é a prevenção e combate mais efetivo para uma mudança nesse comportamento hostil”, explica o deputado.

A proposta de Faria visa inserir, mediante inclusão dos art. 136-A, 136-B e 136- C, o tipo penal “intimidação vexatória” (bullying) no rol dos crimes contra a honra, com punições progressivas de acordo com o caso.

Atualmente o projeto 1011/11 está na Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF), onde já recebeu parecer favorável para aprovação.

%d blogueiros gostam disto: