STF decepcionante chega ao fundo do poço

Resultado de imagem para STF decepcionante chega ao fundo do poço

De decepção em decepção o STF vai levando para a cova sua questionada reputação.

Por Luiz Flávio Gomes*

Oito ministros da Corte Suprema já tinham decidido pela restrição ao odioso foro privilegiado dos deputados, senadores e ministros, quando houve pedido de vista (adiamento) pelo Ministro Dias Toffoli, que no domingo anterior esteve no Palácio do Jaburu (encontro fora da agenda) e na seguinte quinta-feira (23/11/17) se curvou aos interesses das oligarquias políticas dirigentes, que não querem ver restringido o privilégio do foro no STF, posto que fonte segura de impunidade e abrigo da clepto-bandidagem.

Em quase 4 anos de Lava Jato, Moro na primeira instância já aplicou mais de 1.700 anos de cadeia para empresários inescrupulosos e políticos corruptos. O STF, no mesmo período, recebeu seis denúncias e nenhuma delas está pronta para julgamento. Ainda se diz, na Corte, na maior cara de pau, que a lentidão do STF é “lenda urbana”.

O problema maior nessa fase de desmoralização decepcionante do STF não reside no pedido de vista, e sim, no deslavado descumprimento do prazo do Regimento Interno para devolução do processo. Depois de duas sessões a mesma matéria deveria voltar para a pauta. Alguns ministros, no entanto, na cara dura, quando querem protelar subservientemente um assunto de interesse das elites cleptocratas, chegam a segurar o caso por anos. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisSTF decepcionante chega ao fundo do poço

Segovia chefe da PF tem elos com Sarney, Gilmar e CBF, diz Folha

Resultado de imagem para Corintiano fanático, Segovia tem elos com Sarney, Gilmar e CBF

Fernando Segovia novo chefe da Polícia Federal fez uma tatuagem do Corinthians e foi ao Japão

Tendo assumido o cargo com a pecha de estar incumbido de blindar políticos e frear investigações, o novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, tem gastado parte dos seus primeiros dias explicando as relações com os que o indicaram.

A escolha de Segovia foi vinculada a uma articulação dos ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, do ex-presidente José Sarney e do ministro do TCU Augusto Nardes, chancelada pelo presidente Michel Temer.

Seu período como superintendente da PF no Maranhão, entre 2008 e 2010, faz parte do rol de ligações perigosas que jogaram suspeita na nomeação. Em São Luís, Segovia morou em uma casa alugada de uma família de empresários da construção civil ligada aos maiores caciques do Estado, Sarney e Edison Lobão.

Ficou amigo do dono do imóvel, Inácio Regadas, e próximo do irmão, o patriarca da empresa, Marcos Regadas, dono da Franere Construções, que doou dinheiro a campanhas do PMDB. Segovia diz que a escolha da casa se deu sem saber quem era o dono.

Com a família Sarney, segundo relatos à Folha, os encontros eram esporádicos e em eventos públicos, como festas de um colunista social famoso na capital. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisSegovia chefe da PF tem elos com Sarney, Gilmar e CBF, diz Folha

PF ataca cartel em licitações de saneamento em 14 Estados

Resultado de imagem para Operação da PF em SP investiga cartel em obras de saneamento

Em operação conjunta com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Polícia Federal deflagou, na manhã desta segunda-feira, a operação Vinil, que investiga o crime de formação de cartel em licitações com empresas do ramo de conexões de PVC e polipropileno. A apuração tem como alvo licitações públicas de obras de infraestrutura em saneamento de água.

Estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Grande São Paulo e na cidade de Santa Bárbara D’Oeste, no interior do estado, todos expedidos pela 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Além de 65 policiais federais, 20 servidores do CADE trabalham no cumprimento dos mandados.

O inquérito foi aberto em junho de 2017, quando o Ministério Público Federal encaminhou à Polícia Federal um acordo de leniência firmado entre o CADE de uma empresa fabricante de conexões, em que são descritas “condutas anticompetitivas” dela e de outras três empresas do ramo, o que teria afetado o mercado nacional entre os anos de 2004 e 2015, comprometendo licitações em 14 estados. As informações são de O Globo.

Leia maisPF ataca cartel em licitações de saneamento em 14 Estados

Nova Reforma da Previdência afetaria só 35% dos trabalhadores

Resultado de imagem para Nova Reforma da Previdência afetaria só 35% dos trabalhadores

Se a nova versão da reforma previdenciária, mais enxuta, já estivesse em vigor, não teria afetado cerca de dois terços (65,4%) dos beneficiários da Previdência no momento da concessão das aposentadorias ou pensões. O cálculo foi feito pelo consultor do Senado Pedro Nery. O economista usou como base os dados sobre o perfil de quem já está aposentado ou recebe outro benefício previdenciário.

O quadro mostra, portanto, que a grande maioria da população não seria atingida pelas mudanças que o governo tenta aprovar no Congresso Nacional na primeira semana de dezembro. Seriam alcançados pela reforma 34,6% dos trabalhadores.

Os principais afetados pelo projeto de reforma são os servidores públicos federais e os homens que se aposentam por tempo de contribuição, sem necessidade, hoje, de atingir uma idade mínima. “São justamente os que recebem os benefícios de maior valor, embora representem um contingente pequeno da população”, diz Nery. As informações são de  Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli / O Estado de S. Paulo 

Leia maisNova Reforma da Previdência afetaria só 35% dos trabalhadores

Meirelles vai defender com unhas e dentes governo de Temer

Resultado de imagem para meirelles e temer

Com a possibilidade de que Henrique Meirelles decida mesmo disputar a Presidência, a sucessão no Ministério da Fazenda entrou no radar do Congresso. Líderes do governo fizeram chegar ao Planalto que o nome do secretário-executivo da pasta, Eduardo Guardia, não é bem-visto.

Vai por aqui Parlamentares começaram a defender que o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, seja alçado ao posto.

Esse cara sou eu Após os sinais de que o presidente Michel Temer busca um candidato que defenda seu legado, Meirelles foi orientado a vestir a camisa do governo com mais afinco. Vai defender com unha e dentes não só as iniciativas de sua área. As informações são da coluna Painel – Folha de São Paulo.

PT traça estratégias para minar Bolsonaro entre eleitorado jovem

Resultado de imagem para PT traça estratégias para minar Bolsonaro entre eleitorado jovem

A simpatia dos jovens por Jair Bolsonaro tornou-se motivo de preocupação para o PT, que agora traça estratégias para minar o potencial do rival nessa fatia do eleitorado. A sigla identificou que, sem Lula na disputa pelo Planalto, parte dos jovens que o apoia migra para o deputado. Embora não faça sentido para os que ainda se aventuram na análise partidária/ideológica tradicional, o movimento, para o partido do ex-presidente, é prova do descolamento entre a sociedade e a política.

Falo por mim Em análises internas, petistas avaliam que entidades como a UNE, que antes faziam a ponte da legenda com os estudantes, perderam representatividade em parcela expressiva da juventude. Para tentar reverter esse fenômeno, o partido tenta se reconectar a diretórios estudantis —onde o PSOL passou a ter forte presença.

Aos números Segundo a última pesquisa Datafolha, publicada em outubro, Bolsonaro alcança sua melhor marca entre os eleitores de 16 a 24 anos: 24%. Lula também. Ele chega a 38%. Sem o nome do petista na urna, o deputado oscila para 27%. As informações são da coluna Painel – Folha de São Paulo.

Pré-candidatos, ministros privilegiam seus Estados em viagens oficiais

Ministros viajam a redutos

Em 4 de setembro, o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) embarcou às 6h30 em um jato da Força Aérea Brasileira para Belém. Foi de carro até o porto e tomou uma lancha para Barcarena, na região metropolitana, onde almoçou com o prefeito. De volta à capital paraense, reuniu-se com o diretor de um museu e participou, à noite, de um congresso de policiais civis.

Com a pretensão de serem candidatos, ministros de Michel Temer têm dado prioridade a seus domicílios eleitorais em viagens de caráter oficial pelo país. Inauguram obras, participam de solenidades e se reúnem com lideranças locais onde pretendem disputar votos em 2018.

A Folha levantou as agendas públicas, divulgadas pelas pastas, de 16 ministros que devem disputar a eleição. E constatou que, de janeiro a outubro, ao menos seis visitaram suas bases mais vezes do que os demais Estados. Boa parte destinou até um terço da agenda oficial para visitas a seus domicílios eleitorais. O cálculo não incluiu Brasília, onde ficam os gabinetes.

Provável candidato a governador do Pará, Barbalho passou 61 dias, de janeiro a outubro, em compromissos oficiais no Estado –quase o dobro do tempo em que esteve em outras unidades da Federação. Ao todo, foram 110 eventos, inaugurações e reuniões –de vistoria de praias a entrega de caminhões de lixo. As informações são da Folha de são Paulo.

Leia maisPré-candidatos, ministros privilegiam seus Estados em viagens oficiais

Luciano Huck diz que não vai ser candidato à Presidência do Brasil em 2018

Resultado de imagem para No rumo

Em artigo publicado na Folha de São Paulo, apresentador de TV diz que ainda trabalhará pelo país. Eis abaixo texto completo.

No rumo

Como Ulisses em “A Odisseia”, nos últimos meses estive amarrado ao mastro, tentando escapar da sedução das sereias, cantando a pulmões plenos e por todos os lados, inclusive dentro de mim.

A tripulação, com seus ouvidos devidamente tapados com cera, esforçando-se em não deixar que eu me deixasse levar pelos sons dos chamados quase irresistíveis. São meus amores incondicionais. Meus pais, minha mulher, meus filhos, meus familiares e os amigos próximos que me querem bem.

Eles são unânimes: é fundamental o movimento de sair da proteção e do conforto das selfies no Instagram para somar forças na necessária renovação política brasileira. Mas daí a postular a candidatura a presidente da República há uma distância maior que os oceanos da jornada de Ulisses.

Há algum tempo me vejo diante desta pergunta: qual foi exatamente a trajetória, o fato e até mesmo o momento em que meu nome foi lançado entre os possíveis candidatos à Presidência do Brasil?

Eu mesmo demorei um pouco para encontrar a resposta. Mas depois de alguma reflexão, ela veio e me pareceu muito clara: minha exposição pública e, espero, meu jeito, minhas características, minha personalidade e a forma como vejo o mundo. As mesmas forças que me movem desde sempre me levaram a esse lugar.

Leia maisLuciano Huck diz que não vai ser candidato à Presidência do Brasil em 2018

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: