Óbvio que eu me decepcionei com Aécio, diz Luciano Huck

Resultado de imagem para Óbvio que eu me decepcionei com Aécio, diz Luciano Huck

No mesmo dia em que tornou pública, via artigo na Folha, a decisão de não ser candidato a presidente em 2018, o apresentador Luciano Huck disse que ficou desapontado com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), de quem era amigo.

“Levante a mão aqui quem na vida nunca se decepcionou com um amigo. Óbvio que eu me decepcionei”, afirmou ele nesta segunda-feira (27), ao participar de seminário promovido pela revista “Veja”.

Huck, que reiterou a informação de que vai se envolver na campanha do próximo ano apenas como cidadão, foi questionado no local sobre a relação com o mineiro, apoiado por ele na eleição presidencial de 2014.

No dia 11 deste mês, Aécio disse que uma eventual candidatura do comunicador a presidente da República representaria a “falência da política”.

Huck disse que não fala mais com o senador, mas que a amizade dos dois “sempre foi pública”. “Eu apanhei por causa de um erro que eu não cometi. Eu fiquei chateado.” As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisÓbvio que eu me decepcionei com Aécio, diz Luciano Huck

Processos contra partidos do petrolão param no TSE

Resultado de imagem para Processos contra partidos do petrolão param no TSE

Os processos no TSE que apuram se PT, PMDB e PP foram beneficiados com recursos desviados da Petrobrás ainda não avançaram na Corte. As ações podem levar à suspensão de repasses do Fundo Partidário e até a extinção dos partidos.

Em agosto, o Ministério Público Eleitoral pediu que as provas colhidas no âmbito da ação contra a chapa de Dilma-Temer – incluindo o depoimento de delatores da Odebrecht – fossem compartilhadas. Três meses depois, os ministros Rosa Weber (relatora do caso do PT e do PP) e Luiz Fux (relator do PMDB) não decidiram o que fazer.

Outro lado. Procurados na noite de sexta, os gabinetes dos ministros não responderam à Coluna até a conclusão desta edição. As informações são da coluna do Estadão.

Lava Jato diz que políticos criminosos se uniram contra investigações

Resultado de imagem para Lava Jato diz que políticos criminosos se uniram contra investigações

Em carta após encontro no Rio de Janeiro entre as forças-tarefas da Operação Lava Jato, procuradores afirmam, nesta segunda-feira, 27, que a classe política se uniu contra as investigações de escândalos de corrupção. Eles citam as CPIs da Petrobrás e da JBS como formas de retaliação ao trabalho da PF e do Ministério Público Federal e ainda afirmam que a soltura dos deputados estaduais peemedebistas no Rio de Janeiro pelos seus pares, em votação na Assembleia, revelam que ‘tentativas de políticos de garantir a impunidade se intensificarão’.

“Mesmo depois de tantos escândalos, tanto o Congresso como os partidos não afastaram os políticos envolvidos nos crimes. Pelo contrário, a perspectiva de responsabilização de políticos influentes uniu grande parte da classe política contra as investigações e os investigadores, o que se reflete na atuação de Comissões Parlamentares de Inquérito e em diversos projetos de lei que ameaçam as investigações”, afirmam.

Segundo os procuradores, no âmbito da Lava Jato, ‘416 pessoas foram acusadas por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa; 144 réus foram condenados a mais de 2.130 anos; 64 fases foram deflagradas, cumprindo-se 1.100 mandados de busca e apreensão; pelo menos 92 ações penais tramitam na Justiça; 340 pedidos de cooperação internacional foram enviados ou recebidos em conexão com mais de 40 países; e mais de 11 bilhões de reais estão sendo recuperados por meio de acordos de colaboração com pessoas físicas e jurídicas’.

Os procuradores apontam tentativas articuladas pelo Congresso para barrar as investigações, segundo O Estado de São Paulo.

Leia maisLava Jato diz que políticos criminosos se uniram contra investigações

Contas de luz terão alívio com bandeira vermelha 1 em dezembro

As contas de luz terão um alívio em dezembro. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, nesta segunda-feira, que será aplicada no próximo mês a bandeira vermelha no patamar 1 nas tarifas de eletricidade. Ou seja, haverá uma cobrança extra de R$ 3 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

Desde outubro, a bandeira em vigor era a vermelha no patamar 2, a mais cara desse sistema, com custo extra de R$ 5 a cada 100 kWh consumido. A Aneel explicou que uma melhora no nível dos reservatórios permitiu a mudança.

“Houve uma pequena evolução na situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas em relação ao mês anterior, o que possibilitou o acionamento da bandeira vermelha no patamar 1. Ainda que não haja risco de desabastecimento de energia elétrica, é preciso reforçar as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício”, disse a agência, em nota. As informações são de O Globo.

Leia maisContas de luz terão alívio com bandeira vermelha 1 em dezembro

Delator da Odebrecht apresenta planilha de gastos no sítio de Atibaia

O engenheiro Emyr Diniz Costa Junior, um dos delatores da Odebrecht, entregou à Justiça Federal do Paraná uma planilha que relaciona gastos de R$ 700 mil que, segundo ele, foram destinados pelo departamento de propina da empreiteira para custear a compra de materiais de construção para a reforma feita do sítio de Atibaia, que beneficiaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A planilha discrimina quatro lançamentos entre os dias 16 e 30 de dezembro de 2010, último ano do governo Lula – de R$ 380 mil, R$ 120 mil, R$ 197,9 mil e R$ 2,1 mil com o título “Aquapolo”. Emyr disse que recebeu em dinheiro no Projeto Aquapolo, no ABC paulista, onde trabalhava na época, os valores enviados pela equipe de Hilberto Silva, que chefiava o departamento de propina.

Até então, não havia prova de que os valores gastos no sítio tinham saído do departamento de propina da Odebrecht. Além da empreiteira, também fizeram obras no sítio a OAS e o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o documento apresentado pelo colaborador foi localizado pela equipe de perícia nos discos rígidos fornecidos pela empreiteira. As informações são de O Globo.

Leia maisDelator da Odebrecht apresenta planilha de gastos no sítio de Atibaia

‘Não quero ser político’, afirma Huck após anunciar que não disputará eleição

O apresentador Luciano Huck, que nesta segunda-feira publicou um artigo no jornal “Folha de S. Paulo” anunciando que não disputará a eleição presidencial do próximo ano, reafirmou que “não será candidato e que não quer ser político”.

– Não vou ser candidato. Não quero ser político, não sou político – afirmou o apresentador, após participar da série de entrevistas públicas promovidas pela revista “Veja” nesta segunda-feira, em São Paulo.

Huck pretende, porém, se manter ligado aos movimentos Agora! e Renova Brasil, que buscam formar novos quadros para a política nacional:

– Quero usar a voz que eu tenho. Como a gente pode contribuir para ter um país mais legal?

Para o apresentador, não está descartado apoiar um candidato a presidente, mas ele não quis, porém, se comprometer: As informações são de O Globo.

Leia mais‘Não quero ser político’, afirma Huck após anunciar que não disputará eleição

Gilmar defende pedido de vista de Toffoli no julgamento do foro

Resultado de imagem para Gilmar defende pedido de vista de Toffoli no julgamento do foro

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, defendeu nesta segunda (27) o pedido de vista do colega Dias Toffoli no julgamento que discute a limitação do foro privilegiado.

Segundo ele, “a questão é delicada” e precisa ser analisada com responsabilidade.

Na semana passada, a maioria dos ministros votou por restringir o foro privilegiado a deputados federais e senadores, mas o julgamento foi interrompido quando Dias Toffoli pediu mais tempo para analisar o caso.

“Recebemos uma série de demandas. E quem recebe muitas demandas acaba tendo que dar resposta a elas. E nem sempre as respostas serão as mais corretas. Muitas vezes nós nos arrependemos”, afirmou Gilmar, que ainda não votou sobre o tema. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisGilmar defende pedido de vista de Toffoli no julgamento do foro

PF prende banqueiro que teria atuado para operador de Cunha

Resultado de imagem para PF prende banqueiro que teria atuado para operador de Cunha

O banqueiro espanhol David Muino Suarez foi preso preventivamente pela Polícia Federal nesta segunda-feira (27), no aeroporto de Guarulhos (SP).

Suarez, segundo a acusação, foi responsável pela abertura de contas no BSI (banco suíço) para beneficiários de esquema de corrupção na Petrobras.

Entre eles, está João Henriques, identificado pelo Ministério Público Federal como operador de interesses do PMDB.

Segundo as investigações, a aquisição por parte da Petrobras de campo de petróleo em Benin, na África, gerou repasse de US$ 10 milhões para uma off-shore de Henriques. Desses, US$ 1,5 milhão teria sido transferido para conta do ex-deputado federal Eduardo Cunha.

As investigações também identificaram repasses para off-shore no BSI de Pedro Xavier Bastos, ex-gerente da área internacional da Petrobras. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisPF prende banqueiro que teria atuado para operador de Cunha

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: