Justin Bieber é o cantor mais popular entre os psicopatas

Resultado de imagem para Justin Bieber

Um estudo realizado pela Universidade de Nova York revelou que o cantor mais popular entre os psicopatas é ninguém menos que o canadense Justin Bieber. Como informou o “Washington Post”, a faixa “What do you mean”, do mais recente trabalho do cantor, o álbum “Purpose” (2015), é a mais escutada pelos estudantes considerados psicopatas.

A universidade reuniu 190 estudantes de psicologia para realizar a pesquisa. Eles decobriram as 20 canções mais populares entre os jovens psicopatas, bem como as menos populares. Só não descobriram o motivo destas canções despertarem a atenção desse grupo de adolescentes.

Além de “What do you mean”, o estudo descobriu que “Lose yourself”, do Eminem, e “No diggity”, dos Backstreet Boys, estão entre as músicas mais escutadas pelos jovens com alto nível de psicopatia. As menos ouvidas são “Money for nothing”, da banda Dire Straits, e “My sharona”, do grupo The Knacks, e a canção country “Wayward Wind”. As informações são de O Globo.

Sem imposto, sindicato ameaça cortar serviço a associados

Poupatempo: pane no sistema de dados da Prodesp afetou atendimento nesta terça-feira

O fim do imposto sindical, extinto pela reforma trabalhista, ameaça o funcionamento de algumas entidades, principalmente as de menor porte. O Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem de São Paulo (Sinsaude-SP), publicou em seu site que as entidades terão de rever a prestação de serviços a seus associados com a entrada em vigor da reforma trabalhista.

“Alguns serviços, como o odontológico e o salão de beleza foram reavaliados e poderão ser temporariamente suspensos por absoluta falta de recursos”, afirma a entidade.

O sindicato informa que está ‘lutando nas esferas jurídica e política’ pela manutenção dessas fontes de recursos. As informações são da revista VEJA.

Leia maisSem imposto, sindicato ameaça cortar serviço a associados

Petrobras tem lucro líquido de R$ 266 milhões no terceiro trimestre

A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 266 milhões no terceiro trimestre deste ano. O resultado reverte o prejuízo de R$ 16 milhões no mesmo período do ano passado. No ano, o ganho chegou a R$ 5,031 bilhões, revertendo o prejuízo de R$ 17,334 bilhões em relação ao ano de 2016.

Segundo a companhia, o resultado foi puxado pelas maiores exportações líquidas de petróleo e derivados, a preços mais elevados. Houve ainda menor gasto com pessoal. O ganho foi influenciado ainda com a venda da NTS. A geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda, foi de R$ 63,9 bilhões nos primeiros nove meses deste ano, maior que os R$ 63,5 bilhões do mesmo período do ano passado. As informações são de O Globo.

Leia maisPetrobras tem lucro líquido de R$ 266 milhões no terceiro trimestre

Lula sofre derrota no STJ contra Moro

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou à defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um pedido de revisão da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que considerou que o juiz federal Sérgio Moro não é suspeito para julgar o petista.

O pedido foi feito no processo em que Lula foi condenado por Moro a 9 anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá. No dia 8, o STJ publicou decisão do ministro Félix Fischer negando o Agravo em Recurso Especial movido pela defesa, que pedia reavaliação da decisão do Tribunal da Lava Jato – a segunda instância de Moro.

A defesa do petista pediu inicialmente a Moro para que avaliasse sua suspeição. O magistrado negou. Em seguida, recorreu ao TRF-4, que também não deu provimento. Os pedidos e os julgamentos foram realizados em 2016.

Não é a primeira derrota da defesa de Lula no STJ. Em agosto, o ministro Felix Fischer negou um habeas corpus que pedia a suspeição de Moro. As informações são de O Estado de São Paulo.

TSE deve julgar nesta terça, Lula e Bolsonaro por propaganda antecipada

Resultado de imagem para lula e bolsonaro

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deverá julgar na noite desta terça-feira, 14, dois processos envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), ambos acusados de propaganda eleitoral antecipada, informaram fontes ao Broadcast Político. Lula e Bolsonaro lideram as pesquisas de intenção de voto e já anunciaram publicamente a intenção de concorrer ao Palácio do Planalto em 2018.

Os dois casos giram em torno da divulgação na internet de vídeos que, na avaliação do Ministério Público Eleitoral (MPE), fazem referência às candidaturas de Lula e Bolsonaro ao Planalto. A legislação permite a propaganda eleitoral somente a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil R$ 25 mil para quem violar a restrição.

Dentro do TSE e do MPE, a avaliação é a de que os dois julgamentos deverão estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do tribunal sobre o tema nas eleições de 2018. Segundo o Broadcast Político apurou, se discute dentro do tribunal a possibilidade de os vídeos serem exibidos na sessão desta terça-feira. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisTSE deve julgar nesta terça, Lula e Bolsonaro por propaganda antecipada

‘O PSDB não é um partido sério desde Fernando Henrique’, diz Ciro

Resultado de imagem para 'O PSDB já não é um partido sério desde Fernando Henrique', diz Ciro

“O PSDB já não é mais um partido sério desde o [governo] Fernando Henrique”, comentou, após participar de um debate na FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), em São Paulo.

Ele respondia a uma pergunta a respeito da crise interna do PSDB, que se divide em relação ao apoio a Michel Temer.

Na semana passada, as tensões no tucanato se acirraram quando Aécio Neves afastou Tasso Jereissati -antigo aliado de Ciro no Ceará- da presidência interina da legenda e nomeou o paulista Alberto Goldman.

“Isso aí é só um desdobramento da corrupção que o Fernando Henrique impôs à estrutura do PSDB”, afirmou o pedetista, em crítica à aliança do ex-presidente tucano com lideranças do PMDB em seu governo (1995-2002).

“Renan Calheiros foi ministro da Justiça do Brasil, minha filha. Ninguém se lembra disso -eu não esqueço. Foi comandante em chefe da Polícia Federal. O Eliseu Quadrilha [em alusão a Eliseu Padilha, atual ministro-chefe da Casa Civil] era ministro dos Transportes.”

Leia mais‘O PSDB não é um partido sério desde Fernando Henrique’, diz Ciro

Em troca do limite em 12% do ICMS, empresas aéreas prometem novos voos

Em troca do limite em 12% da alíquota do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado sobre a venda do combustível de aviação, a associação das empresas aéreas promete oferecer mais 190 voos domésticos diários em quatro meses, aumento da arrecadação do tributo com o maior número de passagens vendidas e geração de empregos no segmento. O projeto está que limita a cobrança do tributo está em discussão no Senado. Hoje, os estados cobram percentuais de 3% a 25%.

Estudos apresentados pela associação das companhias na comissão do Senado que discute o assunto projetam uma arrecadação média de impostos de R$ 27,2 mil e 7 novos empregos a cada decolagem. Senadores de estados como São Paulo que cobram a alíquota de 25% do ICMS sobre a comercialização do combustível de aviação resistem ao limite do tributo.

Para tentar superar a resistência dos parlamentares que receiam o não cumprimento da promessa das empresas, a associação das companhias enviou carta ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), se comprometendo com a contrapartida. As informações são de O Estado de São Paulo.

PP quer presidente da Caixa no Ministério das Cidades

DSC_0794

Dono da quarta maior bancada da Câmara, com 45 deputados, o PP reivindica o Ministério das Cidades e quer indicar para o posto o atual presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi. O titular da pasta, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), pediu demissão do posto nesta segunda-feira, 13. O argumento foi o de não ter mais apoio entre os demais tucanos para continuar no posto.

O PP reivindica o comando de Cidades por ser um das pastas de maior capilaridade política. Integrante do chamado Centrão, grupo do qual também fazem parte PR, PTB e PSD, a legenda encabeça pressão para que Temer faça uma reforma ministerial para diminuir o espaço do PSDB no governo.

Filiado ao PP, Occhi já foi ministro das Cidades durante o segundo mandado da presidente cassada Dilma Rousseff (PT). Ele ficou no cargo entre março de 2014 e abril de 2016, véspera da votação do impeachment da petista na Câmara. De perfil técnico, ele é homem de confiança do presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), e sua indicação agradaria a bancada da sigla no Congresso Nacional. Como não pretende disputar as eleições de 2018, Occhi não precisaria deixar o ministério em abril. As informações são de O Estado de São Paulo.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: