Câmara articula o fim das férias de 60 dias para procuradores e juízes

Rubens Bueno_Dida

Após a polêmica envolvendo a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois (PSDB), a comissão especial que analisa o projeto que regulamenta o limite salarial dos servidores prepara uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para regulamentar as possibilidades de acúmulo de salários além do teto do funcionalismo público, de R$ 33,7 mil, quando há ocupação de diferentes cargos. A mudança constitucional também deve propor o fim das férias de 60 dias concedidas a membros do Judiciário e do Ministério Público.

Segundo o relator do projeto, deputado Rubens Bueno (PPS-PR), a PEC é necessária para contemplar decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF), com repercussão geral, que prevê a incidência de mais de um teto remuneratório no caso de acumulação de vínculos com a administração pública. Na prática, isso legaliza o recebimento acima do limite de R$ 33,7 mil, que é o salário de um ministro do Supremo. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisCâmara articula o fim das férias de 60 dias para procuradores e juízes

30% de idosos têm dificuldades nas atividades de rotina

O Brasil possui a quinta maior população idosa do mundo, com cerca de 29,3 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Desse total, 30,1% têm alguma dificuldade para realizar atividades da vida diária, segundo dados divulgados nessa segunda-feira (6) pelo Ministério da Saúde.

Dessa parcela, 17,3% têm muita dificuldade com atividades instrumentais, como preparar alimentos, cuidar da casa e se deslocar. Outros 6,8% apresentam dificuldades em atividades básicas, como vestir-se e alimentar-se.

Doenças crônicas. Preocupa também, segundo a pasta, o avanço das doenças crônicas nessa população. Atualmente, entre os idosos de 60 a 69 anos, 25,1% têm diabetes, 57,1% foram diagnosticados com hipertensão, além de a maioria estar com excesso de peso (63,5%) e 23,1%, com obesidade.

Leia mais30% de idosos têm dificuldades nas atividades de rotina

PT não quer aliança com PMDB

ff

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), divulgou um texto em suas redes sociais na segunda-feira (6), no qual defende a decisão da direção do partido que restringe a política de alianças petista às legendas e grupos de esquerda. O texto é uma reação à entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo” do presidente estadual do PT de São Paulo e pré-candidato ao governo paulista Luiz Marinho, para quem a proibição deve ser revista.

“O PT tem sua aliança política com o povo brasileiro, suas lutas e conquistas. A aliança eleitoral para eleger Lula em 2018 tem de ser construída com setores progressistas da sociedade e com a centro-esquerda, baseada na reconstrução do Estado e na revogação dos retrocessos implementados por esse governo golpista”, diz Gleisi.

A senadora inclui no leque de alianças indesejadas as forças que apoiaram a reforma trabalhista, a emenda do teto, a revisão do sistema de exploração do pré-sal e as privatizações do governo Michel Temer.

Leia maisPT não quer aliança com PMDB

Ministro é acusado de cobrar propina em contratos federais

d

O marqueteiro Renato Pereira afirma que o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, cobrou 4,5% de propina para que a Prole, empresa do publicitário, pudesse participar dos contratos de publicidade do Ministério da Saúde, órgão sob influência do PMDB desde 2015. Pereira diz, inclusive, ter conseguido reduzir para 3% a comissão a ser paga, depois de se encontrar com Picciani no apartamento do ministro no Rio.

Mas, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e as alterações no ministério, o negócio não foi adiante, segundo o marqueteiro. Entre 2007 e 2017, a Propeg faturou R$ 546,3 milhões em contratos da área de Saúde do governo federal – 42% do total faturado pela agência nos últimos dez anos com a União: quase R$ 1,3 bilhão.

Em nota, Picciani disse que as acusações do delator “são fantasiosas” e “mentiras de quem quer se livrar da cadeia acusando outros sem provas”. A Propeg também negou e disse que “ninguém da agência tem relação com Picciani”. O presidente da Nacional Comunicação, Paulo de Tarso, negou as acusações de Pereira.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: