Sem previsão de fim do impasse, relação entre Tasso e Aécio se deteriora

Resultado de imagem para aecio e tasso

A semana recomeça com o impasse sobre o comando do PSDB longe de terminar e com o racha interno se agravando. O presidente interino, Tasso Jereissatti (CE), e seu grupo anti-governo, pressionam pela renúncia do senador Aécio Neves (MG) da presidência antes da convenção nacional marcada para 09 de dezembro.

Já os governistas resistem e articulam para, em caso de resolver sair antes desta data, Aécio indique outro vice-presidente da legenda para ficar como interino, no lugar de Tasso, até dezembro. Esse movimento inclui o lançamento da candidatura do governador de Goiás, Marconi Perillo, a sucessão de Aécio em dezembro, contra uma possível reeleição de Tasso.

O certo é que a relação de Tasso e Aécio, uma amizade de 30 anos, é hoje marcada por mágoas e rancores, e dificilmente será recomposta. As informações são de O Globo.

Leia maisSem previsão de fim do impasse, relação entre Tasso e Aécio se deteriora

Temer garantiu mais R$ 800 milhões em emendas

Prestes a passar pela segunda votação de denúncia na Câmara dos Deputados, o presidente Michel Temer continua generoso na liberação de emendas. Só em outubro, até o dia 18, mais R$ 800 milhões foram compromissados com iniciativas de bancadas, deputados e senadores.

O valor empenhado neste mês  é 314% maior do que o do mesmo período do ano passado – quando Temer liberou R$ 257,9 milhões do orçamento. No entanto, o montante ainda está muito abaixo dos reservados quando a primeira denúncia foi apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, e estava sendo preparada para ser avaliada em plenário.

Em junho e julho, R$ 2 bilhões e R$ 2,4 bilhões, respectivamente, foram empenhados para os pleitos dos parlamentares. Nesses meses tramitou a primeira contra Temer na Câmara dos Deputados.

Com os valores recorde, aproximadamente R$ 6,4 bilhões já estão comprometidos para as emendas de parlamentares e bancadas. As informações são do portal Contas Abertas.

Leia maisTemer garantiu mais R$ 800 milhões em emendas

Câmara gasta R$ 101 mil por dois meses de lanches e coquetéis

Resultado de imagem para camara dos deputados

A Câmara dos Deputados esteve “enrolada” com a votação da nova denúncia contra o presidente da República, Michel Temer. No entanto, as comidinhas para eventos da Casa não ficaram com menos atenção.

A Câmara reservou R$ 101,4 mil, por meio de duas notas de empenhos, para o fornecimentos de “lanches, coquetéis, almoços, jantares ou similares” em eventos do órgão. O pedido foi realizado pelo Centro de Formação, Aperfeiçoamento e Treinamento e pela Secretaria de Comunicação da Casa.

Os recursos atendem despesas para o período de 15 de outubro a 22 de dezembro de 2017. A empresa “Taioba Self-Service Ltda” foi contratada com dispensa de licitação, com base na lei 8.666, de 1993, a Lei das Licitações.

De acordo com o trecho da lei destacado pelo empenho, é dispensável a licitação na contratação de remanescente de obra, serviço ou fornecimento, em conseqüência de rescisão contratual, desde que atendida a ordem de classificação da licitação anterior e aceitas as mesmas condições oferecidas pelo licitante vencedor, inclusive quanto ao preço, devidamente corrigido.

Lula diz que, se eleito, fará referendo para revogar medidas de Temer

lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, em entrevista ao jornal espanhol “El Mundo”, que vai propor um referendo revogatório de “muitas das medidas aprovadas” pelo governo de Michel Temer, como uma proposta para recuperar o país caso seja eleito presidente em 2018.

“É criminoso ter uma lei que limite durante 20 anos o investimento do Estado. No Brasil, ainda faltam coisas básicas, como saneamento, tratamento de água, casas”, disse.

Questionado sobre a boa repercussão no mercado do governo Michel Temer, Lula disse que isso é claro, uma vez que querem privatizar o país.

Na entrevista, ele disse que quer voltar a ser presidente para mostrar ao mundo que o País pode funcionar. “Não há ninguém que saiba governar o povo mais necessitado como eu faço”, afirmou. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisLula diz que, se eleito, fará referendo para revogar medidas de Temer

Em nova caravana, por Minas, Lula fará afagos ao empresariado

Marlene Bergamo - 24.ago.2017/Folhapress

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva planeja passar seu aniversário, na próxima sexta-feira (27), ao lado do empresário Josué Gomes.

A escolha da Coteminas, em Montes Claros (MG), como palco da comemoração de seus 72 anos não traduz apenas um afago no filho de José de Alencar (1931-2011), seu vice e fundador da têxtil agora presidida por Josué.

Em nova caravana, desta vez pelo Estado de Minas Gerais, Lula pretende reerguer uma ponte com o empresariado e avançar com alianças para além de sua base.

Com duração de oito dias e um roteiro de 12 cidades, a viagem tem início nesta segunda-feira (23), com ato político em Ipatinga (MG) em defesa da soberania nacional. A cidade de tradição operária, que é um dos berços do PT, servirá de palco para discurso sobre a questão trabalhista e críticas ao governo Michel Temer (PMDB).

Para petistas, Josué é o “vice dos sonhos”. A ideia é reeditar a aliança de 2002, que levou Lula e Alencar ao Planalto. Josué, porém, é filiado ao PMDB, partido pelo qual concorreu ao Senado em 2014, e teria que trocar de sigla. As informações são da Folha de São Paulo.

Leia maisEm nova caravana, por Minas, Lula fará afagos ao empresariado

Ministro do STF critica tráfico em novela e bate boca com internautas

 Ministro Alexandre de Moraes durante sessão no plenário para as pautas do Supremo Tribunal Federal

O ministro do STF Alexandre de Moraes usou sua conta no Twitter para criticar, na madrugada deste domingo (22), a trama sobre tráfico de drogas na novela “A Força do Querer”, da rede Globo, e bater-boca com internautas.

Moraes havia acusado a trama escrita por Glória Perez de glamorizar o tráfico durante palestra em São Paulo na sexta (20). No final de semana, foi ao Twitter responder a críticas sobre o posicionamento: “Vocês concordam com o glamour do tráfico de drogas, banhado a sangue contra o trabalho sério do povo brasileiro?”, escreveu.

Minutos antes, havia feito críticas a um texto do jornalista Josias de Souza, publicado no “UOL”, a respeito da declaração sobre a novela das 21h, que terminou nesta semana.

Na palestra na EPM (Escola Paulista de Magistratura) Moraes falou sobre a abordagem feita na novela por meio da personagem Bibi Perigosa (Juliana Paes), baseada em uma história real de uma das mulheres de chefes do tráfico. As informações são de ANGELA BOLDRINI, Folha de São Paulo.

Leia maisMinistro do STF critica tráfico em novela e bate boca com internautas

Partidos nanicos se unem para contestar reforma política no STF

Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, durante votação de proposta da reforma política no começo do mês

Principais afetados pela reforma política aprovada pelo Congresso, os partidos nanicos –aqueles com baixo desempenho nas eleições– se unem para contestar as novas regras na Justiça.

Três são os pontos contra os quais se voltam siglas de diferentes posições ideológicas: o fim das coligações para eleições do Legislativo, a criação de uma cláusula de desempenho e um novo fundo público eleitoral.

Toma-se como exemplo a vitória alcançada em 2006, quando o Supremo Tribunal Federal acatou uma Adin (ação direta de inconstitucionalidade) encabeçada pelo PC do B e considerou inconstitucional uma regra para restringir os direitos das legendas com poucos votos nas eleições daquele ano.

Desta vez, a reação teve início com o PSL, que protocolou na terça (17) uma Adin no STF. O texto, assinado pelo advogado Modesto Carvalhosa, diz que é inconstitucional o fundo que distribuirá R$ 2 bilhões aos partidos em 2018 para financiar as campanhas. As informações são de MARCO RODRIGO ALMEIDA, Folha de São Paulo.

Leia maisPartidos nanicos se unem para contestar reforma política no STF

PF conclui que Pimentel favoreceu Casino e indicia primeira-dama

Pimentel e Carolina

Em relatório encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) no âmbito da Operação Acrônimo, a Polícia Federal concluiu que o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), atuou com o auxílio do ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho para favorecer o Grupo Casino ao não liberar empréstimo para viabilizar a fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour. Na época dos fatos investigados, Pimentel chefiava o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e presidia o Conselho de Administração do banco público.

Segundo a PF, Pimentel e Coutinho se articularam para impedir a concretização de um empréstimo do BNDES para o empresário Abilio Diniz, que na época buscava apoio do banco público para a fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour. Em fevereiro de 2011, Diniz apresentou o projeto de fusão a Coutinho, que teria autorizado a realização de estudos técnicos sobre a operação. À época, Diniz e os franceses do Grupo Casino disputavam o controle do Pão de Açúcar.

A PF aponta no relatório que o Casino, contrário à compra, teria efetuado pagamentos para uma empresa que cedeu 40% dos valores à mulher de Pimentel, Carolina de Oliveira. Para os investigadores, o repasse seria uma contrapartida à inclusão de uma cláusula em desfavor de Diniz. A cláusula tratava da obrigatoriedade do Pão de Açúcar não possuir qualquer disputa judicial com os franceses para poder ter acesso ao dinheiro do BNDES. As informações são da Agência Estado.

Leia maisPF conclui que Pimentel favoreceu Casino e indicia primeira-dama

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: