fbpx

Apoio a governo militar no Brasil é maior que média global, diz pesquisa

Resultado de imagem para Apoio a governo militar no Brasil é maior que média global, diz pesquisa

A parcela de brasileiros que apoia pelo menos uma forma de governo “não democrática” e que mostra simpatia por militares no poder é maior do que a média global, segundo um levantamento realizado pelo americano Centro de Pesquisas Pew em 38 países.

Segundo a pesquisa, 23% dos entrevistados no Brasil dizem não gostar da democracia representativa e apoiam ao menos uma das três formas de governo: tecnocrático, militar ou com um “líder forte”. Nos 38 países, a média é de 13%, com 23% que dizem descartar formas de governo “não democráticas”.

Se contabilizados os brasileiros que consideram a democracia representativa “boa”, mas também apoiam ao menos uma forma de governo “não democrática”, a parcela do país que considera válido um regime militar, tecnocrático ou autoritário, sobe para 62%.

O levantamento foi feito entre fevereiro e maio com 41.593 pessoas nos 38 países de cinco continentes. No Brasil, foram entrevistadas 1.008 pessoas, pessoalmente, entre março e abril, com margem de erro de 4,7 pontos percentuais. As informações são de ISABEL FLECK, Folha de São Paulo.

Leia maisApoio a governo militar no Brasil é maior que média global, diz pesquisa

Bancada dos ruralistas comemora decreto de Temer sobre trabalho escravo

Alessandro Molon
Deputado oposicionista Alessandro Molon diz que ‘Temer parece desconhecer qualquer limite’

Enquanto integrantes da bancada ruralista comemoraram, deputados da oposição criticaram e prometeram apresentar projeto para sustar decreto publicado nesta segunda-feira (16) pelo Ministério do Trabalho dificultando a comprovação de trabalho escravo. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União (DOU).

Membro da oposição ao governo, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) afirmou que apresentará nesta terça-feira (17) projeto de decreto legislativo para sustar o decreto. “(O presidente Michel) Temer parece desconhecer qualquer limite. Sepultar o combate ao trabalho escravo em troca de salvação na Câmara é escandaloso, além de brutal com milhares de brasileiros”, disse, em nota.

Integrante da bancada ruralista, o líder do PSD na Câmara, deputado Marcos Montes (MG), elogiou o decreto, que, segundo ele, era uma demanda antiga do setor. “O decreto constrói uma questão mais clara sobre a definição do que é trabalho escravo. A lista agora não vai mais poder ter excessos”, afirmou o parlamentar mineiro.

O decreto foi publicado nesta segunda-feira no DOU, na mesma semana em que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara votará a segunda denúncia contra o presidente. No plenário, a votação da peça acusatória está prevista para a próxima semana. As informações são da Agência Estado.

Leia maisBancada dos ruralistas comemora decreto de Temer sobre trabalho escravo

Moraes é relator de pedido para que votação sobre Aécio seja aberta

Alexandre de Moraes

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteado na tarde desta segunda-feira (16) para ser o relator do mandado de segurança de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-Amapá), que defende a votação aberta das medidas cautelares impostas pela Primeira Turma do STF ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente licenciado do PSDB nacional. A votação no Senado está prevista para ocorrer nesta terça-feira (17).

Em fevereiro deste ano, Alexandre de Moraes comunicou a Aécio Neves a sua desfiliação do PSDB, após ser indicado pelo presidente Michel Temer para assumir a cadeira de Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro.

Ao recorrer ao STF, Randolfe menciona reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, publicada na semana passada, que mostra a articulação de senadores para que seja secreta a votação sobre o afastamento de Aécio das funções parlamentares. Para Randolfe, os desdobramentos do caso Aécio “parecem estar longe de apontar para uma solução nos trilhos do combalido Estado Democrático de Direito pátrio”. As informações são da Agência Estado.

Leia maisMoraes é relator de pedido para que votação sobre Aécio seja aberta

Presidente da Caern recebeu salário de R$ R$ 51 mil em julho

No governo de Robinson Faria, o diretor presidente da Companhia de Águas e Esgotos do RN – CAERN , Marcelo Saldanha Toscano, ganha muito mais do que a secretária de Segurança Pública do RN, delegada Sheila Freitas, que recebe salário de R$ 36.462,17.

No mês de julho, o presidente Marcelo Toscano, embolsou um salário de R$ 51.420,06. Em janeiro, ele ganhou a quantia de R$ 26.185,94. Já em fevereiro, o salário dele pulou para R$ 28.409,94 e em março e abril Toscano, voltou a faturar R$ 26.185,95.

Em maio, o presidente Marcelo Toscano embolsou a bagatela de R$ 29.152,60 e em junho, o salário dele aumentou para R$ 37.096,75. Já em agosto, Marcelo Toscano passou a ganhar R$ 30.861,65 e em setembro, ele recebeu apenas R$ 32.744,80.

Marcelo Toscano ganha salário maior do que o governador Robinson Faria

Resultado de imagem para robinson faria e marcelo toscano

O diretor presidente da Companhia de Águas e Esgotos do RN – CAERN , Marcelo Saldanha Toscano, é um dos afilhados do governo Robinson Faria mais bem remunerado do Rio Grande do Norte para exercia a chefia numa empresa da administração indireta no Estado.

A média salarial do presidente Marcelo Toscano gira em torno de R$ 30 mil brutos por mês. Marcelo toscano chegou a embolsar no mês de julho, um salário milionário de R$ 51.420,06. Ele recebe mais que o seu chefe e governador que recebe um salário bruto mensal no valor de R$ 21.914,76.

Na prática, o diretor presidente Marcelo Toscano recebe salário mensal superior duas vezes, do que ganha um secretário de Estado. Marcelo ganha mais por mês do que recebe um deputado estadual que embolsa R$ 25.322,25.

 

Semarh apresenta experiências em Congresso Mundial de Dessalinização

O Governo do Estado, através da Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), está presente no Congresso Mundial de Dessalinização, reconhecido como o principal evento mundial na área. O encontro acontece desde ontem (15), em São Paulo (SP), e encerra sua programação na sexta-feira (20) com uma visita no sistema de dessalinização movido à energia solar, implantado pela (Semarh), através do Programa Água Doce (PAD), na comunidade Maria da Paz, em João Câmara.

Durante os quatro dias do evento, primeiro que acontece num país da América Latina, ocorrerão mesas redondas, workshops e uma sessão plenária interativa. No Painel sobre o PAD, dentro do auditório principal, o secretário adjunto da Semarh, Mairton França, vai apresentar as experiências do Estado com dessalinização de água e reutilização do rejeito para produção de peixes e ervas.

“Nossa política adotada para gerir os dessalinizadores, em parceria com as comunidades, é uma referência nacional, exemplo disso é a escolha do RN para implantação do primeiro sistema de dessalinização alimentado por energia solar, no âmbito do PAD”, frisa Mairton.

Leia maisSemarh apresenta experiências em Congresso Mundial de Dessalinização

Pavão trava queda de braço com Rizza Montenegro por poder em Assú

Com o aval do ex-prefeito Ronaldo Soares, pai do prefeito Gustavo Soares e do irmão do gestor deputado estadual George Soares, o super secretário de Infraestrutura da Prefeitura do Assú, começou a medir forças com a mãe do prefeito Gustavo Soares e secretária executiva de Desenvolvimento Humano da Prefeitura do Assú, Rizza  Montenegro, para ver quem manda mais no governo.

Comenta-se que Rizza Montenegro, indicou mais de 40 afilhados para ocupar cargos no governo do filho,  uma verdadeira tropa de choque para defendê-la e projetá-la futuramente como candidata a prefeita do Assú, mas a manobra dela passou a ser combatida abertamente pelo Pavão que discorda dessa excessiva concentração de poder de Rizza.

Comenta-se que Rizza quer impedir a nomeação da afilhada política do Pavão para comandar a Secretaria de Saúde do Assú no lugar de Lula de Lourinaldo. Ela discorda da troca e alega que a indicada por Nuilson, Linduina Melo, é uma pessoa de comportamento dificil e que tem muita rejeição da população e dos profissionais que atuam na saúde municipal.

Governo Temer cria regras que dificultam combate ao trabalho escravo

Resultado de imagem para temer e rogerio marinho

Em meio à análise da nova denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, o governo atendeu a um pleito antigo da bancada ruralista: criou regras que, na prática, dificultam a fiscalização e punição de empregadores flagrados cometendo trabalho escravo.

Em portaria divulgada nesta segunda-feira, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, determinou que a “lista suja“, que traz os nomes dos empregadores autuados pela prática do crime, só será divulgada “por determinação expressa” dele ou de quem estiver como titular da pasta. Antes, essa atribuição era da área técnica.

A portaria trouxe ainda novos conceitos de práticas ligadas ao trabalho análogo à escravidão. Para que sejam caracterizadas a jornada excessiva ou a condição degradante, por exemplo, agora terá que haver a restrição de liberdade do trabalhador. As informações são de O Globo.

Leia maisGoverno Temer cria regras que dificultam combate ao trabalho escravo

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: