fbpx

Meta do PAT é beneficiar 18 mil famílias em 50 cidades do RN, diz Ivan Júnior

Na manhã de hoje (19), durante a edição do Vila cidadã em Olho D’Água do Borges, o governador Robinson Faria e o secretário Ivan Júnior assinaram acordos com a prefeita Maria Helena para a gestão dos Sistemas Simplificados de Abastecimento de Água implantados pelo governo do RN através do PAT, na cidade.

As três tecnologias estão beneficiando quase mil pessoas, que antes tinham dificuldade de ter acesso à água. Ivan destaca que o investimento, nesse caso, foi de 670 mil reais. “Também estamos desenvolvendo ações semelhantes em outros municípios da região, com investimento de quase dois milhões. A intenção do Governador é estruturar todo o Estado para o homem do campo não sofre tanto em situações extremas” disse ele.

A meta do PAT, aqui no RN , é beneficiar em torno de 18 mil pessoas em 50 municípios do Estado.

Fachin nega a amigo e ex-assessor de Temer acesso à delação de Funaro

O advogado José Yunes, ex-assessor e amigo do presidente Michel Temer, bem que tentou, mas não conseguiu autorização do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), para ter acesso à íntegra da delação de Lúcio Funaro. Apontado como operador de políticos do PMDB em esquemas de desvio de dinheiro público, Funaro cita Temer e outras figuras importantes do partido em sua colaboração. Yunes argumentou que, segundo reportagens publicadas na imprensa, Funaro fez citações a ele. Assim, para verificar se houve omissões do delator e exercer o direito de defesa, pediu acesso a todos os depoimentos e elementos de provas trazidos por Funaro.

Em sua delação, o operador disse que buscou uma caixa com R$ 1 milhão no escritório de Yunes. O dinheiro pertenceria a Temer a partir de um acordo de caixa dois feito com a Odebrecht. A quantia foi remetida a Salvador, mais especificamente para o ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), outro amigo íntimo do presidente da República, segundo o delator. O acerto do caixa dois com a empreiteira foi feito, conforme a delação, por Temer e pelo ministro da Casa Civil da Presidência, Eliseu Padilha. Temer e Padilha negaram as acusações. Geddel se encontra preso atualmente. As informações são de O Globo.

Leia maisFachin nega a amigo e ex-assessor de Temer acesso à delação de Funaro

Terremoto de 7,1 graus abala o México e deixa 49 mortos

Prédio destruído após terremoto na Cidade do México - Foto: Omar Torres/AFP

Um forte terremoto de 7,1 graus na escala Richter foi registrado nesta terça-feira, 19, no México apenas 12 dias depois de um tremor de 8,2 graus atingir a costa sul do México. O tremor deixou ao menos 49 mortos, 42 deles no

Estado de Morelos. Segundo a proteção civil, duas pessoas morreram no desmoronamento de uma escola no Estado de Puebla. O governador do Estado do México, Alfredo del Mazo, disse que as outras cinco vítimas morreram na capital, mas havia pessoas presas em edifícios que desmoronaram.  O governador acrescentou que seis crianças ficaram feridas em um desmoronamento no município de Ecatepec.

De acordo com o governador de Morelos, Graco Ramírez, o maior número de vítimas foi registrado no município de Jojutla, onde 12 pessoas morreram.

O fenômeno sacudiu edifícios e causou pânico, levando as pessoas a correr para as ruas. O tremor ocorreu no mesmo dia em que se completa 32 anos do terremoto de 8,1 graus que deixou ao menos 10 mil mortos na capital mexicana. No momento do tremor, várias pessoas participavam justamente de um treinamento para lidar com sismos. As informações são de O Estado de São Paulo, EFE, REUTERS, AFP e AP,

Governo Temer corta 87% do orçamento do Ministério do Esporte para 2018

O presidente Michel Temer recebe atletas olímpicos após os Jogos de 2016

Se o primeiro ano depois dos Jogos Olímpicos do Rio é de vacas magras para o esporte brasileiro, a previsão para 2018 é catastrófica. Enviada à Câmara dos Deputados, a proposta do governo federal para a Lei Orçamentária Anual (LOA) do ano que vem prevê que a verba disponível para programas do Ministério do Esporte sofra uma redução de 87% na comparação com o cenário já de escassez de 2017.

A rubrica “concessão de bolsas a atletas” terá disponível apenas R$ 70 milhões. Com isso, o programa Bolsa Atleta, que custa anualmente mais de R$ 130 milhões, deve sofrer mudanças drásticas, se não acabar. No total, o orçamento para o Esporte, que foi de R$ 1,245 bilhões na LOA de 2017, excluindo pessoal, transferências obrigatórias por legislação e créditos extraordinários, foi reduzido para R$ 220 milhões no projeto enviado por Temer à Câmara. Como comparação, em 2016 a pasta empenhou R$ 1,307 bilhão.

O cenário já é preocupante para o Bolsa Atleta neste ano. Principal programa do Ministério do Esporte, ele tinha previsão de consumir R$ 137 milhões em 2017, contra R$ 143 milhões do ano passado. Mas, o governo foi cortando a verba até deixar só R$ 125 milhões disponíveis. Considerando o número de bolsistas, a conta não fecha.

Para 2018, a situação é muito pior. Só os atletas beneficiados entre maio e junho pelo Bolsa Pódio deverão consumir R$ 31,5 milhões dos R$ 70 milhões do orçamento previsto em 12 meses. O governo ainda não divulgou os beneficiários do primeiro edital do Bolsa Atleta de 2017, mas, no ano passado, os mais de 6 mil beneficiados custaram mais de R$ 90 milhões ao governo. Para este ano, as regras são exatamente as mesmas. As informações são de DEMÉTRIO VECCHIOLI, do UOL.

Leia maisGoverno Temer corta 87% do orçamento do Ministério do Esporte para 2018

Governo vai reformar ainda este mês UTI´s em Caicó e Pau dos Ferros

Resultado de imagem para uti caico

Foi assinada na segunda-feira, 18, a ordem inicial para contratação dos serviços de reforma das Unidades de Terapia Intensiva (UTI´s) nos hospitais regionais de Caicó e Pau dos Ferros. As empresas vencedoras dos processos licitatórios iniciarão os serviços ainda este mês. O prazo para conclusão das obras é de 120 dias.

A empresa AR Projetos será responsável pela obra no Hospital Regional do Seridó, em Caicó, pelo valor de R$ 491.712,72. O Hospital Dr. Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, terá a UTI reformada pela empresa BNF Construções, pelo valor de R$ 398.062,59. Nas UTI’s serão feitas a recuperação do piso, cobertura, instalações elétricas, instalações hidráulicas e sistema de climatização.

As reformas proporcionarão melhoria nos serviços de duas importantes unidades estaduais, ambas com 10 leitos de UTI, o que representa mais um avanço no processo de regionalização nas regiões Seridó e Oeste Potiguar.

‘Sistema partidário no Brasil é a institucionalização da desonestidade’, diz Barroso

O ministro do Supremo Federal Tribunal (STF) Luís Roberto Barroso defendeu nesta terça-feira que o Congresso Nacional aprove ao menos a cláusula de barreira e o fim das coligações no âmbito da reforma política – as duas medidas foram aprovadas pelo Senado e precisam ser votadas pela Câmara, mas, como houve mudanças no texto, terão de voltar ainda ao Senado. Tudo isso tem de acontecer até 7 de outubro para que as regras valham já nas eleições de 2018. Convidado para falar sobre “o momento institucional brasileiro” na abertura de uma conferência de empresas do setor de seguros, Barroso dedicou parte de seu discurso à reforma política.

– O sistema partidário hoje no Brasil, triste como seja, é a institucionalização da desonestidade. Os partidos vivem do acesso e da distribuição do fundo partidário, muitas vezes apropriado privadamente, os partidos têm dono, e da venda do tempo de TV. Todo mundo sabe disso, não é novidade. Precisamos mudar o sistema partidário. Já há proposta aprovada no Senado, para fim das coligações e cláusula de barreira, e é importante que isso passe. Mesmo que seja só para 2022, já é alguma melhora – defendeu o ministro, na abertura da 8ª Conseguro (Conferência de Seguros, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização).

Leia mais‘Sistema partidário no Brasil é a institucionalização da desonestidade’, diz Barroso

Cármen Lúcia mantém com Fachin inquérito de Renan e Jucá

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, decidiu que o colega Edson Fachin deverá continuar como relator do inquérito aberto com base na delação da Odebrecht para investigar os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Romero Jucá (PMDB-RR).

Essa é a segunda vez que ela toma uma decisão em que contraria a vontade de Fachin, que queria entregar o caso para um novo relator. Na primeira vez, ela manteve um inquérito que tinha como alvos Renan, Jucá, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) e o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA).

Desta vez, o caso investiga se Renan e Jucá ajudaram a Odebrecht, interessada numa medida provisória (MP) em tramitação no Congresso que tratava de mudanças legislativas nos impostos cobrados das empresas. As informações são de O Globo.

Leia maisCármen Lúcia mantém com Fachin inquérito de Renan e Jucá

Temer é aprovado por apenas 3,4% dos brasileiros, diz pesquisa

O presidente Michel Temer

Divulgada nesta terça-feira, a nova pesquisa CNT/MDA, promovida pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), trouxe uma queda brusca na defesa do presidente Michel Temer (PMDB). Temer, que era apoiado por 10,3% dos entrevistados em fevereiro, viu sua aprovação cair para apenas 3,4%, cerca de um terço, ante 75,6% de avaliação negativa alcançando os índices mais baixos nos históricos de pesquisas da associação. Outros 18% consideram o governo regular e 3% não souberam opinar.

Sobre condições econômicas para os próximos meses, a expectativa dos brasileiros, segundo a pesquisa, é de estabilidade. Dos entrevistados, 53,2% acreditam que a sua renda mensal “ficará igual” nos próximos meses. Quando o assunto é a situação do emprego, a permanência das condições atuais vence a expectativa de piora por uma curta diferença: 36 a 35,4%. Outros 25,7% acreditam que haverá melhora em um futuro próximo.

Em relação aos indicadores sociais, há mais pessimismo em relação à Segurança Pública: 45,7% preveem que a situação deve piorar em breve, 36,2% acham que permanecerá como está e apenas 16,6% acreditam em uma diminuição da violência. Já a respeito da Saúde e da Educação, a maior parte dos entrevistados aposta que a situação continuará igual: 40,3% e 43,6% respectivamente. As informações são da revista Veja.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: