fbpx

Articulador político de Temer é chamado de ‘bosta’ e ‘merda’ por deputado

Antônio Imbassahy, da Secretaria de Governo, e Michel Temer

O ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) passou por um constrangimento durante solenidade na manhã desta quarta-feira (13), na Câmara dos Deputados. O vice-presidente da Casa, Fábio Ramalho (PMDB-MG), se recusou a cumprimentá-lo e o chamou de “bosta” e “merda” na frente de todas as outras autoridades.

Estavam presentes, entre outros, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O desentendimento começou quando os políticos presentes se preparavam para começar a solenidade em qua a Câmara formalizou compromisso de repassar aos cofres do Tesouro Nacional R$ 221 milhões arrecadados com a venda da administração da folha de pagamento da Casa.

“Você é um bosta, um merda”, repetiu algumas vezes Ramalho após recusar o cumprimento do ministro de Temer.

Após a solenidade, o deputado disse à Folha que Imbassahy “não respeita deputado”. As informações são de RANIER BRAGON e BRUNO BOGHOSSIAN, Folha de São Paulo.

Leia maisArticulador político de Temer é chamado de ‘bosta’ e ‘merda’ por deputado

PF encontra mensagens de Miller e aponta ligação com gabinete de Janot

SAO PAULO, SP, 13.09.2017: PODER-OPERACAO TENDAO DE AQUILES - Wesley Batista, irmao do dono da JBS Joesley Batista, deixa a Policia Federal, bairro da Barra Funda, a caminho de uma audiencia de custodia durante a tarde desta quarta feira, apos ser preso na operacao Tendao de Aquiles. (Nelson Antoine/Folhapress, PODER) ***EXCLUSIVO FOLHA***

A Polícia Federal encontrou no celular de Wesley Batista, presidente-executivo e sócio da JBS, uma série de mensagens que reforçam a atuação do ex-procurador Marcello Miller a favor da empresa quando ainda atuava no Ministério Público.

Um relatório da PF afirma que integrantes da PGR (Procuradoria-Geral da República) tinham “ciência de que Miller estava atuando de forma indireta nas negociações da colaboração premiada”.

O ex-procurador fazia parte de um grupo de WhatsApp com diretores e delatores da JBS. Ele só se manifestou no grupo, porém, no dia 4 de abril, seu último dia de trabalho no Ministério Público no Rio.

Outras mensagens, porém, mostram que ele já orientava o acordo de delação desde março.

As mensagens estavam no celular de Wesley Batista, que foi apreendido durante a quarta fase da Operação Lama Asfáltica, deflagrada em maio deste ano. As informações são de CAMILA MATTOSO e BELA MEGALE, Folha de São Paulo.

Leia maisPF encontra mensagens de Miller e aponta ligação com gabinete de Janot

Juiz manda ‘tesouro’ de Geddel para Supremo

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10.ª Vara Federal de Brasília, decidiu nesta quarta-feira, 13, remeter ao Supremo Tribunal Federal a investigação sobre o ‘tesouro perdido’ atribuído ao ex-ministro Geddel Vieira Lima – preso na Papuda. O magistrado alegou em sua decisão que ‘há sinais de provas que podem levar ao indiciamento’ do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB/BA), irmão de Geddel, pelo crime de lavagem de dinheiro.

Conforme a Constituição, congressistas têm foro por prerrogativa de função e só podem ser alvo de inquéritos criminais que tramitem na Corte. Geddel está preso desde a semana passada na Papuda, por ordem de Vallisney.

No depoimento prestado à PF, o dono do apartamento situado em Salvador onde foram encontrados os R$ 51 milhões, Silvio Antônio Cabral da Silveira, disse que foi Lúcio quem pediu o imóvel emprestado e que o fez em nome da amizade com o parlamentar, embora não conhecesse Geddel. As informações são de Fábio Fabrini e Fábio Serapião, O Estado de São Paulo.

Leia maisJuiz manda ‘tesouro’ de Geddel para Supremo

Nelter Queiroz apóia a campanha “A Justiça Começa na Delegacia”

Procurado nesta quarta-feira (13) por uma comissão formada por representantes de associações da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Norte, o deputado estadual Nelter Queiroz (PMDB) firmou compromisso com o presidente da ASSESP (Associação dos Escrivães de Polícia Civil do RN), Roberto Moura e com a presidente da ADEPOL (Associação dos Delegados de Polícia Civil do RN), a delegada Paoulla Maues, para se engajar na luta pela valorização da Polícia Civil do RN.

A campanha intitulada “A Justiça Começa na Delegacia”, foi idealizada através de uma parceria entre a ADEPOL e a ASSESP, e busca mais investimentos para a Polícia Civil do RN, através de mais investimentos por parte do Governo do Estado em infraestrutura e em contratação de pessoal.

“Nosso mandato está aberto a toda e qualquer demanda que proporcione melhorias na segurança pública em nosso Estado e que reduza os altos índices de marginalidade que estão assombrando nossa população”, exaltou Nelter, que aproveitou a oportunidade para parabenizar Roberto e Paoulla pela incansável luta em defesa da Polícia Civil e de todos os norte-rio-grandenses.

Governo Temer fará campanha por demissões voluntárias

Dyogo Oliveira

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, disse que o governo fará campanha para aumentar a adesão ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) do governo federal, cuja adesão começou nesta quarta-feira (13). “Os níveis de adesão no Brasil a esses programas são inferiores do que em outros países”, afirmou.

O ministro disse que não há interesse em quebra dos direitos adquiridos dos servidores e lembrou que o governo não fará demissões, como no governo do ex-presidente Fernando Collor, quando servidores foram demitidos e conseguiram na Justiça o direito de serem reintegrados. “A experiência do governo Collor não foi exitosa, as demissões foram unilaterais e acabaram resultando em prejuízo”, acrescentou.

Oliveira lembrou que a despesa de pessoal é a segunda maior do governo e que é preciso compatibilizar as condições dos servidores com os do setor privado. Oliveira ressaltou que a agenda fiscal do governo visa reduzir as despesas obrigatórias para ampliar o espaço para gastos de “qualidade”, como investimentos. As informações são da Agência Estado.

Leia maisGoverno Temer fará campanha por demissões voluntárias

Vice-governador de MG nega ter recebido qualquer benefício da JBS

Resultado de imagem para vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade

O vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade (PMDB), afirmou em nota nesta quarta-feira (13) que “são absolutamente falsas e inconsistentes as suposições” de que teria recebido qualquer benefício da JBS em troca de apoio político no Ministério da Agricultura, quando foi ministro.

Indicado por Temer ao Ministério da Agricultura em 2013, Andrade foi apontado pela Polícia Federal (PF) como outro político peemedebista com posição de destaque no “quadrilhão”. Ele é delatado pela JBS e por Funaro pelo suposto recebimento de R$ 7 milhões em troca da edição de atos normativos na pasta. As informações são da Agência Estado.

Leia maisVice-governador de MG nega ter recebido qualquer benefício da JBS

‘Frio, calculista e simulador’, diz Lula sobre Palocci

Lula

O ex-presidente Lula não respondeu a todas as perguntas durante audiência nesta quarta-feira (13) frente a frente com o juiz federal Sergio Moro, da Operação Lava Jato. O petista foi interrogado em ação penal sobre supostas propinas da Odebrecht. Lula, no entanto, disparou contra o ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civl/ Governos Lula e Dilma). “Frio, calculista e simulador”, disse.

“Se ele [Antonio Palocci] fosse um objeto, seria um simulador”, afirmou o ex-presidente. Palocci disse na quarta-feira (6) que Lula fez “pacto de sangue” com a Odebrecht em troca de benefícios. Palocci afirmou que a empreiteira reformou o sítio de Atibaia (SP), comprou terreno e apartamento ao ex-presidente. Lula negou.

A audiência de Lula durou mais de duas horas. O primeiro a questionar o ex-presidente foi Moro. Em seguida, vieram o Ministério Público Federal e as perguntas da defesa. Após o interrogatório do ex-presidente, Moro passou a ouvir Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci.

Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro sobre contratos entre a empreiteira e a Petrobrás. Segundo o Ministério Público Federal os repasses ilícitos da Odebrecht chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a estatal. O montante, segundo a força-tarefa da Lava Jato, inclui um terreno de R$ 12,5 milhões para Instituto Lula e cobertura vizinha à residência de Lula em São Bernardo do Campo de R$ 504 mil. As informações são da Agência Estado.

Leia mais‘Frio, calculista e simulador’, diz Lula sobre Palocci

Vereadora Delkiza diz que voto a favor do vale alimentação foi ‘equivoco’

Resultado de imagem para delkiza

Depois da forte rejeição popular, a vereadora Delkiza Cavalcante, recuou de receber mensalmente, o vale alimentação no valor de R$ 1.040 e está abrindo mão do auxílio refeição. Ela alegou que foi equivocado o seu voto a favor da criação do vale alimentação e anunciou que vai doar o valor da mesada para as as instituições: SOS ANIMAL, Associação Assuense de Taewondo (ATT) e Associação Esperança do Vale do Açu (sede em Assú).

Para obter credibilidade da promessa de doação, a vereadora Delkiza Cavalcante, precisa prestar contas e divulgar todo mês quanto doou a cada instituição, sob pena dessa decisão não passar de mais um equívoco da vereadora do PSDC no exercício do seu mandato e que ganha salário de R$ 8 mil, mais R$ 2.500 do auxílio paleto, totalizando R$ 10.500 por mês.

Comenta-se nos bastidores que outros vereadores deverão seguir o exemplo de Delkiza e vão utilizar essa manobra para amenizar a revolta da população assuense.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: