fbpx

Funaro diz ter entregue R$ 11,4 milhões em dinheiro a Geddel

Em delação premiada firmada com o Ministério Público Federal (MPF), o operador financeiro  do PMDB Lúcio Bolonha Funaro afirmou ter  repassado R$ 11,4 milhões, em mãos, ao ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima. Os repasses foram realizados entre 2014 e 2015, em dinheiro vivo, por meio de 11 entregas. A informação foi publicada pela revista semanal Veja, que teve acesso à delação do doleiro.

Nos relatos aos procuradores, Funaro conta como funcionava a entrega de malas de propina a Geddel que, de acordo com ele, “demonstrava naturalidade ao receber os valores”. O operador financeiro disse que os pacotes de dinheiro eram levados em um jato particular e entregue ao próprio ex-ministro em um hangar privado do Aeroporto Internacional de Salvador. De acordo com o doleiro, também foram realizadas entregas em hotéis de São Paulo e da capital baiana. Um dos repasses, inclusive, foi feito na festa de 15 anos da filha de Geddel.

Em 2014, Funaro diz ter realizado nove entregas de dinheiro a Geddel, sendo uma de R$ 600 mil, outra de R$ 500 mil em fevereiro, R$ 800 mil em março, R$ 1 milhão em maio, R$1 milhão em julho, R$ 1,5 milhão em agosto, R$ 3,2 milhões em setembro, R$ 1,2 milhão em outubro e R$ 500 mil em dezembro. Já em 2015, foram duas entregas de R$ 500 mil cada. As informações são da revista Veja.

Leia maisFunaro diz ter entregue R$ 11,4 milhões em dinheiro a Geddel

‘Bunker’ coloca deputado irmão de Geddel na mira da PF

Resultado de imagem para deputado irmão de Geddel na mira da PF

A apreensão dos R$ 51 milhões em espécie em um apartamento em Salvador colocou na mira dos investigadores o deputado federal Lucio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Geddel foi preso preventivamente na manhã desta sexta (8) após determinação da Justiça Federal de Brasília.

A PF encontrou ao menos dois elementos que ligam as milhares de notas de reais e dólares ao deputado. Uma fatura em nome de Marinalva Teixeira de Jesus, “pessoa detentora de vínculos empregatícios com o Lúcio Vieira Lima”, foi achada no local da apreensão dos R$ 51 milhões, que ocorreu na última terça (5).

Segundo a polícia, Marinalva trabalha como doméstica na casa do deputado.

Outro elemento, de acordo com informações prestadas pela PF à Justiça Federal, o dono do apartamento, o empresário Silvio Silveira, disse em depoimento que fez o empréstimo do imóvel para Lúcio, com quem tinha amizade, e não para Geddel, que, segundo ele, não chegou a ter proximidade. As informações são de CAMILA MATTOSO e JOÃO PEDRO PITOMBO, Folha de São Paulo.

Leia mais‘Bunker’ coloca deputado irmão de Geddel na mira da PF

Ministro do STF defende trabalho de Janot durante evento em Washington

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fala sobre uma possível revisão do acordo de delação premiada da JBS, em Brasília

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso defendeu nesta sexta (8), durante um evento em Washington, o trabalho do procurador-geral, Rodrigo Janot, que decidiu pedir investigação para apurar a omissão de informações no acordo de delação com representantes da JBS, após novos áudios sugerirem que houve descumprimento do acordo.

“O procurador-geral é uma pessoa muito séria e decente tentando fazer o seu trabalho, então não acho que ele não fez nada de errado”, disse Barroso, na American University, ao ser questionado se a condução do acordo de delação com Joesley Batista deveria ter sido mais criterioso.

Na quinta (7), Janot decidiu pedir a revogação da imunidade concedida sob o acordo de delação. Com a revogação da imunidade, haveria a possibilidade de Janot pedir a prisão de Joesley e de outros delatores da JBS.

O movimento foi feito depois de um áudio entregue à PGR no último dia 31 sugerir que o ex-procurador Marcello Miller teria ajudado Joesley e Ricardo Saud, diretor e lobista do grupo JBS, no processo de delação quando ainda era procurador. As informações são de ISABEL FLECK, Folha de São Paulo.

Leia maisMinistro do STF defende trabalho de Janot durante evento em Washington

Procuradoria diz que senadores do PMDB pegaram propinas de R$ 864 milhões

Resultado de imagem para Edison Lobão, Jader Barbalho, Renan Calheiros, José Sarney, Sérgio Machado, Romero Jucá e Valdir Raupp d

Ao denunciar a cúpula do PMDB no Senado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusou Edison Lobão, Jader Barbalho, Renan Calheiros, José Sarney, Sérgio Machado, Romero Jucá e Valdir Raupp de pegar R$ 864 milhões em propinas de contratos da Petrobrás e da Transpetro. Os supostos crimes apontados por Janot teriam causado um prejuízo de R$ 5,5 bilhões à Petrobrás e de R$ 113 milhões à Transpetro.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, ‘as ações ilícitas voltaram-se inicialmente para a arrecadação de recursos da Petrobras por meio de contratos firmados no âmbito da Diretoria de Abastecimento e da Diretoria Internacional, assim como da Transpetro’.

“O aprofundamento das apurações levou à constatação de que, no mínimo entre os anos de 2004 e 2012, as diretorias da sociedade de economia mista estavam divididas entre os partidos políticos responsáveis pela indicação e manutenção dos respectivos diretores”, afirma o Ministério Público Federal. As informações são de O Estado de São Paulo.

Felipe Maia, do DEM, gasta mais de R$ 14 mil em agosto

Resultado de imagem para felipe maia

Deputado(a)/Liderança: FELIPE MAIA – DEM/RN – Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar

Mês/Ano: Agosto/2017

Tipo de Despesa Despesa(s)
MANUTENÇÃO DE ESCRITÓRIO DE APOIO À ATIVIDADE PARLAMENTAR R$ 592,80
TELEFONIA R$ 257,24
SERVIÇOS POSTAIS R$ 291,74
SERVIÇO DE TÁXI, PEDÁGIO E ESTACIONAMENTO R$ 242,00
FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO DO PARLAMENTAR R$ 864,39
COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES. R$ 1.178,70
DIVULGAÇÃO DA ATIVIDADE PARLAMENTAR. R$ 2.050,00
Emissão Bilhete Aéreo R$ 9.034,88
Total R$ 14.511,75

Em agosto, Beto Rosado, do PP, torra R$ 22 mil na Cãmara

Resultado de imagem para beto rosado

Deputado: BETO ROSADO – PP/RN – Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar

Mês/Ano: Agosto/2017

Tipo de Despesa Despesa(s)
SERVIÇOS POSTAIS R$ 1.028,61
SERVIÇO DE TÁXI, PEDÁGIO E ESTACIONAMENTO R$ 120,00
HOSPEDAGEM ,EXCETO DO PARLAMENTAR NO DISTRITO FEDERAL. R$ 231,00
COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES. R$ 1.065,36
CONSULTORIAS, PESQUISAS E TRABALHOS TÉCNICOS. R$ 8.000,00
DIVULGAÇÃO DA ATIVIDADE PARLAMENTAR. R$ 7.500,00
Emissão Bilhete Aéreo R$ 4.140,06
Total R$ 22.085,03

Prefeita é presa por envolvimento em morte de jornalista

prefeita - presa - morte - jornalista

A prefeita de Santa Luzia (Região Metropolitana de Belo Horizonte), Roseli Ferreira Pimentel (PSB), foi presa na quinta-feira, 7, por suspeita de envolvimento na morte de um jornalista em agosto do ano passado. O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Alexandre Victor de Carvalho, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

De acordo com a decisão, a prefeita teria participado do homicídio do profissional Maurício Campos Rosa, que era dono do jornal local O Grito. Também foram presos três homens suspeitos do crime.

Roseli foi encontrada pela Polícia Civil em sua própria casa e foi levada a uma delegacia em Belo Horizonte. Antes de ser encaminhada para uma unidade prisional, ela deverá ser submetida a exames no Instituto Médico Legal (IML).

Reeleita em 2016 para um segundo mandato, Roseli teve seu mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) por irregularidades na sua campanha. Ela foi afastada em 7 de junho. No entanto, recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e conseguiu uma liminar, retornando ao cargo 15 dias depois. As informações são da Agência Brasil.

Projeto de Fabielle Bezerra  garante meia entrada aos professores através de Lei em Assú 

Entrou em vigor a Lei n° 596, de 06 de setembro de 2017 de autoria da vereadora Fabielle Bezerra, que garante  desconto de 50% do valor efetivamente cobrado pelos ingressos   em estabelecimentos de cultura, em casa de diversões, espetáculos, cinemas,praças esportivas e similares esporte e lazer do município.

Com essa lei já sancionada , a vereadora defende que os professores da rede pública e particular de ensino prestam “um serviço imprescindível à sociedade, difundindo o conhecimento técnico e científico e preparando jovens e adultos para o mercado de trabalho”. Desta forma, acredita que mecanismos de qualificação profissional e valorização da categoria são instrumentos essenciais para a qualidade de vida no exercício da atividade docente.

Além disso, a vereadora defende que essa lei efetiva um direito expresso na Constituição de 1988: o acesso à cultura. É dever do Estado democratizar o acesso às fontes da cultura nacional, bem como possibilitar o envolvimento da população em atividades que aprimorem o seu desenvolvimento humano e intelectual, conforme determina o art. 215 da Constituição Federal”. Sendo assim, considera a necessidade de efetivação do acesso aos bens culturais pelos professores, “imprescindível à contínua formação destes, e a necessidade de democratização do acesso aos bens culturais, e sendo ASSU referência  na cultura popularmente conhecida como a ” terra dos poetas” é um privilégio ser uma facilitadora nesse processo de crescimento e avanço  para os professores da nossa cidade, concluiu a vereadora.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: