Sem subvenção, escolas de samba do Rio ameaçam não desfilar em 2018

Prefeito do Rio corta pela metade verba das escolas de samba

Marcelo Crivella (PRB) anunciou que cortará pela metade a subvenção de R$ 24 milhões oferecida às agremiações

Fábio Grellet e Lucas Gayoso, O Estado de S. Paulo

Diante do anúncio de que, em 2018, a Prefeitura do Rio cortará pela metade a subvenção de R$ 24 milhões oferecida às escolas de samba do carnaval carioca, dirigentes das agremiações decidiram em reunião encerrada na noite de quarta-feira, 14, que, dessa forma, não será possível realizar o tradicional desfile anual.

A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) promoveu a reunião para debater o tema e anunciou que, “a prevalecer a decisão” do prefeito Marcelo Crivella (PRB), “as apresentações das escolas de samba no carnaval de 2018 ficarão inviabilizadas”. Em nota divulgada após a reunião, os dirigentes da Liesa cobram uma reunião dos presidentes das 13 escolas do Grupo Especial com o prefeito.

Crivella é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), que tradicionalmente condena os festejos do carnaval entre seus fiéis. Apesar disso, os dirigentes das principais agremiações da Liesa apoiaram a candidatura de Crivella no segundo turno das eleições do ano passado, quando o atual prefeito venceu o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL).

Leia maisSem subvenção, escolas de samba do Rio ameaçam não desfilar em 2018

Um em cada 6 idosos sofre algum tipo de violência, alerta OMS

A maioria dos casos de agressão acontecem de forma discreta e são passados dispercebidos - Foto: Margarida Neide | Ag. A TARDE

Um em cada seis idosos é vítima de algum tipo de violência em todo o mundo, mostra relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado na revista Lancet Global Health. O alerta foi feito para marcar o Dia Mundial da Conscientização da Violência à Pessoa Idosa, lembrado nesta quinta-feira, 15.

Segundo o estudo, 16% das pessoas com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso. Entre os casos, estão negligência e violência psicológica, física e sexual.

Os dados foram coletados de 52 estudos realizados em 28 países e indicam que a violência contra idosos está aumentando. Segundo a OMS, “para os 141 milhões de pessoas idosas no mundo que sofrem com o problema, isso tem um custo individual e coletivo sério”. As informações são da Agência Brasil.

Leia maisUm em cada 6 idosos sofre algum tipo de violência, alerta OMS

Na contramão do PSDB, FHC diz que falta legitimidade a Temer

Mesmo diante da permanência do PSDB no governo de Michel Temer (PMDB), condicionada pelo partido ao surgimento de fatos novos que aprofundem a crise política, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso entende que falta “legitimidade” ao presidente e sugere que, em um “gesto de grandeza”, o peemedebista antecipe as eleições gerais, previstas para outubro de 2018.

As posições do tucano, contrárias à decisão tomada pelos demais caciques do partido, estão expostas em uma nota publicada nesta quinta-feira pelos jornais O Globo e Folha de S. Paulo e pela Agência Lupa. Para FHC, embora a permanência de Temer no Planalto seja “legal e constitucional”, o país vive uma “quase anomia”, isto é, um estado de ausência de regras, e “falta o que os políticólogos chamam de ‘legitimidade’, ou seja, reconhecendo que a autoridade é legítima consentir em obedecer”.

“Não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto”, afirma o ex-presidente.

PT volta a falar em Ciro Gomes como candidato do partido à presidência

Resultado de imagem para ciro gomes

O deputado distrital Chico Vigilante (PT) afirmou que — caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seja o candidato do partido — ele avalia como positiva uma aliança com Ciro Gomes, do PDT, para 2018. “O PT tem nomes excelentes para serem candidatos a presidente da República, mas também poderá fazer uma aliança”, disse o parlamentar em entrevista ao programa CB.Poder, uma parceria entre a TV Brasília e o Correio Braziliense.

“Eu, particularmente, caso o PT não tenha o Lula como candidato, tenho uma simpatia muito grande com a candidatura de Ciro Gomes, pelo que ele representa.”

Leia maisPT volta a falar em Ciro Gomes como candidato do partido à presidência

Reforma Trabalhista pode acabar com dias “enforcados” em feriados prolongados

Carteira de trabalho é necessária para legalização do emprego. Foto: Reprodução (Crédito: )

Muitos trabalhadores conseguiram uma extensão do feriado de Corpus Christi e só voltarão às atividades na próxima segunda-feira. Só que esses dias “enforcados” podem acabar com a reforma Trabalhista. Com os acordos coletivos entre patrões e empregados, os dias de feriado podem ser trocados.

Por exemplo, um funcionário trabalharia nesta quinta e folgaria amanhã. Isto poderia se aplicar a outros feriados no meio da semana em que a folga seria concedida na sexta ou segunda-feira. Esse tipo de negociação já é comum para alguns setores.

Apóstolo Estevam Hernandes critica ausência de Alckmin na Marcha para Jesus

Marcha para Jesus 2017

Ao cancelar sua ida à Marcha para Jesus, o governador Geraldo Alckmin causou um mal-estar com o líder da igreja Renascer em Cristo, que organiza o evento.

“Alckmin não julga [a Marcha] importante. Se julgasse, estaria aqui”, disse nesta quinta-feira (15) à Folha o apóstolo Estevam Hernandes, que idealizou a celebração gospel 25 anos atrás.

Hernandes afirmou não entender “por que [o governador] não veio”, segundo a Folha de São Paulo.

Mas disse entender a ausência do prefeito João Doria, que está em viagem não oficial e a quem conhece “desde os tempos da TV Manchete” (o hoje político tucano teve o programa “Show Business” na extinta emissora, nos anos 1990). “Ele viajou para o exterior.” 

Leia maisApóstolo Estevam Hernandes critica ausência de Alckmin na Marcha para Jesus

Dom Orani diz que política deve servir à sociedade, não a partidos

Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta

O arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani Tempesta, disse hoje (15) que mesmo na dificuldade financeira as famílias brasileiras têm que se manter unidas para superar o momento atual do país. Durante missa para celebrar o Corpus Christi na Igreja de Sant’Ana, no centro da cidade, o religioso destacou que a sociedade precisa pensar mais no Brasil do que em questões pessoais. “Que as pessoas pensem mais no outro e no país e menos no poder, nas preocupações com o poderio e, sim, no bem das pessoas.”

Logo no início da celebração, o cardeal disse que o Corpus Christi é uma oportunidade de rezar pelo Brasil, intercedendo pelas dificuldades que o país atravessa, para encontrar caminhos de paz e ética. De acordo com dom Orani Tempesta, o Brasil vive momentos de intolerância e é preciso repensar o país. Segundo ele, parte das dificuldades atuais se deve à “falta de responsabilidades de gestores que nos levaram à situação assim”.

“Que todos sejam atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas. Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos. Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação. Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos”, acrescentou o líder religioso. As informações são da Agência Brasil.

Leia maisDom Orani diz que política deve servir à sociedade, não a partidos

Celso de Mello rejeita pedido de anulação de acordo da JBS

Resultado de imagem para celso de mello

Ministro do STF alega ser ‘inadmissível’ impugnação de delação por quem não tem relação com as negociações

Breno Pires e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello negou anular a homologação da delação premiada dos executivos da JBS. O pedido havia sido feito pelo governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB-MS).

Celso de Mello, destacou que a jurisprudência atual do Supremo não admite habeas corpus contra decisão de um outro ministro do STF.

Além disso, o ministro argumentou que, mesmo se fosse cabível a ação, há um outro problema: “é que revela-se inadmissível a impugnação do próprio acordo de colaboração premiada por terceiro estranho à relação jurídico-negocial nele consubstanciada”. Dessa forma, alguém que não faz parte do acordo de colaboração não tem legitimidade para tentar anular o acordo de colaboração premiada homologado.

Leia maisCelso de Mello rejeita pedido de anulação de acordo da JBS

Defesa de Palocci atribui a Mantega responsabilidade por pagamentos a marqueteiros

Em alegações finais apresentadas à Justiça Federal em Curitiba, a defesa de Antonio Palocci atribuiu ao seu sucessor no Ministério da Fazenda, Guido Mantega, a responsabilidade por autorizar pagamentos ilegais da Odebrecht na conta do marqueteiro João Santana na Suíça.

Embora não tenha citado expressamente o ex-ministro petista, a defesa destacou trechos do depoimento de Marcelo Odebrecht que atribuíram a Mantega a responsabilidade por gerir pagamentos endereçados ao PT a partir de 2011.

“Os valores constantes da planilha ‘italiano’ não eram destinados ao acusado, mas sim ao partido, de forma que, após Antonio Palocci deixar o governo, o montante passou a ser gerido por terceira pessoa”, disse, em referência indireta a Guido Mantega, e destacando depoimento de Marcelo. As informações de O Globo.

Leia maisDefesa de Palocci atribui a Mantega responsabilidade por pagamentos a marqueteiros

FH sugere que antecipação de eleições seria ‘gesto de grandeza’ de Temer

Com o PSDB rachado e sob o risco de não ser uma alternativa eleitoral competitiva para 2018, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defende agora que um gesto de grandeza do presidente Michel Temer seria pedir antecipação de eleições gerais. A posição de FH consta em uma nota encaminhada ao GLOBO na manhã desta quinta-feira.

No texto, que também foi enviado à agência Lupa, FH começa dizendo que sua percepção sobre a situação política do Brasil tem sofrido “abalos fortes”. Para ele, falta “legitimidade” a Temer para governar e o país vive um tipo de “anomia” (falta de regras, desorganização). Diante desse cenário, o ex-presidente diz ter mudado de opinião de que seria um golpe a convocação de eleições antes do término do mandato de Temer, em 2018.

“A ordem vigente é legal e constitucional (daí ter mencionado como ‘golpe’ uma antecipação eleitoral) mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto”, escreveu o tucano na nota.

Leia maisFH sugere que antecipação de eleições seria ‘gesto de grandeza’ de Temer

Estado de saúde de Wilma piorou bastante e preocupa familiares

Resultado de imagem para wilma de faria doente

Com um câncer nos intestinos diagnosticado há cerca de dois anos, o estado de saúde da ex-governadora, ex-prefeita e atual vereadora (licenciada) do PT do B em Natal, Wilma de Faria, internada na Casa de Saúde São Lucas, apresentou um quadro de complicações hepáticas que agravou-se nas últimas horas.

Amigos e familiares que a visitaram nas últimas horas desmentiram os boatos que circulam nas redes sociais de que ela teria falecido, mas confirmaram que o “estado de saúde de dona Wilma piorou bastante” e que “todos oram pelo conforto dela”.

Eleita vereadora pelo PT do B com 4.421 votos, Wilma chegou a assumir o mandato, mas em abril deste ano, após mais um período de tratamento contra o câncer em São Paulo, oficializou o pedido de afastamento das atividades parlamentares. Desde então, alternou períodos de convalescença em casa com períodos de internação hospitalar, segundo a Tribuna do Norte.

Maia cogita suspender recesso para votar denúncia contra Temer

BRASILIA, DF, BRASIL, 05-06-2017, 11h00: Cerimônia em Comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente no Palacio do Planalto em Brasilia. Presidente Michel Temer e presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia. (Foto: Igo Estrela/Folhapress, PODER)

Por Daniel Carvalho – Folha de São Paulo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), admitiu nesta quinta-feira (15) a possibilidade de suspender o recesso parlamentar, que constitucionalmente começa no dia 18 de julho, para que a Casa vote a denúncia que a PGR (Procuradoria-Geral da República) deve apresentar contra o presidente Michel Temer nos próximos dias.

Para Maia, “o papel da Câmara é começar e encerrar o assunto”.

“Se acontecer a denúncia, a sociedade não vai entender que a Câmara pare até terminar este processo. Porque, enquanto tiver este processo na Câmara, esta vai ser a agenda prioritária da Câmara, e deve ser mesmo. Só depois disso que se consegue retomar com mais tranquilidade as outras agendas”, disse Rodrigo Maia à Folha.

Existem duas maneiras de se suspender o recesso parlamentar.

Leia maisMaia cogita suspender recesso para votar denúncia contra Temer

Prazo para renovação de contratos do Fies termina nesta sexta

Fies tem novas regras

Os alunos que quiserem renovar seu contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) referente ao primeiro semestre deste ano têm até esta sexta (16) para validar as informações no Sistema Informatizado do Fies (SisFies). O prazo começou em janeiro e foi prorrogado para garantir que os estudantes concluíssem o processo.

A renovação do Fies é feita a cada seis meses, e o pedido de aditamento é apresentado inicialmente pelas faculdades. Em seguida, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas instituições no Sistema Informatizado do Fies (SisFies).

Leia maisPrazo para renovação de contratos do Fies termina nesta sexta

Fachin pode atrasar envio de denúncia contra Temer

Fachin

A estratégia do governo de tentar acelerar na Câmara a análise da denúncia que será oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer esbarra numa questão jurídica. Antes de ser encaminhada ao Congresso, a acusação formal pode ficar ao menos 20 dias no Supremo Tribunal Federal (STF).

Há um entendimento na Corte de que o ministro-relator do caso, Edson Fachin, deve, antes de enviar a denúncia para o Congresso, pedir a manifestação das partes para “aparelhar” a acusação – como se a discussão fosse ser levada ao plenário. Pela Constituição, a Câmara precisa admitir a denúncia contra o presidente antes de o Supremo julgar se abre ou não uma ação penal.

Aliados do governo na Câmara articulam para que a votação seja analisada em, no máximo, 10 dias, antes do início do recesso parlamentar. O recesso está previsto para começar em 18 de julho Em regime normal, essa tramitação duraria pelo menos 30 dias. “Tem que votar antes do recesso”, afirmou Beto Mansur (PRB-SP), vice-líder do governo na Casa.

Leia maisFachin pode atrasar envio de denúncia contra Temer

Robinson Faria cumpre agenda em Mossoró nesta quinta-feira

Resultado de imagem para robinson faria

O governador Robinson Faria cumprirá a seguinte agenda administrativa nesta quinta-feira (15), em Mossoró:

18:30 – Fórum das Artes – abertura do II Salão Dorian Gray de Artes Visuais e lançamento da revista “Nós, do RN”

Com o apoio do Governo do RN, a exposição traça um panorama amplo das artes visuais no Rio Grande do Norte. Abordando a temática do cangaço, o salão homenageia os 90 anos da resistência da cidade ao ataque do bando de Lampião. Durante o evento será lançada a edição especial da revista “Nós, do RN”, produzida pelo Governo do Estado, que analisa as artes visuais potiguares e exibe o catálogo com as obras participantes do salão.

Leia maisRobinson Faria cumpre agenda em Mossoró nesta quinta-feira

%d blogueiros gostam disto: