Vereador do Assu cobra R$ 100 mil de propina para aprovar doação de terreno que vale R$ 1 milhão

Depois de perder a chance da Câmara Municipal do Assu aprovar a doação de um terreno do município no chamado distrito industrial perto do terreno do puxa-saco do prefeito do Assú Marcony Moveis, para instalar sua oficina Auto Eletrica – o empresário Tonheca, vai ter que pagar propina de aproximadamente R$ 20 mil para vereadores, se quiser obter a aprovação do terreno que hoje é avaliado em torno de R$ 1 milhão.

Comenta-se nos bastidores da política que um dos 15 vereadores chegou a fazer essa proposta indecorosa de propina para Tonheca que se recusou a pagar aproximadamente R$ 100 mil que seriam repartidos entre os edis assuense e corre o risco de não obter aprovação do projeto de doação elaborado no governo do ex-prefeito Ivan Júnior. Por enquanto, o projeto ainda não voltou a ser apresentado para avaliação da Câmara de Vereadores do Assú, mas fala-se que se não for cumprida a exigência de pagamento, ele não será reapresentado para debate em plenário.

Por enquanto, o assunto é comentado sigilosamente e o nome do vereador acusado de fazer a proposta, não foi divulgado com medo de outras represálias. A conversa corre solta na cidade, o que é uma vergonha para a Câmara Municipal do Assú.

Deixe um comentário