Procurador foi ‘infiltrado’ para ajudar Joesley, diz Procuradoria

Os irmãos Wesley Batista (esq.) e Joesley Batista (dir.), donos da JBS

O Ministério Público Federal no Distrito Federal aponta que o procurador da República Ângelo Goulart Villela, preso nesta quinta-feira (18) por ordem do STF (Supremo Tribunal Federal), foi “infiltrado” por Joesley Batista, do grupo JBS, para extrair informações da Operação Greenfield.

Deflagrada em novembro passado pela Procuradoria da República no DF e pela Polícia Federal, a Greenfield investiga uma série de investimentos suspeitos feitos por fundos de investimento privados em conexão com fundos de pensão de servidores públicos. Um dos casos envolve a Eldorado, um braço do grupo comandado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista.

Villela entrou na força tarefa da Greenfield em março último, como um reforço à investigação. Ele está lotado na PGE (Procuradoria-Geral Eleitoral), no mesmo prédio da PGR (Procuradoria Geral da República), e a partir de março passou a se dividir entre os dois trabalhos. As informações são da Folha de São Paulo.

Desde o começo da participação de Villela na força tarefa, os procuradores começaram a desconfiar do colega. Os investigadores perceberam que Villela trazia informações às reuniões da força-tarefa, em Brasília, que logo depois eram também repetidas por advogados do grupo de Joesley Batista.

A partir daí, os procuradores da Greenfield começaram a fazer testes com Villela, que culminaram com o pedido de ação controlada autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Villela foi seguido e filmado com autorização judicial.

A investigação, segundo a Procuradoria no DF, confirmou que Villela repassava a Joesley as informações que eram discutidas entre os procuradores da Greenfield. Villela teria gravado parte das reuniões da força tarefa e repassado os áudios a Joesley.

Ao mesmo tempo em que a investigação avançava sobre Villela, também evoluíram as negociações para a delação premiada de Joesley na PGR. Nas últimas semanas, o empresário aceitou falar sobre o papel de Villela e confirmou que o procurador era orientado a obter informações da Greenfield para o grupo empresarial da JBS.

Uma portaria que desligará Villela da força tarefa da Greenfield deve ser publicada nas próximas horas.

Deixe um comentário