PM espera 50 mil pessoas em depoimento de Lula a Moro

1

A expectativa da Secretaria de Segurança Pública do Paraná é que 50 mil pessoas acompanhem em Curitiba

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) negou nessa terça-feira (9) o pedido da defesa do ex-presidente Lula para que o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro, marcado para hoje, às 14h, fosse adiado. Mas a defesa do petista não desistiu e recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No intervalo de 59 minutos, os advogados de Lula entraram com três pedidos de habeas corpus na Corte recorrendo de decisões do TRF-4. A defesa quer que o STJ considere Moro suspeito para julgar a ação penal, pede para gravar todo o depoimento de Lula com uma equipe independente e solicita o adiamento da oitiva, com “pleno acesso aos documentos” e, após isso, 90 dias para a análise.

Os três autos foram remetidos para a 5ª turma do STJ e serão relatados pelo ministro Félix Fisher. Por enquanto, o depoimento está mantido. Essa será a primeira vez desde que a operação foi deflagrada, há três anos, que Moro e Lula se encontrarão. O petista será ouvido como réu em um processo em que é acusado de ter recebido um triplex no Guarujá, no litoral paulista, supostamente como presente da OAS.

O depoimento será marcado por uma grande mobilização de apoiadores do petista, mas também há protestos previstos contra o ex-presidente. A expectativa da Secretaria de Segurança Pública do Paraná é que 50 mil pessoas acompanhem em Curitiba a audiência de forma pacífica. Apesar disso, uma grande operação foi montada para evitar confrontos.

Por segurança, uma área de 150 metros ao redor do prédio onde funciona a Justiça Federal ficará sob rigoroso controle de circulação. A PM iniciou na noite dessa terça o bloqueio no entorno do prédio. O tráfego de veículos nas ruas próximas da Justiça Federal também estará interrompido nesta quarta. Pessoas sem credencial não poderão acessar a área demarcada. Só poderão chegar ao local jornalistas, moradores e pessoas que trabalham na região, todos cadastrados. Helicópteros serão usados no esquema de segurança.

Pela manhã, uma caravana com 20 ônibus de São Paulo chegou a Curitiba com manifestantes pró-Lula. São esperados mais 60 ônibus até hoje, inclusive os organizados por sindicalistas de Belo Horizonte. Ontem, houve uma caminhada da rodoferroviária, local onde está o acampamento do MST e da CUT, até a praça Tiradentes, no centro da cidade. As manifestações vão se concentrar em dois pontos da cidade: os apoiadores da Lava Jato devem se reunir no Centro Cívico, em frente ao Museu Oscar Niemeyer. Já os manifestantes pró-Lula ficarão a cerca de 3 km dali, na praça Santos Andrade, no centro.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: