MENOS POLUENTES Diante de tendência mundial, Fábio Faria reforça incentivos para carros elétricos no Brasil

Imagem relacionada

Deputado tem um projeto de lei em tramitação que visa estimular a produção e comercialização de veículos elétricos ou híbridos

São muitas as notícias sobre a necessidade de reduzir a emissão de poluentes no mundo, especialmente com a retirada de carros com motores a combustão de circulação. “Recentemente, vários países anunciaram planos de produção e comercialização apenas de veículos elétricos e híbridos. Aqui no Brasil, temos projetos tramitando para aumentar os incentivos, só que precisamos dar maior celeridade a isso. Em 2015 propus que sejam isentos de IPI para torná-los mais acessíveis”, afirma o deputado Fábio Faria, se referindo ao projeto de lei 1410/2015 de sua autoria.

O parlamentar observa que a China, maior fabricante e vendedora de carros elétricos do mundo, já determina que 20% dos carros em circulação em 2025 sejam movidos por combustíveis alternativos, anúncio que levou grandes montadoras a acelerarem seus projetos do tipo, temendo ficarem para trás no mercado automotivo. “Reino Unido, França, Índia, Noruega e Alemanha já anunciaram projetos semelhantes. Todos estão antenados neste movimento verde porque existe apoio estatal. Aqui no Brasil, é essencial um esforço político conjunto para aprovar leis de incentivo e entrar em sintonia com o mundo”, ressalta Faria.

Atualmente, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre veículos elétricos é de 25%. Pela proposta do deputado, o estímulo se daria por meio da isenção do IPI, e também da dedutibilidade em dobro de despesas na apuração do Imposto de Renda. Mas enquanto as propostas nesse sentido ainda são discutidas, Faria lembra o governo já estuda alguns incentivos, como o que foi anunciado recentemente através do Ministério de Minas e Energia: uma redução da alíquota para 7,5%, aplicando a mesma cobrada sobre veículos flex, o que aumentaria de forma significativa a competitividade de veículos verdes no mercado do Brasil.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: