Gilmar Mendes ataca Marco Aurélio Mello: “De velho a velhaco”

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes atacou, nesta quinta-feira (11), o também ministro Marco Aurélio Mello. Em entrevista ao jornalista Jorge Bastos Moreno, do Globo, Gilmar se referiu ao colega como “velhaco” e como uma personalidade da vida pública que nunca foi “grande coisa do ponto de vista ético, moral e intelectual”.

Gilmar reagiu ao ofício enviado por Marco Aurélio à presidência da corte, declarando-se impedido de participar de julgamentos que envolvam advogados ou clientes do escritório de Sérgio Bermudes. Marco Aurélio tomou a iniciativa dois dias após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedir o afastamento de Gilmar da relatoria de um habeas corpus por meio do qual concedeu liberdade ao empresário Eike Batista.

O empresário é representado em outros processos por Bermudes, que tem entre seus sócios Guiomar Mendes, mulher de Gilmar. Janot solicitou, ainda, que seja anulada a decisão do ministro de soltar Eike.

“Os antropólogos, quando forem estudar algumas personalidades da vida pública, terão uma grande surpresa: descobrirão que elas nunca foram grande coisa do ponto de vista ético, moral e intelectual e que essas pessoas ao envelhecerem passaram de velhos a velhacos. Ou seja, envelheceram e envileceram”, disparou.

Procurada, a assessoria de comunicação do STF informou que Marco Aurélio ainda não sinalizou intenção de se manifestar sobre o assunto.

Impedimento

No ofício à presidente Cármen Lúcia, o ministro disse que não pode atuar em casos relacionados a Bermudes porque no escritório do advogado trabalha Paula Mendes de Farias Mello de Araújo, sua sobrinha. Marco Aurélio se declarou impedido de atuar em qualquer ação, administrativa, civil e penal vinculadas ao advogado. O gesto foi interpretado, nos bastidores, como uma forma de constranger o colega. “Não se coaduna com o meu espírito. Eu não provoco colega”, respondeu ele ao Estadão.

Gilmar não se declarou impedido no caso de Eike, alegando que o escritório do qual sua mulher é sócia não atuou no processo e que a banca do advogado só atua em processos civis do empresário.

No ofício à Cármen Lúcia, Marco Aurélio também se disse impedido de atuar em casos relacionados a outros familiares: a esposa, Sandra De Santis Mendes de Farias Mello, desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal; e as filhas Letícia De Santis Mendes de Farias Mello, juíza do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), e Cristiana De Santis Mendes de Farias Mello, advogada e procuradora do Distrito Federal.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: