Falta de cirurgia bariátrica mata até 45 mil no País por ano, afirma estudo

A cada mil pacientes na fila pelo procedimento, mostra pesquisa do Hospital Oswaldo Cruz, 5 morrem a cada 12 meses de espera

A longa fila de espera para cirurgia bariátrica no Brasil provoca mortes evitáveis e custos ao sistema de saúde. Pesquisa estimando consequências da demora no acesso ao procedimento mostra que, a cada mil pacientes que aguardam a cirurgia, cinco morrem por ano de espera.

Como a estimativa dos pesquisadores é de que até 9 milhões precisem da cirurgia no País – aqueles na fila e os que ainda necessitam de encaminhamento – e só 1,5% deles sejam operados, a não realização da bariátrica causa até 45 mil óbitos evitáveis por ano.

Já o custo extra ao sistema público de saúde, segundo o estudo, é de U$ 720 milhões anuais (cerca de R$ 2,3 bilhões). A cada mil pacientes, são US$ 80 mil (aproximadamente R$ 256 mil) gastos a mais, a cada ano, por complicações da obesidade.

Disparidade. Quem tem acesso à rede particular ou a plano de saúde, de fato, consegue passar pela operação mais rapidamente. Tanto é que enquanto a rede privada realiza cerca de 110 mil cirurgias bariátricas por ano, a rede pública faz só 8 mil.

Em cinco Estados, o SUS (Sistema Único de Saúde) não tem nenhum centro que realize a cirurgia: Amazonas, Goiás, Roraima, Rondônia e Amapá. Nesses casos, os pacientes precisam entrar na fila de hospitais de outras unidades da federação.

O Ministério da Saúde informou que o SUS oferece cirurgias bariátrica e reparadora a todos com mais de 16 anos diagnosticados com obesidade grave que estejam com: 1) Índice de Massa Corpórea (IMC) maior que 50; 2) IMC maior que 40 quando não há sucesso no tratamento clínico ao longo de dois anos; e 3) IMC superior a 35 associado a comorbidade, como diabete, sem resultado positivo no tratamento clínico. Há 78 serviços de saúde credenciados pelo SUS para fazer o procedimento no País, mas, ressaltou a pasta, as filas são de gestão estadual e municipal. Não disse, porém, se planeja ações para reduzir filas de espera.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: